Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Goodbye

by - março 08, 2013

Oi, pessoal! *-*

Bem, depois de um tempinho sem um post realmente sentimental de minha parte, precisei usar dos artifícios das palavras para expor tudo o que, nesse momento, está em meu coração. 


_______

Eu deixei que você se fosse. Tentei adiar o momento por tempo suficiente até perceber que ele é determinativo; você tinha de partir, e eu não tinha meios de modificar o futuro iminente. 
Foi a coisa mais árdua que me aconteceu. Até então eu tinha certeza de tudo. De cada passo, meu e seu. Sabia onde estaria e onde me encontrar caso me perdesse. Mas me deparei com o muro que nos separa do passado e também que me separa de você. Ele estava no nosso caminho e não podíamos retroceder, porque ele é o nosso futuro, também. Aquele futuro desconhecido do qual temos medo, porque não sabemos o que fazer amanhã e ocupa cada pensamento nosso; fica martelando na nossa mente avisando: Você vai crescer. 
Mas crescer é odioso. Temos de deixar coisas para trás das quais nos orgulhamos um dia e das quais carregaremos um pedacinho para o resto de nossas vidas. Uma conversa, uma aula, uma música, uma risada. Tudo isso foi deixado para trás no momento em que pulamos o Muro do Futuro. E, agora, não temos mais nada além do vazio e de toda a incerteza que acumulamos durante o ano. Estamos prestes a chorar e a implorar para que tudo aquilo - toda  determinação e toda a convicção - retorne para nossas vidas. 
O novo pode parecer assustador e desanimador, mas é necessário para criarmos novas lembranças e novas experiências. Entramos na escola aos prantos, mas, agora, mais de dez anos depois, tudo aquilo que nos foi proporcionado dentro dela nos faz sorrir, saudosos. E cada etapa arranca sorrisos. Temos de nos adaptar a cada uma delas; é a forma natural das coisas: a cada ciclo encerrado, outro é acionado. Nós nunca paramos de sentir medo diante o futuro. 
E foi por conta disso que estou aqui, e você bem aí, em algum lugar que vai lhe oferecer oportunidades para buscar o destino. Cada separação é um aprendizado, é como cultivar um sonho: a cada dia que se passa, mais perto da sua realização você está. Quanto mais pararmos de focar em nós, mais rápido estaremos juntos mais uma vez. E você tem que passar por esses dias de desalento. Tem que se arriscar, mesmo que isso lhe provoque um frio na barriga. 
Confesso que esperar o futuro chegar é aflitivo; o que pode estar nos esperando? E se não conseguirmos nada do que sonhamos? E se pararmos na metade do caminho e não conseguirmos retroceder para recomeçar? E se perdermos tudo? 
Dá medo, muito medo. Porque a vida, por mais que saibamos que tem um rumo mais ou menos traçado, às vezes, nos leva para longe dos trilhos corretos. Parece que ela quer testar até quando iremos suportar o fracasso e a desorientação. Temos que segurar firme para não desabar. 
Infelizmente, o futuro me reservou isso: a minha completa incerteza defronte qualquer tipo de decisão. Mas isso não importa, porque sei que você está aí com a sua segurança toda, transformando o mundo aos poucos com o brilho que eu tanto adoro. Todo esse procedimento é inegável, porque você vai crescer. Nada é mais importante do que isso. Você vai chegar onde quer
É triste saber que, para tanto, temos de nos desgarrar de tudo que nos fez ser quem somos hoje. É difícil olhar para o passado como se não tivéssemos feito parte dele, como se fosse uma fotografia muito antiga para qual miramos com surpresa. Então chegamos aqui largando tudo aquilo pelo caminho? Não é agradável de se aceitar, porque tudo o que queremos fazer é reunir cada segundo mais uma vez e revivê-los para sempre, ignorando o que está por vir. 
Mas para se viver, é preciso arriscar a todo instante. Cada passo em falso, cada abraço, cada lágrima é o que nos joga para o próximo nível; para o que, de um jeito ou de outro, iremos enfrentar, quando for a hora. 
Não temos certeza de nada, até o momento em que temos de decidir todos os próximos anos. Tenho certeza sobre você ser especial, e que seus anos serão incríveis. Sei que tudo vai se ajeitar com o tempo; toda a confusão, todo o nervosismo, toda a sensação de não ter mais um chão sob seus pés. Tudo passa, de verdade. Demora, sofremos, queremos desistir, mas tudo se estrutura de novo. Quando alcançar sua estrela e voltar, vai parecer que nada ocorreu, que nada foi alterado. E seremos de novo, você e eu.
Odeio despedidas, mas amo você. 


________

Bom. O texto, por mais que insinue, não tem definitivamente a ver com a Rachel e o Finn. Tem a ver com todos os sentimentos que nos atacam assim que nos deparamos com uma separação e uma despedida. Elas podem ser passageiras ou definitivas, mas sempre parecem que estão arrancando nossos corações de nossos peitos. 

Não cheguei a assistir Glee desde o começo e, até ano passado, eu realmente achava que o elenco deturpava todas as músicas cantadas no seriado. Não me lembro por que me peguei assistindo alguns episódios na Fox, da segunda temporada, mas sei que pensei que fui muito mesquinha por concluir que Glee não é um seriado que levaremos para toda a vida. Minhas relações com alguns personagens são tão fortes que, às vezes, chego a querer que eles saiam da tela para me fazer companhia durante os meus dias. 

Ano passado passei bastante tempo na casa da minha avó e tive de encarar a morte de um ente próximo, e foi aí que quis ver a série na íntegra. Peguei desde o primeiro episódio, o que rendeu algumas reclamações da minha avó, porque eu não saía do computador por estar grudada aos episódios.

E, há uns dias, assisti o último episódio da terceira temporada. Chorei durante todo o episódio, sem brincadeira. Eu odeio despedidas e vê-los na mesma situação foi como me separar dos meus melhores amigos. Hoje, depois de tanto tempo ignorando a série, sinto que todo mundo deveria assisti-la pelos mais variados motivos. Ela é como aquele nosso livro preferido: sempre iremos querer tê-lo por perto e levaremos para sempre no coração. Tenho grande apreço por cada um dos personagens - mesmo a Rachel, de quem eu tinha certa implicância no começo -, porque cada um me ensinou lições que nunca vou conseguir esquecer. Vou levar para a minha vida. Para mim, esse é o melhor seriado que puderam imaginar fazer, porque nele encontramos amigos de verdade; daqueles que tem os mesmos defeitos que nós, que passam pelas mesmas coisas que nós, que são iguais a nós. 

Não é à toa que sou apaixonada por personagens fictícios: eles podem ser melhores do que as pessoas que estão à nossa volta. Eles, de um modo que nunca seremos capazes de compreender, nos completam. 


O que achou do post? Não deixe de comentar! Até a próxima! ;)

Love, Nina. 

You May Also Like

13 comentários

  1. Eu adoro Glee, e também chorei nesse episódio. Te garanto, tem um episódio na quarta temporada, que você vai chorar mais!!!
    Adorei o o texto, parabéns!!!
    http://coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Flor, é como você sabe eu não tenho facilidade de fazer um comentário de um blog. Ainda mais de um blog como seu, afinal, uma coisa tão lindo e maravilhoso, com texto mais lindos e maravilhosos, então sempre acho que meus comentários vai estragar algo que você fez com muito carinho.


    Porém, como você tinha dito "com sorte você comenta nesse post". é você tem razão, realmente foi com sorte que um texto maravilhoso como esses tive que fazer um textinho, e não um comentário simples.


    Como sabes, eu também odeio despedidas, principalmente em uma pessoa que realmente amo e ela é tão ligada a mim. Lembro da formatura do 9ºano e 3ºano do Colegial. São simples momentos em que todo mundo cai na real, principalmente na hora de formar em todos os anos escolar. Pois era hora de pular o muro do futuro e encarar nova realidade. As lagrimas não são ignoradas, muito menos contidas. São essas lagrimas que mostra como amadurecemos em poucos segundos. Afinal, assim que acordamos no dia seguinte da formaturas, encaramos uma nova realidade, uma nova vida, um novo mundo. Era hora de amadurecer.


    Amadurecer nunca foi um problema para mim, o problema foi tentar vencer o futuro. Eu posso ser a pessoa desligada mas pé no chão com a realidade, porém sou a pessoa mais medrosa do mundo. Não gosto do futuro, ele é muito amplo, aberto e misterioso, ele tem um poder que não posso controlar, apesar dos planejamentos. Mas nunca sabemos se tornará real o que planejamos ou não; afinal essa parte está no controle do futuro. Ele pode nos mostrar nada de mais no dia-a-dia, ou até mesmo nos surpreender.


    Seja qual for o método dele, nos amadurecemos. Não percebemos, sério, não percebemos mesmo quando amadurecemos tanto. Só percebemos quando achamos algo que deixamos para trás, esse algo trás sentimentos de saudade, que poderá nos dar alegria ou não. É ruim, mas é a realidade. Nada que é real é bom. Tudo tem seu lado certo em uma balança, e dependendo destino, uma época pesa mais que outro, mas depois superamos e a balança normaliza.


    Então, não sei como terminar meu textinho, porém vou terminar parabenizando por um texto maravilhoso sobres despedida, como sempre, você supera cada vez mais com suas palavras. Será grande escritora. Parabéns, Nina, realmente se senta orgulhosa por esse post. Amei, simples assim.


    bjoos Missy (vc sabe que é a Diih falando haha)

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu texto! É tão sentimental e realmente conseguiu tocar meu coração!
    Eu realmente odeio despedidas, essas mudanças repentinas destroem meu coração, mas sei que as vezes elas não são mais que necessárias.
    Mas ainda assim, doloridas.
    Eu ainda não vi esse episódio, perdi um pouco do fio da meada de Glee quando parou de passar na Globo, mas como eu amo demais Glee, não pude deixar de achar isso muito emocionante! :C

    Parabéns pelo seu blog, ele é realmente lindo! *--*
    Beijoocas :*
    http://meuuniversox.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Não curto Glee...
    Gostei do texto, sentimentalismo a flor da pele. Quem é que gosta de despedida algo tão chato né?!
    Beijos
    brubs
    contodeumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ai que lindo tudo que você escreveu, eu sou tão sentimental e fiquei arrepiada, UHAAHUAHUA eu odeio esse sentimento de despedida também! Parabéns!

    Michelle Boyd
    The Little Things

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina! Como prometido estou passando por aqui. Achei emocionante o seu post. Afinal...quem gosta de despedidas? Passei por citiações parecidas há alguns anos atrás. Apesar de não assistir ao Glee, seu post foi bem claro.. Parabéns!

    Beijos, Talita
    http://livroeneblina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. vontade de chorar só de lembrar desse episódio, sinceramente, há apenas um episódio de glee além deste, que tem capacidade de moer meu coração, e esse é 04x04.
    gostei demais do texto Nina, e estou feliz por você continuar vendo glee :)
    beijos,
    carol

    http://caixa-a-a.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ah eu não assisti glee mas parece que foi muito bom
    bjjs
    raquelmorabito.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. PARABÉNS VOCÊ FOI INDICADA NOVAMENTE PARA POSTAR SOBRE #MEME \o/

    http://livroeneblina.blogspot.com.br/2013/03/meme-incentivo-leitura.html

    parabéns garota sortuda! hahahha

    ResponderExcluir
  10. Não assisti, mas sem quem são esses dançarinos ahahaha.
    Adorei o post, aliás, o texto, me interessei muito.

    *--*
    Clicando Livros

    ResponderExcluir
  11. adorei seu blog flôr
    estamos te seguindo , segue de volta ? beeijos ;*
    http://meninas-anonimas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Me identifiquei muito com esse texto, no final do ano passado tive de dizer adeus a uma das pessoas mais importantes da minha vida. Mas infelizmente foi melhor assim, pra tudo tem um motivo.

    Beijos.
    Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  13. Seu post ficou emocionante, pq pegou um tema tão triste, tão inesperado, algo que nunca iremos nos acostumar. Seja pela partida da vida de algum ente querido, seja por uma mudança de cidade, pela perda de um amigo... Por várias razões nunca estamos preparados para dizer adeus e esse assunto tb mexe comigo.

    Assistia Glee desde que foi lançada e sempre fui apaixonada pela série, mas não sei por qual motivo, parei de acompanhar na terceira temporada e depois fiquei com preguiça de me atualizar. Agora tem tanta coisa atrasada, que só eu tirando um final de semana inteiro pra conseguir recuperar o tempo perdido :x

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM