Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Em meio à tudo, a ilusão

by - janeiro 28, 2014

Eu vivo numa ilusão.
Sempre presa entre o aqui e o lá. Presa no semáforo fechado e, quando ele enfim me libera, continuo estacionada. Porque saber que ele abriu e não mover o carro parece ser mais prudente do que saber que alguém pode me atingir do outro lado. Eu vivo no vermelho, e se formos falar de quem somos, acho que eu sou o amarelo; sempre na dúvida: acelero, ou simplesmente breco? Ao contrário dos outros, eu diminuo a velocidade, até que o verde se transmute para o vermelho num piscar de olhos.

Eu sou uma ilusão.
Sou um livro fechado, esquecido, empoeirado. 
Sempre presa em mundos que não me pertencem, ou que, se me pertencem, eu não estou neles. Fico presa na história, habitando um reino como se fosse dona dele, quando na verdade deveria somente passear pelas estradas e sumir do mapa. 
Queria aprender a sumir do mapa. A fingir que essas mesmas estradas têm fim, que me levam para a história seguinte. Se ao menos eu tivesse uma bússola... Mas ela nunca funcionou comigo, não sei onde é o Norte, não sei onde é o Sul. Sempre vagando entre os polos continuamente. Não paro, mas também não sou de insistir. Desisto. Não há local para mim aqui, nem lá. 


Eu começo uma ilusão.
Sempre de olhos abertos, mas com o coração fechado. Tenso. Errado. 
Veja bem, é o medo. A ilusão nos assusta. Você encontra monstros pelo caminhos sobre os quais não tem controle, pois não sabe quais armas utilizar contra eles. Começo lutando com eles, sem nada, completamente sem noção alguma. Acabo me cansando, porque a ilusão me dá ponta pés a todo instante. Não sei para onde correr, estou mais uma vez perdida. 
Começar ilusões, ou terminar com os medos?
Minha espada cai, e minha coragem se esvai.


A ilusão me chama, e eu corro até ela, repetidas vezes. 


Ainda parada em frente ao semáforo, Nina. 

You May Also Like

2 comentários

  1. Como sempre, amei!
    Acho que também sou ilusão, também vivo no amarelo, e não me sinto pertencente a lugar algum, no máximo, a alguns poucos abraços.

    http://patriciapinheirotextos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Como não se encantar com cartas como estas, onde você se encontra nas linhas, nas palavras. Sou total ilusão. Vivo muito mais em mundo que não são meus. Muito lindo, tudo!! Parabéns.

    http://especialparavoc.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM