Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

{I'm Renegade, I Always Was}

by - janeiro 19, 2012

Humor: confuso, chateado, irritado. 
Música: Miley Cyrus - I Hope You Find It.



Eu estou cansada. Estou cansada de tentar, cansada de errar, cansada de ser. Cansada da vida. É fácil apontar a bagunça dos outros, julgar os outros sem nem saber por o que eles passam. Na verdade a sociedade virou isso; um infinito preconceito contra tudo e todos. Quer dizer, até acho que peço demais. Num mundo onde você é julgado pelo seu tênis ou por suas roupas... e ainda querer ter algum respeito por alguém. Aprenda: ninguém tem respeito por ninguém. Acho que estamos "desevoluindo": de humanos estamos passando a ser animais; e não daqueles fofinhos, daqueles com presas e cara feia. Porque acho que apenas um animal realmente cruel é capaz de jogar pedra numa pessoa, só porque não gosta do som que ela faz. Não gosto do Restart (sim, estou falando sobre o Restart, nem eu acredito), mas, cara, cadê o maldito respeito? Confesso que não ouço nada além de rock, pop/rock, mas eu tento ampliar os horizontes. Quem diria a você que eu ouço Miley Cyrus? Quem diria que eu não estou nem aí para o Justin Bieber? Acho que as pessoas têm que começar a cuidar das próprias vidas. 
Já odiei algumas pessoas. Outras eu gosto, outras eu não trocaria por nada, e outras eu só aturo. Mas tento cuidar da minha vida, porque é para isso que estamos aqui. Para fazermos história com a nossa vida. No final, Deus não vai querer saber de quem você ficou rindo, ou quem você odiou. Ele só está interessado em você. E se você foi ruim com os outros, a lição é sua. Foi você que provocou e saiu machucado. Você só recebeu o que mereceu. E todo mundo merece o que provoca. 
A vida tem um preço. Você não pode usufruir de tudo só porque pode. Você tem que fazer algo em troca. Além de cuidarmos de nossas vidas, estamos aqui também para deixar nossa marca, para serrmos algo para o mundo. Temos a oportunidade de mudar algo. E é nisso que eu mais acredito. E não acho que precisamos ir para as aulas para mudar algo. Muita gente mudou muita coisa sem saber quase nada. Só falam de aulas, porque alguém disse que é importante. Mas é mais importante de que descobrir quem você é, ou o que você vai fazer com o seu dom? Não, não mesmo. Eu descobri o meu dom fora da escola, longe de qualquer professor. Na época eu achava que não era nada, mas hoje percebo que posso mudar o mundo como o conheço com ele. Deixar a minha marca no mundo através dele. É a por causa dele que sei quem sou. Talvez eu não salve ninguém diretamente com ele, mas indiretamente, sim. Acho que existe muito mais pessoas doentes sentimentalmente do que fisicamente. Simples palavras podem colocar um sorriso num rosto triste e mudar a história literária. Exemplos? Jane Austen, William Shakespeare, Jorge Amado, J. K. Rowling (não, ela não podia ficar de fora). Eles não fazem apenas parte da literatura, eles fazem parte da nossa história. Sem eles provavelmente ainda estaríamos vivendo como canibais, ou qualquer coisa assim. Aliás, quem diria que uma mulher teria o poder de abdicar seus sonhos de matrimônio para passar o resto de sua vida escrevendo? Jane foi a prova. Ela conseguiu. 
Ontem assisti Amor e Inocência (que, para quem não sabe, conta um pouco da história da Jane, especialmente sobre seus sentimentos), e percebi que posso não escrever como ela e não ser tão fantástica como ela, mas creio que irei morrer exatamente como ela: sem nenhum casamento, apenas enfiada nas páginas de livros ou nas minhas próprias palavras. E sabe? Eu não vejo problema algum em morrer assim. Não quero me casar, e não quero filhos. Como diria Machado de Assis: "Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria". Acho que colocar um filho no mundo, nos dias de hoje, é quase como dizer: "Vai, filho, vai lá ser o próximo idiota do mundo". Sabe? Nunca tive o sonho de segurar um bebê, nunca tive o sonho de me vestir de branco. Aliás, pra que igrejas? Não gosto de igrejas. Respeito Jesus, mas vivo sem Ele. Não condeno ninguém por abraçar igrejas ou Deus; cada um cuida da própria vida, cada um sabe o que faz. Mas se tem uma coisa que me irrita, são pessoas que acham que vou me salvar se ir numa igreja. Mano, eu tenho 20 anos, eu sei o que estou fazendo. Se eu não ligo para isso, é porque não ligo. Eu fiz a minha escolha, como você fez a sua. Confesso: às vezes rezo, porque me faz sentir como se tivesse tirado um pouco dos meus problemas das costas. Mas como a Hayley Williams diria: fé não é religião. Posso ter fé, acreditar no que acredito, mesmo sem me aderir a religião nenhuma. Não acho que Deus irá me castigar por isso. 
Mano, sobre o que estou falando afinal? 
Bom, eu não acho que a gente tenha que fazer tudo o que todos querem. Acho que nós temos que ter nossas próprias prioridades, sem depender da opinião alheia. Muitas vezes opinião alheia nos faz cair e nos faz perder tudo. Se eu tivesse ouvido meu pai, eu não seria escritora e estaria numa faculdade de Veterinária. Isso era o que eu queria, mas há muito tempo atrás. A todo momento estamos sujeitos a mudanças de planos, de pensamentos, de opiniões. Isso não quer dizer que somos idiotas, só que precisamos de um pouco mais de tempo. E eu sei que vou demorar para entrar na faculdade. Você não sabe o quão difícil está entrar em Jornalismo aqui no Sul. Se eu tivesse prestado esse ano de novo para Veterinária, eu já estaria na faculdade. Mas, não, eu decidi Jornalismo. Idiotice? Não, só sonho. Sabe quando você sabe que tem de fazer tal coisa? Ou que você descobriu aquilo que sempre procurou? Afinal, eu não me vejo fazendo qualquer outra coisa além de escrevendo. É só nisso que sou boa. É o meu único dom. Não sei cozinhar, odeio cuidar da casa, e provavelmente eu seria uma péssima esposa e mãe. Mas, hey, cada um sabe o que faz. Não é por que deu errado com fulaninha que vai dar errado comigo. Se eu não tentar, eu nunca vou saber. 
Mas, sabe, tentar sempre, cansa. Uma hora você vai ver que não aguenta mais, que precisa parar e respirar, ou só ficar ali, deitado, fingindo-se de morto. Às vezes é mais fácil ficar no seu canto do que explicar para as pessoas que estão ao seu redor o que está acontecendo. Eu sou assim. Posso estar morrendo por dentro, mas não abro a boca. Sofro em silêncio. E isso tem suas consequencias. Talvez eu precise de um psicólogo. Mas não resolveria. De que adianta você dizer seus problemas a alguém que não te conhece? Ele não vai saber te dar o conselho correto. Pode ter dado certo com milhões de outras meninas, mas quem garante que vai dar certo para você? 
Muitas vezes eu não sei o que quero; não porque eu sou idiota e não sei pensar direito, mas porque eu sou confusa e um pouco indecisa. Sempre fico avaliando tudo o que todos poderão pensar ou comentar. Eu só tenho extremo cuidado, porque não gosto de me machucar. Muitas feridas não cicatrizam, ou então deixam marcas, talvez para nos lembrar que um dia sofremos. Eu sou quieta, sou na minha, não falo por espontânea vontade, não gosto de me expor. E nunca ninguém irá me mudar. Eu nasci assim. E vou morrer assim. É difícil você aceitar quem você é, mas quando você o faz, tudo fica melhor. Você percebe que mesmo com todos os seus defeitos, você pode alcançar o céu. 


Esquecer alguém é como se a pessoa nunca tivesse estado na sua vida, e mesmo que você tivesse odiado-a, é um pedaço de você, um pedaço de um momento que você viveu. Afinal, tudo o que você vive é transformado em lições. E se você querer apagar tudo, que lições lhe sobram?

“Você leva uma vida meio esquisita, não leva?”
“Eu gosto da minha vida esquisita”, ela me respondeu
Eu sei que sou esquisita. Sei que levo uma vida esquisita, mas sabe... eu gosto de ser esquisita. Muitas pessoas esquisitas conseguiram alcançar os seus sonhos apenas sendo esquisitas”, ela continuou.

Bem, me perdoem por este post. Ele ficou ridículo, eu sei. Mas quando eu estou triste, as palavras simplesmente vêm e eu não consigo parar de escrever. 

Com todo coração,
Nina-Renegade. 

You May Also Like

2 comentários

  1. Voce me mata de rir...rsrs
    Estou enviando amanhã os livros Orgulho e Preconceito e Ladrões de Elite.. não tenho os outro dois que vc disse... se quiser outros depois é só pedir tb

    Vc viu a nova promoção do blog??
    Espero sua participação!!E suas fotinhas
    Faça uma boa viagem, descanse, se inspire, escreva e leia.. esperamos vc no pós férias!!

    Bjitos
    sonhosaventuras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nina querida, sabe as vezes eu tenho a impressão de que as pessoas estão se transformando nisso aí mesmo, um bando de loucos que só querem exigir mais e mais do próximo, coisas que eles próprios não conseguem dar a si mesmos. Mas sabe ainda assim eu continuo aqui na minha vida, e poxa vida pensei que fosse morrer ontem de tanta dor no meu estomago (por que eu voltei a comer carne e passei muito mal), e tudo o que eu conseguia pensar era 'meu Deus, se eu morrer quem vai terminar de escrever os livros que eu comecei a escrever?'.
    Então sabe, acho que alguns de nós nasceram pra isso aí mesmo, marcarem a vida de outras pessoas com palavras. Outros nasceram para salvar a vida de alguém em um hospital. Outros nasceram para criar vacinas.
    Outros nasceram para serem policiais. E outros para simplesmente serem uns completos idiotas.
    Mas sabe, é uma coisa que eu tenho o costume de dizer, não dá pra esperar o melhor das pessoas.
    Simplesmente não dá. Você sofre e se decepciona, e daí você sofre de novo. Em geral as pessoas não estão nem aí, elas só querem, sabe, parecerem legais.
    Mas olha, mesmo que você diga que só ora de vez em quando e vive sem Jesus e tudo o mais, eu ainda oro por você antes de dormir, sempre que me lembro, e peço pra Deus guardar a sua vida do mal, e te proteger, e te mostrar o caminho da felicidade, e estar com você quando você precisar. Por que sabe Nina, você merece isso.
    Você merece a felicidade e tudo o mais. E certo, eu não te julgo por não querer casar e nem querer ter filhos e tudo o mais que você disse, por que sabe, eu sei como é estar cansada e as vezes eu só penso: Caramba eu tenho 17 anos e estou cansada, não quero nem saber como vai ser o resto da minha vida.
    Então minha querida, tenho uma coisa pra te falar, talvez você devesse fazer uma aula de literatura. Estou falando sério, tipo assim, a minha outra opção para o vestibular era Jornalismo, e tipo caramba eu falei pra Deus um dia: Deus, eu não quero passar em Letras E em Jornalismo por que sabe, eu não vou saber escolher, por que eu quero demais os dois. Eu quero demais os dois, e eu não vou saber então, por favor, só deixa eu passar em um deles. E sabe, eu passei em Letras e MAAAAAAAAAAAAAAANO nunca poderia me imaginar tão feliz fazendo outra coisa. Sério, quando você voltar de viagem, entra no site da Universidade aí da sua cidade, e olha o programa literário do curso de Letras. Liga na Coordenação do Curso, e pergunta se você pode ir assistir uma aula como ouvinte. - É só um conselho, como mil outros que eu, como a pessoa enxerida que sou, estou te dando, você não precisa fazer se não quiser, mas talvez você se interesse pela matéria de Literatura, e quem sabe possa até mesmo, puxar algumas matérias quando passar pra Jornalismo. Não estou falando pra trocar de curso, pelo amor de Deus nãaaaaaaaao é isso, mas sabe, eu acho que a gente tem sempre que tentar uma coisa diferente.
    Então, sabe Nina, não se preocupe com o que as pessoas falam e tudo o mais, por que, eu certamente não ligo e sou extremamente feliz assim. Quando você diz que não quer casar, ou ter filhos, poxa isso é legal, é uma escolha sua e tudo o mais, mas ó, cuidado pra você não exagerar ok? Moderação em tudo, promete?
    Eu sou a Mestre em tomar uma decisão e daí ficar cega quanto ao resto das possibilidades. Mano, já sofri demais por causa disso. E certo, você até pode cometer os mesmos erros que eu, mas olha, isso dói pra caramba.
    Talvez você nunca encontre um Michel Moscovitz, mas sabe, você não é a princesa Mia. Talvez você só precise encontrar alguém que te faça sentir bem, como o Michel faz a Mia. Esteja aberta ás possibilidades.
    E, mais uma vez, não se preocupe com o resto do mundo. Você pode mudar o mundo, sempre digo isso. Qualquer um pode.
    E sabe, se você estiver preocupada em como é difícil mudar o mundo e tudo o mais, e, como é difícil fazer diferença na vida de alguém e tudo o mais... Você já faz muita diferença na minha vida ;)
    BOAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA VIAAAAGEM Renegade (ai meu Deus, quem é que vai ler um comentário desse tamanho?)

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM