29 de outubro de 2011

#Aviso Sobre a Futura Promoção do Blog;

Oi, gente. Passei aqui porque quero pedir a ajuda de vocês e escrever sobre uma ideia que tive. 

Confesso que não me importo tanto com o número de seguidores desse blog, afinal ele é mais pessoal do que qualquer outra coisa - bem diferente do blog que manuseio com a Ceci e a Jessi -, porém gostaria que mais gente o lesse, portanto se eu conseguir mais dez seguidores até começo do ano que vem, estarei sorteando um livro, que ainda irei escolher. Recomende meu blog para seus amigos, vizinhos, namorados... e participe da minha promoção! 
Assim que eu atingir o número necessário de seguidores, posto sobre a promoção e as regras!
Obrigada e boa sorte!

Nina

25 de outubro de 2011

#Como Enlouquecer Sem Ninguém Perceber;



A maioria das pessoas não consegue enxergar a depressão nas outras. Dizem que você pode conviver com uma pessoa depressiva sem saber que ela está com problemas. É. É mesmo difícil se dar conta do quanto alguém está mal. A maioria das pessoas não divide e acha que estar com um problema é o fim do mundo. 
Eu me magoo e me decepciono toda hora e todos os dias e nunca ninguém sabe. Ao menos uma parcela bastante ínfima de meus amigos sabe. Não gosto de falar sobre meus problemas, porque sei que a maioria não os julga como problemas reais. Além do mais, existem pessoas espalhadas pelo globo com problemas bem mais graves do que eu. Enquanto alguém só sofre por um amor não correspondido, há outras que estão morrendo de fome, que estão vendo seus familiares serem machucados de alguma forma, que estão vivendo em uma miséria calamitosa. Mas, sabe, por que não posso me importar com meus problemas, mesmo eles não sendo tão importantes quanto os dos outros? É, às vezes eu acho que sou Mia demais.
Eu só queria alguém de verdade que não sumisse, que não me largasse na primeira dificuldade. E eu sei que tenho amigos assim (Dai, você é uma das pessoas que eu mais estimo, sério. Você não é como as outras, sabe? Eu sei que você sinceramente se importa comigo), mas não é a eles que estou me referindo. Porque acho que amizade é bem mais fácil de conquistar. É meio que regra de ouro se importar com o outro quando você é amigo. 
Só que, sei lá. Às vezes eu me olho no espelho e me pergunto: "Por que alguém olharia para mim?". Pode ser que isso tenha a ver com o fato de eu ser esnobe ou metida, como meu pai disse. Só que eu não me considero nem esnobe nem metida. Todo mundo que me conhece acha que sou simpática. Pode ser que eu tenha mesmo Síndrome de Asperger. Eu não me dou bem com pessoas da minha idade. Não gosto de multidões. Não gosto de sair. Talvez eu tenha mesmo algum problema. Não somente do tipo "Ah, minha casa é um inferno", ou "O cara do qual eu gosto não gosta de mim, e se gosta não faz nada para dizer" - o que claramente não é verdade. O negócio é que ele não gosta de mim. E ponto final. E quanto à minha casa, bom, é meio inquestionável. Isso daqui é um inferno. E eu nem posso nem quero sair daqui. Não posso porque nem na faculdade estou. E não quero, porque não quero deixar a minha mãe sozinha. Não me importo com meu pai. Mas com a minha mãe, sim
Sabe quando nada dá certo na sua vida, por mais que você tente? Quando parece que você não está a nem um passinho de conquistar nada? Sem contar que todo mundo só reclama de você, não adianta o quanto você se esforce. Não sei por que as pessoas exigem das outras coisas que elas não têm. Além do mais, se não ficou do modo como você queria, por que você não foi lá e não fez, diabo? 
Dizem que quando é amor verdadeiro, nunca é tarde demais. Mas e se já for tarde demais, mesmo depois de muitas tentativas? Não acho que o amor resista quanto assim. Uma hora ele se cansa, claro que sim. E eu sempre me canso. Não de tentar, talvez não seja esse o ponto. Mas me canso de acreditar. Dizem que não importa o quanto demore para uma coisa acontecer, se você acreditar, ela vai acontecer. Só que isso é tão piegas! Porque as pessoas não são imortais, a paciência não é imortal nem a esperança... 
Estou cansada. Cansada de estudar, cansada de acreditar, cansada de sempre fazer as mesmas coisas. Cansada de viver, sabe? 
Às vezes eu sinto tanta inveja dos meus amigos. Eles já passaram do status "estudando para o vestibular", alguns são bem mais felizes do que eu. Têm famílias felizes, namoros felizes, vidas felizes. E eu aqui, remando quando a maré desde sempre. Beleza. Só que pode ser que eu nunca vá dar o troco na minha vida. Pode ser que eu nunca venha a ser escritora, nunca venha a ser a esperança de alguém, nunca venha a levar esperança a alguém. Pode ser também que eu vá morrer sozinha, gorda, e com um monte de cachorros, que nem as pessoas daquele programa Acumuladores de Animais, do Animal Planet
Meu pai acha que eu não faço nada para mudar o que sou. Mas, cara, eu tento. Muito. Mas é difícil. Não posso dizer que não gosto de ser como sou, só que às vezes irrita. Gostaria de não ser tão tímida. Gostaria de saber conversar com as pessoas. Mas não sou assim. E acho que nunca vou ser assim. 
Então, tudo o que posso dizer é: o problema é seu, se não gosta de mim do jeito que sou. Alguém um dia - ou não - vai me aceitar do modo que sou. E esse dia... corre, diabo, porque eu vou esfregar na sua cara a minha felicidade. Ouviu, F?
Eu gostaria de escrever que agora me sinto melhor depois de todas essas palavras, mas ainda me sinto um unicórnio perdido. Sei que me expresso melhor com palavras do que verbalmente, mas neste caso, não ajudou em muita coisa. Mas, bem, tanto faz. Ninguém lê isso daqui mesmo. Então tá. 

Beijo para o vazio - ouvi dizer que você habita meu blog mais do que ninguém. Obrigada. 

Nina