2 de dezembro de 2013

#Aquele seu "Se cuide!"

Não sei muito bem como começar isso, nunca sei. Às vezes, quero que seja apenas uma coisa, mas queria, também, que tudo isso expurgasse o que sinto. A confusão que me testa 24 horas, principalmente. 

Acho que preciso de um pouco de direção, achar um caminho, seguro ou não, para conseguir me entender. Entender a você, também. Já percebeu o quanto você não se abre, o quanto me trata bem, mas passa a imagem de que não é nada de mais? Pois saiba que para mim, isso é tudo. É a melhor parte do meu dia. Você tem estado constantemente me rondando, fazendo a minha mente parar de pensar no que há ao redor. Você aparece, acima de tudo, antes de eu conseguir fechar os olhos. Não sei se os fecho por conta do cansaço, ou por conta de você. Você me ganha da mesma forma que o cansaço. É automático. É meio frustrante, também, já que você desparece sempre que há alguma oportunidade. Desaparece demais, quer parar com isso? Gosto de você solícito, com suas palavras de despedida. Porque, na maior parte do tempo, a despedida é o melhor momento entre mim e você. Você é um querido, se derrama por detrás de suas palavras de "Se cuide", ou então "Não esquece de tal coisa". E eu esqueço, você sabe que sim. 

Queria que você me apontasse uma alternativa. Diga, "Essa aqui". Não precisa ser segura, entende? Desde que esteja ainda comigo, que não tenha medo de compartilhar comigo seus segredos, todas as coisinhas que passam pela sua mente e também aqueles projetos que faz; desde que tudo isso ainda aconteça, tudo bem.

Apenas uma direção, uma sugestão para que eu me abra de novo para o mundo, para as palavras do mesmo modo que faço agora. 

Tem dias que acordo e penso que nada disso é real. Por vezes, me convenço disso. Mas então você vem e conversa comigo. Certo, mentira. Eu converso com você. Porque você está distante demais de mim, com a cabeça nas nuvens, em outra cidade, em outra pessoa. Mas eu te trago para a realidade. E quando isso acontece, gosto disso. Queria saber se esse encontro te aquece a alma também, te faz ficar acordado até tarde, te faz procurar as palavras certas para me dizer. E você diz, toda noite. Aquele seu "Se cuide" é a minha frase favorita agora. Ele me faz sentir alguém, não apenas mais uma. 

É engraçado, sabe? Porque eu te conheço há algum tempo, de vista. Todo mundo, aliás, o conhece. Mas eu sou a única que diz, "Gosto dele". Você me conquistou sem nem me dizer um oi. E quando nossos destinos se cruzaram, e eu nem poderia imaginar isso, fui me apegando ainda mais. Gostava de te ver correndo para o telefone, discutindo com seus familiares pelo celular, oferecendo ideias que me fazia sorrir mentalmente. Aí está o ponto, você me cativa demais e nem sabe. Não sabe porque sou apenas mais uma, e você está com outro alguém na mente, há quilômetros de distância. 

Não sei muito bem como lhe dizer como me sinto. Sou meio Charlie. Sempre estou feliz e triste ao mesmo tempo. Mas, com você, veja só!, sinto-me feliz. Esqueço do que preciso fazer, fico observando a sua janelinha apontar novas mensagens, pensando no que você pode estar pensando. Em que você pensa? Eu nunca sei decifrar, porque sua atitude nunca muda. É sempre gentil, mas displicente. E daí eu não sei se a sua displicência é propositada ou não. Por favor, seja. Ao menos, assim, está fingindo querer distância de mim. Posso conviver com essa falésia entre nós, sempre diminuída alguns centímetros quando você diz "Se cuide!". Eu me cuido, e digo o mesmo a você. 

Tudo isso me acerta como um furacão. Penso em coisas ridículas a todo instante, e sou levada por esse furacão. Estou perdida. Quando você se aproxima e me diz oi, estou perdida. Sorrio, também, como você, mas no fundo estou em pânico. Minha mente bloqueia tudo. Minha mente fica no meio de uma tempestade. E, ainda assim, não sei o que você pensa a meu respeito. Você sabe coisas sobre mim, e eu sei coisas sobre você. Mas nossas conversas são assim: um pêndulo, sempre retornam ao mesmo instante. Então lá vem você se despedindo, dizendo aquele "Se cuide!", e eu fico novamente perdida no furacão. 

De longe, você é um furacão. Eu sou a tempestade. E aquele seu "Se cuide!", diz muito sobre você. E o que acontece agora? Você com suas despedidas, eu com minha confusão diária, nós dois sempre mantendo distância, porque assim é melhor. É melhor, mesmo? Se ao menos eu achasse o meu caminho...

Apenas me mostre o que fazer, com aquele seu "Se Cuide!". Despeça-se, mas não vá. Espere que eu diga para se cuidar também. 

"Se cuide, mocinha". Eu me cuido, sim. 


I hope you like me as I am, Nina. 

2 comentários:

  1. Você tem um talento incrível pra escrever, Nina! Me empresta um pouco??
    Eu tô tentando aos poucos destruir o diário, mas não está fácil, dói no coração fazer isso, hahaha mas é uma experiência boa, eu te recomendo! :))
    Seu texto tá lindo demais *-*

    Beijo,
    champagne supernovasorteio 1 ano de blog!fan page

    ResponderExcluir
  2. E sempre que eu ouço um "Se cuide" tenho vontade de dizer: "vem cuidar de mim" porque no fundo é o que queremos... engraçado que eu pensei que só eu fosse como o Charlie de as Vantagens de Ser invisível, feliz e triste ao mesmo tempo... mas essa é a vida não é! Enfim, você escreva com uma delicadeza e uma verdade que encantam, seu texto é doce e ao mesmo tempo forte, determinado. Parabéns!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)