Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

{Poema}

by - janeiro 05, 2012

Hellows, everyone! *-* 

Eu sei que não estou mais postando com muita frequência, mas é por causa do vestibular! No domingo começam as provas, e eu estou estudando pra caramba... estou muito sem tempo, mesmo. Nem ligar a TV consigo mais D:

Estou já devendo três resenhas e não sei quando vou postá-las. Pensei em fazer a de Um Dia hoje, mas acho que não vai dar tempo (sem contar que estou sem inspiração para fazer). Se eu acabar de ler O Preço de uma Lição ainda essa semana, já serão quatro resenhas pendentes! D: Mas juro que uma hora elas aparecerão, só me deem um tempo, ok? 

Vim aqui especialmente para postar minhas fotos do Ano- Novo, que a Gabi Wegner me pediu, mas acabei de descobrir que minha câmera está descarregada e ela não vai carregar hoje (ela demora quase um dia para completar a carga!), e não posso postá-las hoje! Desculpa, Gabi! Mas prometo que na sexta-feira, sem falta, as fotos estarão aqui! 

Por isso, ao invés de postar as fotos, vou postar um poema livre que fiz no meio da aula de Biologia, ontem! Ele ficou meio emo e dramático, mas não tenho mais nada para postar hoje além disso!

É difícil respirar aqui, minha garganta ardente tenta gritar
O som é alto, e o mundo está disforme
Tento aguentar, tento resistir, tento fingir
Conversas fluem, pessoas passam, continuo a mesma
O desagradável som da rejeição dói em meu peito

Meu coração reclama, pede por solução
Não quero mais sofrer, não quero ser invisível
Sair daqui parece difícil e preciso de ar puro
Preciso de salvação, preciso de uma prece
Se existia solução, agora as cordas foram extinguidas
Adeus ano novo, adeus vida nova

Estar aqui é a pior coisa, é uma ideia falsa
Sorrir parece fácil, mas não é quando você está machucada
Não consigo pensar, meu corpo dói; o vazio é branco e cega
A razão não funciona, você vai ter que pegar meu coração para enxergar
Não há mais ódio, só a apatia de alguém que não é útil
Largar isso é fundamental, é o Paraíso para alguém que quer morrer

Se existia uma maneira de recomeçar, oh, eu estaria lá esperando com as mãos estendidas
O problema deixou de ser eu depois que a cor esbranquiçou 
Ninguém mais entende por que o jardim não floresce mais
As marcas ardem em minha pele, vermelhas e dolorosas
Às vezes, ser alguém como eu não é um presente; você sofre para ter sua identidade
O coração explode, tremelicante, implorando por ajuda e compreensão

MANO, ESTOU ME SENTINDO UM POETA ROMÂNTICO DE TÃO CHATO QUE FICOU O POEMA! Mas eu não estava a fim de prestar atenção na aula e comecei a rabiscar no livro, então saiu essa coisa dos demônios aí!

Se você gostou coitada de você deixa um comentário! Se você concorda comigo que isso é um lixo (e que eu deveria ter tido vergonha na cara antes de postá-lo aqui) parabéns, você tem bom senso, comenta também. 

Fiquem bem e esperem que eu vou voltar, juro!

Com todo coração,
Nina.

You May Also Like

2 comentários

  1. Oi Nina!
    Pena que não deu para postar as fotos... =/
    Vou aguardá-las, hein?
    O poema ficou lianda!
    Você tem jeito pra coisa. hahha
    Beijos,

    ResponderExcluir
  2. Nina, tenho duas palavras: poema lindamente lindo. tá foi três palavras mas não vem ao caso,sabe o que eu acho ? você devia largar a vida de estudante e virar poeta. e quem sabe virar uma famosa poeta no brasil e mundialmente, e que daqui mil anos estaremos comentando seus poemas divos para futuros herdeiros. Olha que lindo o futuro. *w*

    Fora isso você tem que continuar fazendo o poema e parar de falar mal dele. hunf.

    e....... cade as fotos do ano novo hem? u.ú to a espera para ver e comentar *w*

    bjos s2.

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM