Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Miss Invisible;

by - abril 04, 2011

Eu sou impaciente com pessoas impacientes. Eu sou bipolar com pessoas bipolares. Eu sou alegre com pessoas alegres. Eu sou tímida com pessoas tímidas.
Não tenho regras, apenas depende do meu dia. De como acordei, com quem conversei, quem fez meu dia ficar um pouco mais colorido. 
Às vezes é mesmo difícil tentar se encaixar. Seja na sociedade ou apenas em você mesmo.
Eu ainda estou tentando me encontrar na sociedade e em mim mesma. Muitas pessoas me fazem quem sou hoje. Muitas escolhas me fazem ser quem sou hoje. Muitos livros me fazem ser quem sou hoje. Não depende necessariamente de quando as pessoas apareceram, de quando tivemos que fazer as escolhas ou de quando lemos os livros. Depende, na verdade, de como enxergamos as pessoas, de como fizemos nossas escolhas e de como conseguimos tirar as lições de moral dos livros. 
Eu não sou muito boa em fazer as coisas acontecerem, porque sou tímida e odeio me expor, mas pequenas coisas sempre me modificam a todo instante. 
A verdade é que nada me define com muita precisão. Poucas coisas, realmente, definem minha vida e quem eu sou. 
Eu sou do tipo que não surto por conta de um sapato, mas sim por um livro ou por uma banda. Sou do tipo que não saio aos fins de semana à noite, porque estou ocupada demais lendo ou escrevendo. Sou do tipo que adoro a Disney e que ouço as músicas da Demi Lovato e a Selena Gomez. Sou do tipo que prefiro Meg Cabot a Paulo Coelho (nunca li Paulo Coelho porque estou ocupada demais lendo Meg Cabot). Sou do tipo que tenho poucos amigos e que não acho que precise de mais. Sou do tipo que quando amo, amo incondicionalmente, mesmo que essa pessoa somente me machuque. Sou do tipo que faço "awn" para qualquer tipo de filhote. Sou do tipo que prezo mais as amizades que estão longe do que as que estão à um passo. 
E minha vida é definida por todas as pessoas que estão em ao meu redor e por pessoas com quem tenho afinidade, sejam elas da minha família ou não. 
Na verdade, cheguei à conclusão que amo muito mais pessoas que não são da minha família. 
Porque pessoas da minha família me julgam e acham super esquisito eu adorar mais ler do que dançar. Que acham que eu deveria sair à noite a ter uma conversa com uma amiga de longe pelo msn. Que acham que eu não vivo a vida. 
Digo, acha mesmo que eles me conhecem? Eles apenas sabem meu nome, não quem eu sou ou o que gosto de fazer. E se tudo está tão errado assim comigo, porque não vai atrás de alguém que se importe?
Porque, sabe, eu sempre tenho um lema. E sempre o repito quando as pessoas acham que me conhecem e que devem opinar na minha vida.  
"Nada que você goste de fazer é perda de tempo".
Eu ainda sofro por fazer o que amo e todos acharem que isso não vai dar em nada.
Mas quer saber? Eu parei de me importar. Afinal, é a minha vida. E um dia eu estarei pisando em todos que desacreditaram em mim. 

Beijo Beijo ;*

Nina H. 

You May Also Like

1 comentários

  1. amiga, seja sempre quem você quer ser.
    seja sempre quem você ama ser.
    e ai você vai descobrir quem gosta de você pelo o que você é.
    quem te conhece, e quem te apoia! (:
    beijos ;*

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM