28 de setembro de 2011

#Despedida;

Deu-me vontade de escrever um pouco aqui. Sei lá por quê. 
Ontem não foi um dos dias mais legais da minha vida. Passei-o cuidando de uma das minhas cachorrinhas, que, infelizmente, veio a falecer de madrugada. Mas sabe de uma coisa? Eu meio que já sabia que ela ia morrer. Eu estava com o coração apertado e com um pressentimento não muito bom. 
Natasha estava conosco há 14 anos e, embora tenha sido irritante na maior parte do tempo - poodles são sempre irritantes -, ela era um amor. Nunca deu muito trabalho em termos de doença e tal. Infelizmente o câncer mamário que ela tinha se espalhou pelo corpo inteiro e ela não aguentou. E acho que morrer de insuficiência respiratória - que foi como ela morreu - não deve ser muito agradável. 
Todo mundo meio que diz, tipo "Ah, mas vocês têm mais cinco cachorros". É, mas nenhum deles é ela, entende? Cada um tem um dom especial de cachorro. 
Mas tudo bem, ela viveu bastante, até. Ainda que pensávamos que ela suportaria até os 18 ou algo assim. 

Encerro o post com um clipe muito fofo do Frejat: 


Nina

26 de setembro de 2011

#Divulgação de Meu Novo Blog;

Oi oi. Sei que ninguém lê nada daqui - apesar de eu ter visto o comentário da Nina. Obrigada, Nina -, mas para quem quer conhecer mais dos meus livros, eu criei um outro blog, que abriga justamente apenas trechos de livros meus e informações de meus projetos prontos, em andamento ou futuros. 
Quem se interessar, pode acessar: http://brincando-de-sonhar.blogspot.com/
Acho que esse blog é uma forma de me ajudar a divulgar meu trabalho e de conseguir que alguém se interesse por ele. Afinal, uma editora de verdade paga para você publicar o seu livro. Não é você que tem que pagar. 
De todo modo, agradeço quem visitar meu novo blog.

Nina

11 de setembro de 2011

#I Love You More Than You Will Ever Know;

"A gente não escolhe por quem se apaixona e nunca acontece do jeito como deveria"

Acho que o amor simplesmente acontece. Estamos numa boa fazendo sei lá o que e de repente, BUM. Olhamos para uma pessoa e ela nos faz sentir diferentes. Um pouco retardados também, mas é uma sensação muito boa. Como se estivermos numa mantanha-russa. Mas é sempre, tipo:
A) Você ama secretamente, porque tem medo de ir até a pessoa ou
B) Você confessa e se dá mal, porque ele preferiria namorar um bebê-dinossauro a você. 
O amor, na maior parte das vezes, é uma porcaria. Acho que é um verdadeiro milagre quando duas pessoas estão apaixonadas. Porque, sério, é a coisa mais difícil do mundo. 
Eu estou apaixonada. É a coisa mais idiota do mundo. Porque, por mais que um dia ele já tenha sentado ao meu lado - e me dito "desculpa", porque esbarrou sem querer em mim -, isso não quer dizer nada. Nós habitamos diferentes áreas da sala, e é mega difícil fazer qualquer tipo de contato com ele. Sempre tem aquela pessoa com ele. E até pode ser que ela não seja apenas amiga dele. Pelo menos é isso que desconfio. Desde o começo do ano - na época em que não era apaixonada por ele - quero saber o que ele ouve noIpod dele, porque só o vejo com fones de ouvido e balançando a cabeça. Ele pode ser um esquisito, mas, sabe, eu adoro os esquisitos. Os diferentes. Porque, geralmente, eles são os rejeitados. Não que eu não seja uma rejeitada. Eu sou. 
Várias pessoas me aconselham, mas eu simplesmente não tenho coragem de seguir nenhuma sugestão. Porque... ele nunca que gostaria de mim. Pessoas como ele nunca ficariam com alguém como eu. Eu sou invisível. E ele é muito sociável. Ele conhece todo mundo. Eu só conheço os nerds que falam de games. 
E é verdade: os que leem livros de romance os adoram, porque gostariam que suas vidas fossem iguais aos enredos desses livros. Nos livros de romance, tudo é perfeito no final. A garota esquisita fica com o cara mais popular. Acho que é por isso que livros românticos são os que mais vendem: as pessoas são sonhadoras demais. Elas são idiotas, isso sim. Eu sou uma idiota. Porque a vida real é uma porcaria. Quase nunca a pessoa por quem você está apaixonada lhe retribui do mesmo jeito. Às vezes é só amizade. Às vezes nem é isso. E você só se ferra, porque estava atrás de uma coisa praticamente impossível. 
Mas acho que é por isso que as pessoas correm atrás do amor: por ser um desafio. Todo mundo só quer ser aceito por alguém que não critique seus defeitos. Só que, no final, as qualidades não valem nada e só ficam os defeitos. Depois disso, ninguém mais é capaz de elogiar ou de dizer a palavra "amor". Só fica a mágoa, a ignorância e o sofrimento. 
Talvez o fato de ele ser diferente tenha influenciado o modo como eu o ame, mas eu não escolhi, não pedi. Quando me dei conta, tinha parado de apreciar outra pessoa, e meus olhos só buscavam os dele. É uma loucura. E duvido que vá acontecer do modo como minha imaginação quer. Garanto que o ano vai acabar e nada vai ter acontecido e eu vou perdê-lo, para sempre. Daí eu nunca mais vou ter outro ruivo para olhar. Realmente acho que deveriam existir mais ruivos, sério. É um preconceito com eles. Só estou comentando.
Deus, na minha próxima vida quero nascer Lady Gaga, ok? Anota aí. 
Enfim, eu estou ferrada. Como sempre. Até parece que é surpresa para mim. Eu sempre estou ferrada, de um jeito ou de outro. 

"I know that you think of me sometimes
'Cuz all I do is think of you at night
I know it may take a little time
For you to see you are the love of my life"

Desculpa, mas eu sou uma esquista que não sabe nada sobre a vida u.u 

ps: não, eu não odeio o amor. 

Nina

4 de setembro de 2011

#Indicação de Livro: Não Sou Este Tipo de Garota - Siobhan Vivian


Não Sou Este Tipo de Garota
Autora: Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito
Páginas: 248
Sinopse: Este era seu último ano de colégio. Entrar na universidade, ser presidente do conselho estudantil e passar todos os dias com sua melhor amiga era tudo o que Natalie havia planejado. Ela sempre foi estudiosa, a melhor da classe. Não era o tipo de garota comum na Academia Ross, pois se preocupava muito com sua reputação, talvez até demais. Então, para sua surpresa, no início das aulas uma caloura a reconhece por tê-la tido como babá anos atrás. Desse reencontro surgirão muitos acontecimentos em que Natalie será obrigada a fazer difíceis escolhas para os dilemas de sua vida no ensino médio, assim como qualquer adolescente.

Resenha: Natalie começa seu último ano relativamente bem. Ela derrota um cara popular nas eleições para presidente do conselho estudantil e uma conhecida chega como novata. Spencer, uma garota que Natalie já fora babá, é, aparentemente, bem menos inocente do que Natalie podia imaginar. Spencer causa na nova escola, fazendo com que Natalie fique ao seu lado, não apenas para protegê-la, como para educá-la corretamente. A sexualidade é o grande assunto do livro, ocassionando consequencias não muito boas. Enquanto Natalie tem que lidar com a sexual Spencer, tem também que se esforçar para não perder a melhor amiga, Autumn. Nisto, começa a se envolver com Connor, o melhor amigo do cara que derrotou nas eleições. Embora a relação dos dois seja restritamente sem compromisso, após passar uma noite de verdade com ele, Natalie vira alvo de fofocas. Aí, a menina comportada e de boa reputação começa a ser enxergada como alguém parecida com Spencer, que outraora deixara ser fotografada nua. 
O que achei legal foi que o livro trata de sexualidade de uma maneira bastante natural. Não é aquela coisa exagerada, mas também não é como se o assunto fosse um pecado. 

Por que ler? 
O tema abordado acaba sendo tão bem elaborado que começamos a pensar que a história de Natalie poderia se passar na nossa escola, com a nossa melhor amiga. Os personagens são bastante reais, não tem aquela coisa de serem perfeitos e tal. Cada tem tem características bastante diferentes e acabam conquistando diversos tipos de sentimentos nossos. 

Nina

1 de setembro de 2011

#Minha Infância na TV;

Estava me lembrando com uma amiga dos desenhos que assistíamos quando pequenas e me deu uma saudade... Então, resolvi fazer um post dedicado a alguns desenhos que fizeram parte da minha tão querida infância!


Hamtaro
Tem alguma coisa mais fofa do que hamsters em missão? Cara, eu me lembro até hoje da musiquinha! *-*

Pokémon
"Eu escolho você, Pikachu!" *-*
Eu era fã da primeira geração, quando todo mundo ainda era todo certinho e tal. Eu gostava do gatinho de mal, haha. 

Três Espiãs Demais
Acho que esse é o único desenho onde as personagens trocam de roupa! Eu adorava a ruiva. Eu já era doente naquela época.

O Ursinho Rupert
Nossa, me lembro da época em que trocava os deveres para ficar grudada na tv vendo isso. O Rupert era tão fofo. Nem sei mais de passa isso na Tv Cultura.

O Pequeno Urso
Depois de Rupert, eu via o Pequeno Urso! *-* Eu adorava o Gato! 

Pink e o Cérebro
Eu ainda me lembro da música! Eu adorava o Pink porque ele era tão burro, haha!

A Vaca e o Frango
Tudo o que me lembro é da SuperVaca! *-* 

Coragem, o Cão Covarde
Esse era muito bom, porque mesmo covarde do jeito que o cachorrinho era, sempre conseguia solucionar os casos! 

Johnny Bravo
Era tão legal os foras que ele ganhava das mulheres, haha!

O Laboratório do Dexter
Meu Deus, e aquela irmãzinha irritante do Dexter? Sempre que ela aparecia, eu tinha vontade de bater nela!

Os Camundungos Aventureiros
Emily e Alexander! *-* Como esquecer deles? Eles eram detetives tão bons! 

Kim Possible
"Chama, liga, que eu sou tua amiga", inesquecível. Eu adorava o Ron *-* Ele era meio idiota, mas sempre conseguia ajudar a Kim! E o Rufus? *-*

Pena que metade desses desenhos não passem mais... com certeza eu iria querer assistir! õ/

Nina

#Amores Animados;

Eu amo, amo, amo desenhos! E o que eu mais gosto nos desenhos é que qualquer um pode assisti-los, porque as mensagens não são idiotas. Sempre tem uma mensagem bonita e que toca nosso coração. E o amor é uma das mensagens mais frequentes. 


Shrek: Burro + Dragão Fêmea
Eu fiquei fã do Burro desde o começo, porque ele é do tipo irritante, mas hilário. E quando descobri que o dragão na verdade era uma fêmea e que se apaixonou por ele, haha. Muito bom. Eles fazem um casal diferente (e, convenhamos, biologicamente impossível, porque né). E os filhotinhos? Awn *-*






Madagascar: Glória + Melman
Para começo de conversa, eu achei que o Melman fosse menina, não sei por quê. Mas quando ele se declarou para a Glória foi o momento mais cutie-cutie do filme *-* 








Enrolados: Rapunzel + Flynn Rider
Estava na cara que a Rapunzel iria se apaixonar pelo Flynn! Eles são tão fofos juntos. Eu adorei essa Rapunzel! E o fato de o Flynn não ser um príncipe foi bem mais legal.















Rio: Jade + Blu
Eu não vi esse filme, mas a parte do "diga que ela tem lindos olhos" é muito engraçadinha, especialmente depois quando o Blu grita para a Jade "Você tem lindos olhos". Só essa cena eu vi, no tumblr, ainda. Mas um casal de ararinhas azuis é apaixonante *-*






O Bicho Vai Pegar: Elliot + Giselle
O Elliot me lembra muito o Sid, de A Era do Gelo. Depois me muito brigarem, finalmente ele e a sua amada Giselle ficam juntos. 







A Era do Gelo: Scrat + Esquilinha Voadora
Fala sério! O Scrat, depois do Sid, é o meu personagem favorito. Ele sempre se dá mal, e mesmo quando arranja um amor nada dá certo para ele. Tadinho. 








Nina

#Indicação de Livro: Liberte Meu Coração - Meg Cabot;


Liberte Meu Coração
Autor: Meg Cabot
Editora: Record
Páginas: 404 
Resumo: Finnula, a caçula de seis irmãs e um irmão, nunca quis ouvir falar em casamento e sempre esteve mais interessada em caçar. Mas agora, para salvar a honra de uma das suas irmãs, ela terá de se envolver em um plano arriscado - o sequestro de um cavaleiro rico, que renda um bom resgate. O que ela não esperava é que o cavaleiro vai se mostrar muito mais esperto do que ela imaginava, e muito mais atraente também.

Resenha: Finnula Crais não é uma mulher normal de acordo com os padrões de sua época. Ela usa calças e sai para caçar. Enquanto está protegida por seu irmão e irmãs isso não lhe parece nenhum tipo de impecilho. Mas apenas até saber que uma de suas irmãs gastou todo o seu dote (que deveria usar para comprar componentes para a fabricação de sua tão adorada cerveja) em vestidos e fitas. A partir daí, sua vida se resume a armar um bom plano para sequestrar um homem e pedir resgate por ele. Finnula, por pura sorte (ou não), se depara com Hugo Fitztephen e seu escudeiro, Peter, em uma taverna. Com um plano cheio de sedução, a Bela Finn consegue imobilizar Hugo e faz com que Peter vá para o feudo aguardar notícias de seu lorde. Porém, o que Finnula achou que seria fácil acaba se tornando quase um inferno. Sequestrar Hugo, um homem que ela julgou de fácil abatimento, torna-se uma tarefa tão irritante que ela quase desiste do plano. Hugo, por outro lado, fica tão atraído por Finnula que simplesmente se deixa sequestrar, apenas para poder desfrutar da beleza de sua sequestradora mais de perto. Embora ele tivesse ocultado seu verdadeiro nome, isso não é trazido a tona até eles estarem de volta ao feudo. Finnula descobre, então, que Hugh Fitzwilliam (o nome que Hugo inventou para Finnula) é Hugo Fitztephen, herdeiro do feudo em que a família Crais mora. Mas, se por um lado isso faz com que Finnula fique com raiva de Hugo, por outro, ela já entregou muita coisa a ele e se apaixonou. 
Ao contrário dos outros livros adultos da Meg, este pega mais o caminho da aventura, porque depois de se casar com Finnula, Hugo é alvo de uma série de tentativas de assassinato. 

Porque ler: Para quem já leu os livros adultos da Meg, esse é imperdível. Além de se passar na época das cruzadas (uma época que eu adoro), Finnula é uma menina anormal, tal como a maioria das meninas de hoje em dia. Ela não pensa em vestidos nem em se casar. Tudo o que ela quer é caçar e sair pela propriedade cavalgando. Gostar de Finnula é muito fácil, porque ela é astuta e durona. E o que dizer de Hugo? É impossível não gostar dos personagens masculinos de Meg... Hugo é sarcástico e algumas cenas com Finnula rendem muitas gargalhadas. O livro prende a leitura até o final (eu o li em dois dias) e a cada capítulo ansiamos por mais. Vale muito a pena. Não apenas por ser um livro da Mia, que teve uma ajudinha da Meg, mas porque é fácil amar cada página do livro. 

ps: quem não gosta de cenas, hm, picantes, não vai apreciar algumas, mas, mesmo assim, não há o que temer, porque a descrição não é vulgar ou degradante ;) 

Nina