Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

{Resenha do Livro: Todas as Estrelas do Céu - Enderson Rafael}

by - fevereiro 09, 2012

Humor: abalado (vocês irão entender na resenha).
Música: Taylor Swift e Paula Fernandes - Long Live (sim, de novo).

Ok, essa é resenha que mais aguardo por fazer. Não somente pelo livro em si, mas porque ele é uma referência de trabalho para mim. Como vocês sabem, eu sou escritora. Já quase tive um livro publicado. Mas não desisto. Bem, bem, bem. Todas as Estrelas do Céu, para começo de conversa, tem o mesmo tema do meu livro-bebê (o Cor de Violeta, que já postei alguns fragmentos neste link): amor entre irmãos. É, eu sei. Idiota. Provavelmente ridículo. Minha mãe diz que o tema é batido demais. Opa, vamos lá. Preciso me justificar: o livro não abriga somente o amor de Violet e Adam, há muito por trás e pelas beiradas do relacionamento deles. Cor de Violeta não é meramente um livro que aborda sobre o amor incondicional; ele também entrelaça pontos comuns e diários de nosso cotidiano. A família Hamsley é muito conturbada, uma coisa rapidamente nós nos identificamos. Nenhuma família é plenamente estável, não é mesmo? Confesso que há muito de mim neste livro, muito da minha vida, muito das minhas lições aprendidas. E acho que é por isso que ele é o meu livro-bebê. 

Vamos à resenha, né? 

Título: Todas as Estrelas do céu
Autor: Enderson Rafael
Editora: Novas Idéias
Páginas: 159
Gênero: drama/romance

Antes de começar a contar a história do livro, deixo com vocês duas frases que me marcaram durante a leitura.

"Nenhum amor é amaldiçoado, está é justamente a face mais perfeita do imperfeito ser humano"

"Qual opção se deve escolher quando não se tem nenhuma?"

Eu acredito no amor. Não é muito, mas acredito. Nunca vivi nenhum tipo de amor arrebatador, mas os que vivi foram quase suficientes para eu querer conquistar um amor de verdade. Acho que o amor foi o único dom que Deus concedeu a nós que influencia qualquer outro sentimento; solidariedade, compaixão, satisfação. Tudo gira em torno do amor. Ele não é fácil de se conquistar, mas quando é represado por nós, é a nossa maior munição. Não devemos renegar o amor só porque ele é diferente, só porque ele não está de acordo com os padrões da sociedade. Aliás, o que a sociedade sabe sobre algo? Não é ela própria, no Tennessee, neste exato momento, que está tentando aprovar uma lei que dá permissão a xingamentos contra homossexuais? Não é ela própria que deixa o rico mais rico e o pobre ainda mais miserável? Eu sou a favor do amor, de qualquer tipo. Amor é amor; amor se sente, não precisa de uma explicação. 

"O amor é. Ele simplesmente é! Não podem fazê-lo desaparecer, é a razão de estarmos aqui. É o topo da vida. E, quando você chega ao topo e olha para todos lá em baixo está preso nele para sempre, pois se tentar mover-se, você cai..." (trecho tirado de um filme, que agora não me lembro o nome, rsrs).  

Bem, Todas as Estrelas do Céu não é o tipo de livro que tenta fazer a sua cabeça. Ele não dá indiretas ou até mesmo diretas. Ele não diz: "esse é o caminho certo". Cada um com a sua opinião. Claro que o assunto é polêmico, mas Enderson não faz disso um circo. A história é bem delineada e objetiva: trata-se de um casal que, por uma dificuldade, não podem ser aceitos na sociedade. Carol e Leandro são irmãos. Leandro é o filho adotivo e cresceu sabendo da verdade. Caroline é a filha legítima, mas trata Lê como um igual, como um irmão de sangue. O relacionamento deles é divertido, amoroso e verdadeiro - de até dar inveja em muitos irmãos de sangue. Eu mesma não tenho esse tipo de relacionamento com o meu irmão. Porém, no decorrer das páginas, eles começam a entender o que se passam em suas cabeças - e principalmente em seus corações. Amor, simplesmente amor. Aquele tipo de amor protetor, que acolhe a gente e que nos faz nunca mais largá-lo. No começo, eles vivem esse amor às escondidas, sem o conhecimento de ninguém, até que Leandro acaba entendendo uma situação errada e dá com a língua nos dentes. E a partir daí, o casal passa a sofrer com a separação forçada. Mesmo com Carol mandando cartas para Lê, a saudade é forte. 

Eu estava lendo Filha da Tempestade, mas tive que ler rapidinho Todas as Estrelas do Céu; aliás, ele é tão pequeno que dá para ler um duas horas. Adorei os nomes dos capítulos, todos com nomes de estrelas ou constelações. Dá um que a mais ao livro. O que dizer? Apaixonante, arrebatador e encantador. Não me arrependi de tê-lo comprado, acho que, na verdade, esse livro vai ficar como uma lição de vida. Ah, meu Deus, e o final? O final é surpreendente, inesperado mesmo. Confesso que chorei (sim, eu sou chorona), me doeu o coração o final. 

Agora me diga: que tipo de amor você espera encontrar? Acha certo amaldiçoar um amor só porque ele não é convencional?

É isso que deixo para vocês. 

Nota: 

Com todo coração, 
Nina. 

You May Also Like

2 comentários

  1. YYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYEEEEEEEEEI! Eu estava doidinha pra ler esse livro *_*
    Gostei muito da sua resenha :)
    O autor é brasileiro?
    Nina, já terminei de ler os três Rainha da FOfoca, agora estou com Um Dia, e, se a minha irmão não for lê-los, já vou poder mandar tudo pra você esse mês! :)
    Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeijos ;*
    (L)

    ResponderExcluir
  2. Oooooi Nina! hahahahaha eu já terminei de ler os três Rainha da Fofoca hahaha
    lembra que eu te falei?? que eu já tinha terminado de ler os livros que você me emprestou, mas nao mandei de volta por que a minha irmã talvez vá ler.
    aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadorei os Rainhas.
    Mas ainda falta um pouco pra Um Dia
    beijos ;*

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM