27 de março de 2012

#Top 5: Atrizes em Clipes

Oi oi! *-* Mais uma coluna #Top 5! Eu realmente estou amando fazer essas colunas *-* Um dos meus assuntos preferidos é música, então já viu, haha! A coluna de hoje é sobre atrizes em clipes, porque uns dos meus clipes preferidos têm algumas das atrizes que mais gosto! *-* 

Sei que esse clipe já foi postado aqui no blog, mas acho que ninguém comentou sobre ele. Eu adorei o estilo do clipe e além de ter a Miley, o Kevin Zegers participa dele também! *-* Achei que os dois combinaram muito, apesar de, tecnicamente, a Miley já ser do Liam Hemsworth... haha.

Aaah, Emma, sua linda! Adooro a Emma, gente! Desde Aquamarine! Ela é tão fofa *-* E o clipe ficou tão vintage, perfeito! A música não é lá muita coisa (pessoalmente eu não gostei muito), mas vale a pena ver só por causa da Emma!

Desde a primeira vez em que vi esse clipe eu fiquei viciada! Na música e no clipe! Soube que na época em que ele foi gravado, a Emma Watson estava namorando o vocalista da banda. Não sei por quê, mas a banda me lembra um pouco os Strokes

Eu via esse clipe na época em que não era fã de Gossip Girl nem da Leighton, e já adorava. Imagine quando comecei a ficar viciada no seriado e na Blair... E a voz dela é bem boa. 

Vou falar: Capital Inicial é a minha banda nacional preferida! *-* Amo qualquer música deles e qualquer clipe! E achei esse clipe bem legal, com a Fernanda Souza. 

E aí? O que acharam desse #Top 5? Se você gosta de pelo menos uma dessas meninas que se infiltraram no mundo da música, deixe um comentário ;) De qual música e clipe gostou mais?

Com todo coração,
Nina. 

24 de março de 2012

Sneak Peek do primeiro capítulo de Hanna

Oi oi, sweethearts! (estou me sentindo muito o Haymitch falando assim, haha, mas deixa pra lá u-u).

Para esclarecer, Hanna - Porque fugir duas vezes é sempre necessário é um livro original que estou escrevendo aos poucos. Eu nunca tive muita coragem de expor meus livros, só as fics. Mas achei que poderia querer opiniões sobre este livro em especial. 

Sinopse: Hanna sempre passou despercebida por entre as pessoas. Leva uma vida pacata, onde tem de equilibrar cuidar de si própria e cuidar da família – sua mãe e sua irmãzinha. Seu pai há muito já não é mais um ponto questionado ou amado. Hanna espera receber amor de algum lugar, espera uma chama de esperança, apenas para reconstruir a vida e ser alguém independente. Juntamente com seus melhores amigos Kurt Miller e Kimberly Foel, Hanna passa por todas as situações de uma adolescente comum, porém com muito mais intensidade. Porém, quando Hanna conhece Patrick Noel, sua vida começa a estranhamente mudar. Ela sê vê diante de um dilema amoroso, mas, além disso, pode ser que ela venha a descobrir algo muito sombrio sobre o novo amigo, o qual a leva para a iminente morte algumas vezes. Uma caçada por coragem, amor, perdão e, especialmente, autoconhecimento é no que o leitor mergulha, sempre aprendendo uma lição a cada passo de Hanna.

Capítulo Um

Olho-me mais uma vez no espelho. Sorrio. Eu estou parecendo um filhote de camundongo todo bagunçado. Não me assusto com o meu reflexo, porque penso que já estive pior. Tenho certeza de que a menina dos cabelos lambidos e disformes que me olha agora, com esses olhos azuis claros demais e com a cicatriz na bochecha esquerda, está melhor do que estava ontem à noite. Sei que ela está cansada e provavelmente com muita fome, mas ela sabe que não pode retroceder agora. Fazer isso colocaria tudo abaixo, e essa menina tão esquisita e de sorriso mínimo – muitas vezes sarcástico – poderia se meter numa enrascada absurda. E ser perseguida pela polícia é tudo o que ela não quer que aconteça.
Só quando tenho a necessidade de agarrar a borda da pia encardida e maculada que percebo que estou tremendo. Não é de frio ou de pavor. Não, isso se chama satisfação. Eu sei que passei dos limites, mas a sensação é maravilhosa; é como estar na montanha-russa e sentir-se voar a cada looping. Ou como devorar o seu hambúrguer com carne preferido depois de ficar comendo por uma semana verduras e vegetais.
Eu consegui. Posso estar em um estado quase deplorável – meu cabelo realmente merece um banho -, mas eu realizei o que planejei. Isso é fantástico. Isso me deixa com pontos extras no meu dia a dia. Provavelmente agora eu vou poder comprar aquela manta cor de rosa felpuda que Hayley tanto quer e uma máquina de lavar para minha mãe. Ainda não sei o que falarei a elas quando virem o que tem na bolsa, mas sou ótima com mentiras. Sei fabricar uma mentira num piscar de olhos e sem gaguejar. Devo ter herdado isso de meu pai.
Meu estômago reclama e eu recordo que não como nada desde a tarde passada, quando Kim me levou aquela cesta de pãezinhos decorados. Aliás, eu odiei os pãezinhos, preferiria dos biscoitos que a avó dela faz, mas Kim explicou que vovó Foel está trancada no quarto desde sexta-feira, porque seu filho – pai de Kimberly – é um “fascista desmiolado com problemas mentais”.
Maneio a cabeça, tiro umas mechas da frente de meus olhos e observo a bolsa jazida em cima da tampa da privada, que também está em estado lamentável. Ainda bem que não tenho necessidades fisiológicas nesse momento, porque realmente seria complicado fazer qualquer coisa nessa patente. Sei que pareço um rato de esgoto, mas já tive aulas de Saúde e sei que se não quero morrer por uma infecção urinária, é sempre melhor eu não usar banheiros públicos, especialmente os da estação de trem.

~to be continued~

Quer ler mais? Vá na aba "LIVRO: HANNA" ali em cima, ou clique aqui! Comentem sobre os capítulos nos Sneak Peeks, ok? 

Com todo coração, 
Nina. 

#Resenha do Filme: Inverno da Alma

Para quem nunca ouviu falar deste filme antes de saber que a Jennifer Lawrence cedeu seu rosto bonito para viver a Katniss Everdeen em The Hunger Games, provavelmente não tem uma opinião formada acerca do mistério que ronda Inverno da Alma. Eu já tinha ouvido falar deste filme, porque ele foi indicado no Oscar em 2011, mas apenas agora tive mesmo a ganância de assisti-lo! 


Título Original: Winter's Bone
Direção: Debra Granik
Duração: 100 min
Ano: 2010
Gênero: policial, drama
Nota: * * * *






Inverno da Alma é um tipo de filme independente quase comum. Do tipo quanto mais esquisito, real e cru for, melhor. Com seus cenários sempre interioranos e representando uma dura realidade, a história apresenta Ree Dolly (Jennifer Lawrence), uma garota de 17 anos que não tem tempo nem hábito de frequentar baladas, correr atrás de meninos e estar sempre na moda. A vida de Ree baseia-se em cuidar dos irmãos mais novos, da mãe - sempre em estado um pouco catatônico - e da casa. Eles moram na afastada região montanhosa de Ozark, no Estado do Missouri. O pai, Jessup, está ausente; está preso por tráfico de metanfetamina. Ree recebe a visita do xerife Baskin, que não tolera. Ela ainda está convencida de que foi ele que denunciou seu pai sem se preocupar com as provas do delito. Baskin a informa que Jessup acaba de ser solto, mas se não comparecer a um determinada audiência, sua fiança lhe será retirada. E a garantia que o pai de Ree ofereceu foi simplesmente a casa em que a família reside. Para não perdê-la, Ree tem duas opções: achar seu pai e conduzi-lo às autoridades, ou provar que ele está morto. A jovem, então, começa a investigação pela cidade, embora não seja o tipo de pessoa que os vizinhos apreciam. Ree tem que lidar com ameaças e desafios para desenterrar a verdade sobre seu pai.



Esta produção é claramente um filme noir (estilo de filme estruturalmente associado a enredos policiais, que retrata seus personagens principais num mundo cínico e antipático). As principais características do gênero estão lá: um personagem desaparecido (que pode ou não estar vivo), os obstáculos que se despendem pelo caminho (os parentes e conhecidos consultados por Ree não revelam tudo aquilo que parecem saber), e o fator tempo (se a garota não localizar seu pai, perderá a casa). Porém dá para perceber que o desaparecimento de Jessup é apenas a ponta do fio, porque a trama ronda, naturalmente, a situação da jovem que luta para manter sua família unida, preservando sua dignidade naquele ambiente hostil e rústico. 


Inverno da Alma é o segundo filme da diretora Granik. Em 2005, ela escreveu e dirigiu Down to the Bone, pelo qual ganhou o prêmio de melhor direção no Festival de Sundance. Lá, ela contava a história de uma mulher que cria seus filhos ao mesmo tempo que tem lidar com seu vício em cocaína. Aqui, Granik revisita alguns desses mesmos temas, em especial a crise da família e o consumo de drogas. Ao mostrar o modo pelo qual Ashlee acorda Sonny pela manhã, como eles brincam no pula-pula, e criam vários cachorros ao mesmo tempo, a diretora nos transmite a sensação de existe ali uma família verdadeira e não apenas aquela imaginada por muitos. 



O destaque vai para Jennifer Lawrence, no papel de Ree. Sua personagem está em praticamente todas as cenas. Ree são várias mulheres em uma: ao peregrinar de casa em casa, em busca de informações sobre o paradeiro do pai, Ree é determinada. Ao cuidar de seus irmãos, Ree é maternal. Ao chorar na frente da mãe, Ree é simplesmente uma adolescente que precisa de colo. A falta de dinheiro faz com que ela sempre dependa da boa vontade dos vizinhos. Ainda assim, ela ensina aos seus irmãos que não se deve suplicar por aquilo que deve ser oferecido. Ao lado dessa lição de dignidade, Ree mostra uma coragem e um amadurecimento que vão muito além da sua idade real. Dada à ausência do pai e à doença da mãe, ficamos imaginando de quem ela adquiriu essas virtudes. Dentro do seu mundo, Ree é uma super-heroína às avessas, sem super-poderes, e sem capa. 

Achei Ree muito semelhante à Katniss, de The Hunger Games. As duas personagens vivem praticamente na linha da pobreza, tentam ensinar bons valores aos seus irmãos e são as provedoras de suas famílias. Ree pode não carregar um arco e flecha, mas é durona como uma heroína real, tal como Katniss. 


No final das contas, Inverno da Alma entrega exatamente aquilo que promete: uma boa história de superação, ambientada num universo bem distante de nós brasileiros, com personagens bem desenvolvidos e com os quais podemos nos identificar e torcer. Mas fica no ar uma sensação de vazio, de que o filme poderia ter ido mais longe. O que, no fundo, talvez sejam as principais características do cinema independente americano. 


Eaí? Vocês que gostam ou não da Jennifer ficaram com vontade de ver o filme? De verdade, o filme parece nada demais, mas a atuação da Jennifer faz com a história se torne muito vívida e natural. Eu, que não a conhecia, fiquei realmente feliz por ela ser tão boa atriz! O que vocês acham da Jen? 


Com todo coração,
Nina.

23 de março de 2012

#Happy Hunger Games!

Omg, omg, omg! FINALMENTE CHEGOU SEXTA! Mas vai ser melhor ainda quando chegar amanhã, às 13:10h :))) E eu já convenci o meu irmão a ir comigo *-* E terça estarei vendo de novo *-* WHAAAA!


LOOOOOOOOOOOL *-*

Ps: ainda não parei de falar sobre THG, gente. Ainda tenho que fazer as resenhas dos dois últimos livros e a do filme! O que acabou foi só a contagem regressiva ;) Você ainda me verão postar mais coisas sobre THG pra sempre, kkk ~le sorrindo misteriosamente~

Com todo coração, 
Nina. 

22 de março de 2012

#Falta 01 dia

Quem está surtando comentaaaa! ~le correndo pela sala~

POR QUE EU NÃO POSSO FECHAR OS OLHOS E JÁ PULAR PARA SÁBADO? Porque eu só vou ver o filme no sábado... D:


Vocês já viram o vídeo da paródia do trailer do filme? Achei engraçadinho, mas não tãããão hilário...


Happy Hunger Games for everybody :DD

Com todo coração,
Nina. 

21 de março de 2012

#Faltam 02 dias

Mother of the God DD: Cadê sexta-feira????


Caveeerna! *-* 

Vocês souberam que algumas cenas vazaram?? Eu não vi nenhuma além da cena do pão, porque eu realmente quero ver tudo nos cinemas! Quero surtar lá na hora, não antes! E vocês? Viram alguma cena? 

Happy Hunger Games for everybody :DD

Com todo coração,
Nina.

20 de março de 2012

#Faltam 03 dias

LOOOL *-* I can't believe that day is coming! *-* 


Happy Hunger Games for everybody :DD

Com todo coração, 
Nina. 

19 de março de 2012

#Faltam 04 dias

Oi oi!

Sim, eu ainda estou surtando. Não, eu ainda não acabei de ler Mockingjay. E, sim, minha mãe ri de mim toda vez que começo a dizer alguma coisa sobre os Jogos Vorazes '-'


*-* 

Happy Hunger Games for everybody :DD

Com todo coração, 
Nina. 

18 de março de 2012

#Faltam 05 dias

Por que a gente não pode já pular para sexta-feira???? Essa semana não deveria existir! D: 

Effie, por que você me lembra tanto a Cara de Sapo? 

Happy Hunger Games for everybody :DD

Com todo coração,
Nina.

17 de março de 2012

#Faltam 06 dias

Helloooo! :)

Sim, eu vou ficar postando isso até o dia da estréia! Haha. Tenham paciência com os meus nervos ansiosos e completamente retardados! :3

Esses dias eu entrei no maior site sobre os Jogos Vorazes daqui do Brasil e descobri que, assim como fizeram (ou vão fazer, non sei) com Crepúsculo, Jogos Vorazes também ganhou um gibi! Consegui a ilustração do início da trilogia, vejam só:


Pobre Buttercup! Apesar de eu não gostar de gatos, eu realmente gosto do Buttercup! E o último quadrinho é hilário! *-* 

O que acharam do começo do gibi? Eu realmente adorei, muito fofo! 

Happy Hunger Games for everybody :DD

Com todo coração, 
Nina. 

16 de março de 2012

#Faltam 07 dias

OMG, SÓ MAIS SETE DIAS! LOOOOOOL 

QUEM MAIS ESTÁ MORRENDO COM ISSO????

Hoje eu acabei de ler Catching Fire e meu coração quase morreu ))): O M G!



Katniss e Peeta na mesa da Capital, desfrutando de um jantar que nunca tiveram oportunidade de ter; afinal, eles moram no Distrito 12, né? 

Happy Hunger Games for everybody :DDD

Com todo coração, 
Nina. 

15 de março de 2012

#Faltam 08 dias

Oi oi, amores! 

Vocês não tem noção da minha ansiedade para ver Jogos Vorazes! Eu fico toda felizinha quando passa o trailer e fico monologando acerca disso para meus pais (que já estão cheios de mim, haha). Hoje eu saí da aula de Inglês (que infelizmente não é com o Sr. Fitz, bubu) e vi uma propaganda do filme e entrei literalmente em crise no meio da rua. O amigo do meu irmão com certeza acha que eu tenho problemas, really. 

Eu não fiquei toda retardada como agora nem quando estava prestes a estrear HP Parte 2! Faz realmente muito tempo que eu não fico contando os dias para ver algum filme! E olha que eu nem super amei o primeiro volume da trilogia! Mas estou acabando de ler Catching Fire e devo dizer que estou... literalmente amando! Apesar de a Katniss ainda me irritar muitas vezes.

E para iniciar essa contagem regressiva, vou postar a outra música da Taylor para a trilha sonora do filme, chamada Eyes Open, que, na minha opinião, não é melhor do que Safe & Sound, mas é tão boa quanto! 

Tay arrasando mais uma vez! *-* 

E você, está ansiosa também para ver Jogos Vorazes??? O que espera do filme? COMENTE!!

Com todo coração,
Nina.

12 de março de 2012

#Resenha do Livro: Perdida - Carina Rissi

Oi oi, meus amores!

Sejam bem-vindas ThaísÁgatha e Amanda! Espero que vocês se divirtam aqui e encontrem o que precisam! 

Mas, o post de hoje é mais uma resenha! YAY! Eu li Perdida há uns dias, é verdade, mas não tive muito tempo para preparar a resenha, e só consegui fazê-la hoje! Me perdoem, ok? '-'

Título: Perdida
Autora: Carina Rissi
Editora: Baraúna
Páginas: 472
Gênero: Romance


Sofia é uma típica garota do século XXI. Não vive sem a tecnologia e sem seus romances preferidos. Mas sua vida drasticamente, quando, por acidente, deixa cair seu celular no vaso sanitário. Por conta disso, tem que ir atrás de um novo aparelho e acaba encontrando uma atendente muito esquisita, que lhe vende, por um preço baixíssimo, um novo aparelho que, aparentemente, tem tudo o que Sofia precisa. Animada, antes mesmo de chegar em casa, resolve testar o novo celular, e aí que sua vida muda completamente. Ela se vê num ambiente antigo, sem prédios, sem banheiros e onde meninas não devem mostrar as pernas. Ela está em 1830. Loucura ou não, ela acaba sendo ajudada por Ian, um cara todo cavalheiro, que a leva até sua fazenda para se recuperar, pois ele acha que Sofia bateu a cabeça e está dizendo coisas sem sentido. Sofia rapidamente pega o ritmo da família, tentando se contentar com o que há nesse mundo; sem eletricidade, onde uma viagem pode durar horas e onde mulheres não frequentam faculdade. Dias após sua chegada, ela descobre que um cara foi assaltado, e ela acha que ele pode ajudá-la a voltar para os dias de hoje; porém, isso não passa de um pensamento muito mal interpretado. Sofia, cada vez mais apaixonada por Ian, se vê sem saída. Não quer ir embora dali, mas ao mesmo tempo, precisa voltar para sua vida. Quando consegue voltar para os dias atuais, sofre pela perda de Ian, e quer desesperadamente encontrar a moça que lhe vendeu o aparelho “mágico”, para que ela conserte as coisas e veja que o lugar de Sofia é ao lado de Ian.

Esperei uns seis meses para ler este livro. Procurei-o incessantemente pelas livrarias e uma amiga até tentou me dar de Natal. Então, depois de tanta expectativa, esperava que o livro fosse maravilhoso. E ele é, embora eu tenha me irritado em várias partes. O engraçado é que a autora é brasileira, coisa que só fui descobrir quando comecei a lê-lo. A história é bem clichê; a menina que não acredita no amor e que conhece um cara por quem se apaixona e não “consegue viver sem”. Achei interessante a autora ter abordado o tema dos “buracos de minhoca”, ainda que eu não acredite nisso. Analisando amplamente o livro, considerei Sofia uma personagem fraca e boba. Ela tem vinte e poucos anos, mas age como se tivesse quinze. Ian, por outro lado, é galante e um homem correto; ele é o típico personagem masculino que encanta as meninas. Não sou fã de personagens perfeitos. Não gosto de pessoas perfeitas. O livro é bem escrito, o que é um ponto positivo em toda a minha irritação para com ele. Se o enredo não fosse tão bobo e clichê, eu teria aproveitado bem mais, teria apreciado de verdade os personagens.

O que vocês acharam do meu parecer? Gostaram? Ficaram a fim de ler o livro? Alguém já leu e tem outra opinião? COMPARTILHEM COMIGO! Comentem :)

Com todo coração, 
Nina.

9 de março de 2012

#Don't Stop The Music

Olá, galera! *-* Como vocês vão? Eu estou cansada; ou melhor, meus braços estão cansados, porque ontem tive que pegar a Mel e sua família do terreno para levá-los para castrar. E não é brincadeira pegar quatro cachorros de uns vinte quilos no colo! 

Mas como você poder ler no título da postagem, não venho aqui para falar sobre os cachorros que estou tentando doar, mas, sim, sobre música! Duas coisas que não vivo sem: livros e música. Se alguém tirar uma dessas coisas do meu dia a dia, sério, eu fico muito irritada. Especialmente a música, já que sou do tipo todo-momento-precisa-de-uma-trilha-sonora! 

No post de hoje trago Jasmine van den Bogaerde, mais conhecida pelo seu nome artístico: Birdy. Ela ganhou, aos onze anos, em 2008, o Open Mic UK. Conheci Birdy através do blog Et Coetra e estou totalmente encantada com a voz dela! 


1- Shelter (ouça aqui)
And I'll cross oceans, like never before
So you can feel the way I feel it too
And I'll send images back at you
So you can see the way I feel it too

2- Skinny Love (ouça aqui)
Come on skinny love what happened here
Suckle on the hope in lite brassiere
My, my, my, my, my, my, my, my
Sullen load is full; so slow on the split

3- People Help The People (ouça aqui)
God knows what is hiding
In that world of little consequence
Behind the tears, inside the lies (...)
God knows what is hiding
In those weak and drunken hearts
I guess that loneliness came knocking

4- 1901 (ouça aqui)
Counting all different ideas drifting away
Past and present they don't matter
Now the future's sorted out
Watch her moving in elliptical patterns
Think it's not what you say

5- Terrible Love (ouça aqui)
And I can't fall sleep without a little help
It takes a while to settle down
My shivered bones
Until the panic sets

Espero que vocês realmente ouçam essas músicas, porque a voz dessa menina é linda demais para não ser apreciada! O que vocês acharam da minha mais nova obsessão? Quem ou que banda você quer que eu ouça e faça um post sobre? Deixem suas sugestões, que prometo que ouço, porque adoro música - desde que não seja funk, ou samba, ou pagode, ou tecno, ou mpb ;) Ok, provavelmente já excluí muitas canções, mas todo o resto tá valendo! :) 

Com todo coração,
Nina.

7 de março de 2012

#Selinho!

Oi oi, gente linda! Hoje trago selinho! *-* Na verdade ele foi passado por duas amigas, irmãs ainda por cima, hahaha! :D


1) Linkar o blog que criou o selinho:

2) Quem enviou o selinho: 

3) Responda:
A- Um livro que te tira da realidade?
R: Filha da Tempestade e Harry Potter (nunca li Senhor dos Anéis!)

B- Indique um livro e/ou autor com o poder de nos mandar para o Mundo Mágico
R: Filha da Tempestade e Harry Potter

C- Como seria o seu Mundo Mágico? 
R: Seria um mundo livre de qualquer tipo de injustiça ou maldade. E teria animais falantes e elfos livres! 

D- Repasse esse selinho para 5 Blogs Mágicos!
     Leia Comigo?
     Gosteii
     April-1993

E- 10 coisas sobre mim:
     R:
     1- prefiro dramas a romances
     2- prefiro animais a pessoas
     3- tenho mais amigos que estão longe de mim do que perto
     5- tenho enxaqueca
     6- já quis entrar numa aula de violão
     7- gosto de dormir muito
     8- sou tímida demais
     9- não me importo com religião
     10- meu shipper preferido de fics é Sirius/Marlene

F- Responda com uma palavra:
Humor: retardado 
Cor favorita: azul e roxo
Uma série: Gossip Girl, Revenge, House, Law&Order, Glee (não tem como citar só uma, rs)
Uma coisa que você diz com frequência: "mano" e "tipo"


Obrigada Gabi e Carol, amo vocês demais, suas lindas! :D

LOL *-* É isso, meus amores! :D Tenham uma ótima semana! 

Com todo coração, 
Nina. 

4 de março de 2012

#Fotos

Humor: não-mexe-com-quem-tá-quieto u_u
Música: All She Wrote - Ross Copperman

Acabei de ler Perdida e ainda hoje faço a resenha, para no meio da semana postá-la aqui! Mas  nesse post trago fotos! Não minhas, mas de dois anjinhos de quatro patas *-* 

Primeiramente quero contar a história da Mel. Ela mora aqui na minha rua, vive no terreno, juntamente com seus irmãos e sua mãe. O dono do terreno que está para vender há mais de cinco anos simplesmente abandonou os cachorros aqui e quem está cuidando deles somos nós aqui da rua. Toda tarde eu levo água e ração a eles. A Mel, a única filhote amarelinha da ninhada, entra no nosso condomínio e vem pedir comida aqui na frente da minha casa todas as manhãs e tardes. Ela é um amor, muito dócil e amorosa. Estamos tentando castrar todos eles para, posteriormente, colocá-los para adoção. Cara, é muito difícil. Temos que lidar com vizinhos que maltratam os bichinhos e com gente que não quer colaborar com absolutamente nada. Esperamos que já no próximo mês alguém resolva adotar algum deles, porque os filhotes já estão com seis meses e já já entra o inverno e eles não podem continuar no terreno nessas condições. Então, lá vai o recado: se alguém é daqui de Porto Alegre, ou próximo daqui, e estiver procurando um cãozinho, adote, não compre. Quem se interessou pela história da Mel e de sua família e quiser nos ajudar com despesas e até mesmo com a adoção dela ou de outro cachorro, entre em contato comigo, porque estamos desesperadamente tentando melhorar as vidas desses pobrezinhos. Meu e-mail para contato é: nina_1612@hotmail.com

As fotos a seguir foram tiradas na frente de casa, onde Mel estava deitada nas nossas plantas ;)






Agora apresento-lhes um dos meus cachorrinhos YorkShires *-* Ele é o pai da prole e é o menorzinho de todos! Aww. Ele estava deitado no meu travesseiro, babando - literalmente. 



Eu sei que ele parece um ratinho, mas ele está ficando velhinho e, por causa disso, está perdendo um pouco de pelo D: 

Espero que tenham gostado dessas coisas fofas *-* 

Com todo coração, 
Nina.