Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Cory, Forever

by - julho 14, 2013


Acho que nunca chorei por algum artista. Acho que nunca, na verdade, senti esse baque no meu coração, nem mesmo quando o meu pai morreu. Acho que é porque havia respeito e admiração pelo Cory. E por mais que eu soubesse sobre seu envolvimento com as drogas isso não diminuiu, de modo algum, o sentimento que nutria - e que sei que sempre nutrirei - por ele, por seu talento, por seu trabalho e por seu personagem, nosso eterno Finn, mais do que nunca. 

Até agora meu coração está meio que rejeitando a verdade, de que ele se foi. Minha cabeça está processando isso ainda, mas meu coração... Ah, ele está tão quebrado! Sinto que o Cory levou consigo um pedacinho do meu coração. Por isso, está muito difícil traduzir em palavras meus sentimentos desorientados.

Apesar de toda a saudade e de toda a dor, sobra espaço para um pouco de raiva, também. Fiquei pensando sobre o porquê de ele não estar mais aqui. Não foi nada que se pode desconsiderar, entende? Foi uma coisa grande, uma coisa horrorosa e, na minha opinião, muito egoísta. É claro que ele amava muita gente e que tinha ciência de que muita gente também o amava - gente que sequer ele conhecia de fato, por conta dos milhares do fãs de Glee ao redor do mundo -, mas mesmo assim ele permitiu que as drogas o levassem. Mesmo assim, ele permitiu se colocar em primeiro lugar. Sei que esse problema era antigo, porém dá raiva. Porque não é possível que uma pessoa se entregue a um vício sem se dar conta das consequências, do que pode lhe acontecer. E eu vi acontecer, bem de perto, com o meu pai. Ele era fumante e alcoólatra, então, mesmo que isso pareça um descaso de minha parte, era inevitável o que houve com ele, o desfecho horrível que levou. Agora, por causa dos vícios nem ele nem Cory permanecerão comigo. Entende o que quero dizer? Poderia ter sido diferente, sim. Não diga que não. 

E como lidar com a dor, você se pergunta. Acontece. Nós temos de sentir dor, de nos acostumar com ela. porque todo mundo se vai; alguns cedo demais, é verdade. Mas é num piscar de olhos, a morte rouba quem nós mais estimamos. 

Gostaria de dizer que vai ficar tudo bem. Mas será que vai? Talvez, para mim e para você, sim. Mas e para os que realmente conviviam com ele, quem o conhecia de verdade? Para esses - e não posso deixar de pensar na Lea - tudo vai se ajeitar um pouco mais tarde. Nós perdemos um ator querido, um personagem inspirador, mas alguns deles perderam seus corações. 

Com certeza, Cory, com seu jeito desastrado e alegre, vai deixar muita saudade. Mas a alma colorida dele vai persistir aqui, que é o seu lugar, sempre nos inspirando e nos fazendo acreditar, exatamente como no primeiro dia. Que ele possa fazer a diferença mesmo estando longe. 

Gostaria de compartilhar com vocês um poema do Santo Agostinho que li agora há pouco e que me tocou de um jeito que quase me fez sorrir de tristeza (e espero que lhes façam melhores, também):

A morte não é nada
Eu somente passei
para o outro lado do Caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês,
eu continuarei sendo.
Me deem o nome
que vocês sempre me deram,
falem comigo
como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo
no mundo das criaturas,
eu estou vivendo
no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene
ou triste, continuem a rir
daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi,
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra
ou tristeza.
A vida significa tudo
o que ela sempre significou,
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora
de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora
de suas vistas?
Eu não estou longe, apenas estou
do outro lado do Caminho...
Você que aí ficou, siga em frente,
a vida continua, linda e bela
como sempre foi.

A música que mais mexeu comigo enquanto eu estava criando esta playlist, além de The Scientist, foi I'll Stand By You, que pareceu falar diretamente comigo, você entende? Deixe que ela fale contigo também.


Keep Holding On
Cause you know we'll make it through
Just stay stronge.

I miss you already, Nina. 

You May Also Like

4 comentários

  1. As músicas que você escolheu :') Pretending!Gente, vou chorar agora (de novo)... E é bem isso mesmo, nina! Eu também nunca chorei por ator nenhum, dai o Cory apronta essa T.T E é aquilo que a gente conversou mais cedo de ficar muito triste, mas também sentir uma pontinha de raiva porque realmente.... podia ter sido diferente!
    Agora só nos resta lamentar mesmo e deixar que o tempo vá cicatrizando os buracos que ficaram nos corações de todo mundo :/
    ps.: Amei o post!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente, acho que a ficha ainda não caiu... Não sou, nem de longe Gleek, mas acompanhei a série por um tempo suficiente para me apegar com a série e principalmente com os personagem , e , consequentemente, com seus respectivos atores. Assim como você, acho que nunca havia chorado por nenhum artista antes, e ,saber que o fato que levou o Cory de nós foi, mais uma vez as drogas deixa tudo mil vezes mais doloroso. Ele tinha talento, tinha família, tinha amigos, fãs, tinha a Lea...mas também tinha o vício, que parece ter sido muito mais forte que tudo isso.
    Só nos resta lembrar dos bons momentos que ele nos deixou e rezar que ele esteja em um lugar melhor agora, e que Deus esteja com a família, fãs e com Lea <3

    Beijoocas :*
    http://meuuniversox.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja LGBTQfóbico(a), racista ou machista. O mundo agradece :)
Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

Torne o mundo um lugar melhor: não seja babaca :)



INSTAGRAM