19 de fevereiro de 2014

#É tudo o que ela escreve

Eles nunca perguntaram seu nome. Ninguém parecia ver a garota com pouco rosto. Ela vivia sozinha, perambulando pelos corredores, enxergando a todos. Ela não queria estar ali, mas não tinha para onde ir. 
Uma estranha numa pele e cabelos mortos. Ela se escondia, com o propósito de não ser alvo de risadas. Ninguém lá fora a entendia, mesmo que houvesse muito. Ninguém se importava, A garota era mais uma na escuridão, o rosto marcado pelas lágrimas. Ninguém lá fora parecia estender a mão, entender seu interior.

Olhando-a daqui, sinto-me enjoado e sozinho.
Estou aqui, em algum lugar. Minhas lágrimas parecem pesadas, agora. Ela, essa garota, me sufoca. 
É tudo que sei. 
Do mesmo modo que ela, sinto-me pequeno diante a tudo. 

As palavras atravessam a página com a tentativa de dispersar a dor. Vejo-a chorando, solitária pelo caminho. Ninguém parece vê-la. 
Somente eu a enxergo seu fantasma. 

Ela quer escolher um refúgio, um lugar onde nunca mais será a mesma. Quando a olho, e ela devolve o olhar, é lindo. 
Ela sorri, quebrada, machucada, precisada. 
Agora ela sabe. 
Sabia que entenderia. 

Vamos para casa juntos. Ela me estende suas palavras. 
É tudo o que ela escreve: a tristeza transformada em poesia. 


Love, Nina.

3 comentários:

  1. "Um lugar onde nunca mais será a mesma..." estou procurando um lugar assim rs :(
    Adorei seu blog tb Nina, e seus textos. Já estou seguindo.
    Que bom que gostou do Di Lua, sempre tem Harry Potter lá, rsrs
    www.larydilua.com

    ResponderExcluir
  2. Ahn Nina, seus textos sempre me fazem bem sabia?
    São tão leves, apesar dos temas muitas vezes serem melancólicos.

    Beijos,
    www.miragemreal.com

    ResponderExcluir
  3. Lindo! Perfeito!
    http://missrary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)