Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Camaleoando na vida

by - outubro 23, 2013

Você não precisa mentir. Não gosta dele, ou dela. 
Sim, afirmo. Porque eu sei que o fato é verídico. Não sei como você conheceu a pessoa cuja sua simpatia não simpatizou com a dela. E nem quero saber. Você não gosta dessa pessoa, ponto final. Você disse. Um dia. Há algum tempo. Ou, talvez, tenha sido na semana passada. Disse para alguém: para sua mãe, para sua amiga, para seu cachorro.
Disse, também, que nunca viria a desgostar da figura. Figura metida, intolerante, severa. Não gostou dela desde o primeiro contato, fosse visual ou verbal. Ou espiritual.
Essas coisas acontecem assim: seu espírito não se afeiçoou de imediato. Repeliu quaisquer tentativas de reconsideração. Ué, quem disse que você tinha que gostar de todo mundo? 
A verdade é que você ainda vai bater de frente com muita gente. Gente que, a princípio, parecia uma coisa: tão amorosa, não era? Sim, era. Agora, você não consegue nem mais olhar! Repulsa, decepção, desgosto. 
Você deve desgostar das pessoas.
Você está, assim, fazendo a sua seleção. 
Ame, ame muito.
Mas odeie também.
Ninguém disse que era errado. E se ouviu isso algum dia, desdigo isso agora mesmo! 
Odeie muito, também.

Você dizia que não suportava a figurinha, lembra? A mesma figura metida, intolerante e severa. Quem quer alguém assim por perto? Ninguém.
Mas, aos poucos, você percebeu algo de cativante. Cativante no próprio modo metido, intolerante e severo dessa exata criatura. As mesmas características que outrora a intrigavam - e por que não dizer que a enojavam? É, forte demais para alguns. Não para você, talvez. E como isso é justamente para você, por que não utilizar as palavras certas? -, agora... Ah, você suporta!
Suporta não porque gosta, entenda bem. Suporta porque você é um camaleão. Ele e você se adaptaram ao ambiente - e àquela peste que jurou nunca compreender. 
"As pessoas se acostumam até mesmo à vômito de porco quando se acostumam a ele", já ouvi essa frase. Um filme.
Você entenderia.
Entenderia, porque entende agora.

Você ainda não gosta da pessoa. Mas você, agora, é um camaleão. Você foi do verde, passou para o vermelho, depois amarelo, rosa, laranja, azul... E estacionou nisso aí. Você se camuflou. Misturou-se bravamente. Dignamente. Sensatamente. 
De que adiantaria o ódio, se você nunca se habituasse à situação? 

Estacionado, seus olhos enxergam muito mais do que antes. Sua mente se transmutou. Você se transfigurou. Não para o camaleão, meu amigo! Você se transformou nisso aí, nisso que o mundo chama de humano. 

Agora, você está sendo humano. 
Ninguém é ser humano. Ou você é humano, ou é ser.
E humano, meu caro, é muito mais a sua cara.
A nossa cara.
A humanidade precisa de você. De mais cem de você
Transmute-se mais, cada vez mais. Enlouquecidamente. 
Quem disse que você não pode mudar de opinião, ou trocar de cor?
E se alguém lhe disse isso, desdigo agora mesmo!

Seja um camaleão iridescente. Não tenha medo. Seja humano, antes de tudo. 

~*~

Camaleone-se, Nina.

[Baseado em fato real]

You May Also Like

3 comentários

  1. Oi :)
    Andei pensando, acho que preciso aprender a ser mais camaleão e me deixar mudar um pouco.
    Amei
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bom? vim te dizer que eu te indiquei a um selinho!
    http://umagarotasemnocao.blogspot.com/2013/10/selo-versatile-blogger-award.html

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Difícil esse negócio de ser camaleão, né?! Acho que leva tempo... Ótimo texto, me fez pensar.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM