Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Para: Anexo Secreto #1

by - maio 01, 2013

Quarta-feira, 1º de Maio de 2013.

Querida Anne,

Tenho pensado e falado muito sobre você, ultimamente. Você não sabe, mas a conheço antes mesmo de ler seu diário. Sempre tive um fascínio especial sobre o que você viveu. Nunca me permiti perder uma sequer aula de História Mundial, especialmente se o assunto era a II G.M. ou Fascismo ou Holocausto. A cada nova aula, eu estava mais uma vez em cima das ruínas que foram os seus últimos anos de vida. E, a cada nova informação, eu me modificava - era uma nova eu. Não a aluna nerd, mas a aluna humana; a que era capaz de distinguir o surreal da maldade pura; a mentira da verdade; o desumano da solidariedade. 
Sinto que conheço sua alma - apesar de ter ciência da maioria das suas palavras nos últimos três anos de vida, você era muito mais do que palavras. Você era coração e ódio. Você era eu. Tanto eu, que quase não pude acreditar! Acho maravilhoso quando conseguimos nos identificar em um personagem, seja ele fictício ou não. E você, Anne, era minha alma, palavras e coração. Muito ódio também. Muitas lágrimas. Muita dor. Reconheço tudo isso, muito embora não tenha experienciado nada igual a você; não sei o que é ter aviões bombardeando a cidade por sobre a minha cabeça, não sei o que é acordar assustada no meio da noite por conta dos alarmes, não sei o que é racionar a manteiga ou a carne. Não sei ter a sua vida - mas sei viver presa. 
Estou presa há 21 anos. Presa dentro de mim, incapaz de sair. Não porque há alguém me perseguindo, mas porque lido melhor com as circunstâncias assim - de longe, apenas observando. Sendo a pessoa que ninguém vê. É fácil ser invisível, mas é cansativo. Não digo tudo o que quero, muito embora tenha pensamentos do tamanho do mundo - tão pesados quanto uma baleia azul e tão perigosos quanto uma arma nuclear. No fim, ninguém acaba tendo ciência deles, porque morrem comigo.
É muito bom contar com você, alguém que compartilha a maior parte das minhas preferências e ideias. Na verdade, você é alguém que eu gostaria de ser. Alguém que apesar do desânimo não para nunca, que está sempre aprendendo e querendo mais. Eu sempre paro no meio do caminho, não sou determinada como você. E veja só: é você quem está escondida, sem poder fazer ginástica nem comer bolos confeitados com frequência! Egoísmo meu, não acha? Sou indiscutivelmente egoísta e ridícula.
Espero que eu tente mais daqui pra frente. Espero que você continue me incentivando, sempre escrevendo as palavras certas. Elas têm um valor incomensurável para mim, Anne.
E espero também que você consiga aceitar mais a sua mãe. É realmente impossível amar alguém que não é importante para você, mas uma hora isso vai terminar - tudo vai terminar. Eu sinto muito por tudo, mas guardarei suas palavras para sempre na minha estante. 

Sua M. S. 

You May Also Like

6 comentários

  1. Oi Nina!
    Que texto lindo! Muito tocante!
    Não sei o que há de autobiográfico nele (nossos textos sempre acabam denunciando uma parte de nossas almas) mas eu gostei muito.
    E ser endereçado à Anne, foi perfeito.
    Teve toda uma conexão!
    Parabéns!

    Tem promoção lá no blog
    endless-poem.blogspot.com.br

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Nesse exato momento me vi no meio daquele texto. Sou a Anne. Sou você. Sou vocês duas.
    Quando li o livro, senti que havia ganho uma amiga, alguém que me entendesse mais profundamente do que eu mesma.
    Amei o texto!! Muito bom, de verdade.

    Beeijo enorme
    http://miopesanonimos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina!
    A Pepper precisa de divulgação do ebook para conseguir publicar por uma editora!
    Participando, é uma forma de a gente ajudá-la!
    Se você ganhar, tenho certeza que seu irmão te empresta o Ipad, o livro é tão empolgante que dá pra ler super rápido!

    Se quiser participar e preencher o formulário para ajudá-la vai ser super bem vindo!
    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Como não amar a Anne?
    E agora a amo mais, por saber que ela tem um papel tão grande em sua vida.
    Muito embora eu mesma já tenha me sentido como Anne algumas vezes, nunca tão profundo e tão marcado assim, mas sei o que é ser Anne.
    E mesmo que a gente se identifique com alguém tão forte assim, espero que ainda lembremos de ser nós mesmos. E de viver, viver tudo o que há para viver.
    E o que não há, e o também o que só há, porque estamos aqui.

    Beijos sweetie.
    Carol,
    www.caixa-a-a.com

    ResponderExcluir
  5. Cara, que lindo. É difícil comentar esse tipo de coisa, onde o autor abre o seu coração. É tão mais fácil quanto é com personagens, pessoas de mentirinha, né? Enfim, O diário de Anne Frank é realmente um livro tocante; preciso relê-lo o quanto antes...

    ResponderExcluir
  6. Cheguei em um dos meus blogs preferidos e vejo um post desse maravilhoso!
    Own Nina...why so linda assim?
    Anne Frank traz tantas lições para quem leu o seu diário, viu um documentário, leu a wikipédia ou simplesmente ouviu falar dela.
    Uma pessoa enorme, tão jovem e de certa forma com uma sabedoria infinita. É maravilhoso se identificar com alguém tão forte como ela, mas mais maravilhoso ainda é aprender com ela e aplicar de alguma forma o aprendizado em nossas vidas.

    Beijos :*
    http://canseidarotina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja LGBTQfóbico(a), racista ou machista. O mundo agradece :)
Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

Torne o mundo um lugar melhor: não seja babaca :)



INSTAGRAM