Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Nicholas Sparks;

by - março 02, 2011

Então, acabei de assistir ao filme Querido John. Já tinha lido o livro e lembro-me da história não ter mudado a minha vida. Eu realmente entendo as pessoas que dizem que tal livro mudou a vida delas. Muitos livros me influenciaram e mudaram minhas perspectivas. Muitos livros, aliás, me fizeram o que sou hoje. O bom dos livros é que parece que você vira amiga das personagens e aprende com os erros e acertos delas. Muitas personagens dos meus favoritos livros viraram meus melhores amigos. Parece que estamos no enredo e temos sempre uma opinião para cada situação que a personagem vive, seja boa ou ruim. 
No entanto, ler os livros do Nicholas Sparks não fez nenhuma diferença em mim. Todo mundo ficava, tipo: "Ah meu Deus, o Nicholas é o rei do romance, você tem que ler os livros dele". E lá fui eu prometer que leria os livros dele esse ano. Coloquei-os em minha lista de livros de 2011 e já li A Última Música e Querido John. O mais engraçado é que Querido John vendeu mais do que A Última Música, e eu nem me entusiasmei com a a história de Savannah e John. Quero dizer, é, é fofo o amor. Mas nem tudo acaba bem e o final não me deixou empolgada ou esperançosa. O que pensei na última página do livro foi: "Por que gastei meu tempo lendo isso?". Posso estar parecendo cruel, mas é apenas a minha opinião. Sei que existem senhoras apaixonadas pelos livros do Nicholas. Isso, de modo algum, é ruim; é maravilhoso, aliás. Porque é tão difícil as pessoas realmente se interessarem por livros, sabe. Não é a maioria que aprecia passar duas horas lendo, quando poderia estar surfando ou assistindo à TV. Eu sei disso, porque eu sou uma das poucas pessoas que vive em casa para ler ou para escrever ao invés de ir para a balada. Mas a questão é que, mesmo que as pessoas estejam se interessando por livros, inclusive pelos do Nicholas Sparks, não sei por que os livros dele não chamaram tanta atenção. Eu ainda não entendi. Lembro-me que me decepcionei muito ao acabar de ler A Última Música (porque prefiro este a Querido John), porque realmente esperava um enredo mais surpreendente. 
Além das histórias do Nicholas serem (me desculpem, mas é o meu ponto de vista) fracas, não creio que o modo como ele redige me estimule a ler. Achei bem pobrinho o modo como ele escreve. Não sei, sabe. Ele não prende a minha concentração nem o meu interesse. Eu li esses livros, porque prometi a mim mesma que os leria. Tinha chegado à conclusão que estava lendo os mesmos tipos de livros e sempre dos mesmos autores, então eu queria diversificar e acabei escolhendo o Nicholas como minha primeira opção. E não deu certo, claro. Porque agora não estou mais animada em prosseguir com a lista de seus livros. Normalmente eu não me decepciono com livros, porque gosto de ler e esse meu "gostar" me impulssiona a não me frustrar tanto com os livros. Acho que não me decepcionei tanto assim nem quando deixei de lado Amanhecer (larguei na metade, quando a idiota de Bella se torna vampira, porque, sinceramente, o que as pessoas veem nesses livros de vampiros?).
E outra coisa: não sou fã de livros adaptados para o cinema. Sempre acontece algum erro. 
Em A Última Música, a Ronnie tem mechas roxas no cabelo, mas no filme, a Miley aparece com seu costumeiro cabelo castanho escuro. Oi, não era para seguir o livro? E em Querido John, o Alan, irmãozinho de Tim (e amigo de Savannah, com o qual acaba se casando anos mais tarde), se torna filho dele, no filme. Isso foi de rachar a cara, sabe. 
E tenho que dizer que eu mesma escrevo melhor do que esse cara. Desculpe, mas isso é verdade. Até meu pai foi capaz de reconhecer isso. 
A Meg Cabot para sempre será a minha autora favorita, de verdade. Ela pode escrever para adolescentes com problemas de encaixe na sociedade, mas seus livros são perfeitos para mim. São também de romance, mas são romances que me sinto bem ao ler. Não são romances bobinhos ou exagerados, são apenas do tipo reais. 
Espero que não desistam de ler os livros do Nicholas, sinceramente. Não é esse o objetivo deste post. 

ps: Paty, eu falei mal do John. Por favor, não venha atrás de mim para me bater, okay? 

Beijo beijo :*

Nina H. 

You May Also Like

0 comentários

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM