Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Discussão: O livro é quase sempre melhor do que o filme?

by - março 05, 2015

Esses dias eu li uma postagem que trazia uma discussão que sempre gera certos conflitos em grupos de leitura: livros vs. filmes. A massiva maioria defende a obra literária – e por que condená-la? Quem é leitor sabe o quanto um livro é especial e que ele entrega mais detalhes e maiores explicações sobre certa história. Mas há aqueles que dizem que alguns filmes que foram originados a partir da literatura têm seu valor. O que todos os fãs defendem em uma obra fílmica é a fidelidade. 


Pois bem. Eu entendo ambos os lados, pois sou leitora e adoro filmes. Tive a sorte de fazer uma cadeira de Cinema na faculdade, de modo que pude entender por que algumas obras fílmicas não agradam aos fãs. 

O que todo mundo precisa entender é que as duas artes – a literatura e o cinema  são coisas bastante distintas. A literatura é dita como a sexta arte, pois lida restritamente com a palavra. Mesmo os livros infantis, nos quais há muitas ilustrações, há palavras de direcionamento àqueles que os leem. O cinema, por conseguinte, é a sétima arte, pois engloba todos os elementos anteriores, além da oitava (fotografia) e a nona (usada em filmes animados, que é a "banda desenhada", ou seja, cor, palavra e imagem). 

Um ponto a ser salientado é que, como literatura e cinema lidam com artes distintas – embora o cinema seja bastante complementar , não dá para reivindicar fidelidade total de um filme que é baseado numa obra literária simplesmente porque o meio é outro, gente. E, assim sendo, ele tem aspectos próprios e tem de se adaptar aos seus limites, a exemplo do tempo de duração (o leitor quer todas as cenas e detalhes do livro no filme, mas pense bem: você suporta ficar mais de três horas assistindo ao mesmo filme? É bastante difícil, certo?) e do fato de que não existe um cinema total (aquele que consegue trabalhar todos os elementos de absolutamente todas as artes de modo a reproduzir fielmente a realidade; embora o meio seja bastante complementar, não existe o conceito de cinema total, como muito idealizaram antigamente). 

Não podemos esquecer, também, que toda arte é subjetiva. Cada espectador absorverá dela o que quiser e o que entendeu dela, de acordo com muitos fatores: o emocional, experiências pessoais, carinho pelo autor etc. Assim como existem diferentes opiniões de um mesmo livro, há diferentes opiniões de um mesmo filme. Quantos leitores amaram Se eu ficar? Devo dizer: MUITOS. Já eu prefiro descrevê-lo em apenas uma palavra: morno. Se estou errada? Não. Pois eu absorvi exatamente o que quis e o que entendi da obra. E quantos telespectadores estão amando 50 Tons? Se estão errados? Não, assim como os que detestaram também não. (nota: não li, nem assisti à obra, de modo que não posso opinar sobre isso. Deixe sua opinião nos comentários, se quiser). Cada pessoa absorve aquilo que consegue de uma obra, seja literária ou fílmica. Por isso, lidar com esse embate de opiniões que nunca se calam é difícil. 

Faça um exercício básico comigo: pense em quantos fãs imaginavam o Harry, a Hermione e o Rony antes dos filmes e, agora, não há ninguém mais que possa sê-los além do Daniel, da Emma e do Rupert. Não interessa quantos filmes eles farão, sempre serão parte do mundo Potterhead. É algo que vai ficar para sempre, assim como a história do menino-bruxo. 

De modo geral, adoro essa transição da literatura para o cinema, pois, mesmo que exista opiniões contrárias, não há fatores propriamente negativos quanto a isso. Como exposto acima, há, sim, fatores limitantes, mas nunca negativos. 

Dois termos que precisam ficar claros e que aprendi nas aulas de Jornalismo Digital são a transmídia e a crossmídia. 
1) Transmídia: é a sequência dos fluxos entre mídias e tem a função de contar uma história utilizando várias plataformas. É como se cada mídia fizesse a sua parte separadamente, adicionando novos aspectos da mesma história. 
Exemplo: as fanfics, a meu ver, é o maior exemplo, pois elas sempre adicionam algo que não está na história original. 

2) Crossmídia: é a junção dos fluxos entre mídias, ou seja, trabalha-se a mesma história e a reproduz em várias plataformas. Não há fatos novos. Todas as plataformas lidam com o mesmo aspecto da história.
Exemplo: os filmes baseados em filmes exemplificam muito bem isso, já que os filmes têm a missão de apenas trabalhar o livro em outra plataforma. 

Para concluir, nenhum filme baseado num livro é ruim. Talvez, o que aconteça é o mal aproveitamento de um enredo. 

Qual é a sua opinião? 


Love,
Nina 

You May Also Like

20 comentários

  1. Essa é realmente uma discussão polêmica! Devo admitir que sou uma das que sempre defende e prefere os livros (amo os detalhes, o desenvolvimento, o tempo maior que posso passar com os personagens...), mas recentmentr assisti ao filme de Simplesmente Acontece e é impossível comparar, pois amei as duas histórias. Aprendi já que o filme é BASEADO no livro, e não uma cópia. Mas, sejamos honestos, dá uma raiva quando estragam a história daquele livro que você ama com um filme péssimo (COF Percy Jackson cof) Beijos, Jú
    docurailusoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto muito de adaptações de livros para as telas do cinema, A Culpa é das Estrelas por exemplo me deixou muito feliz, eu sei que a coisas no livro que não passaram no filme, mas como você mesmo disse Nina isso é compreensível caso contrário o filme ficaria muito extenso, mas o ponto principal está no filme, (pelo menos a meu ver) em a adaptação de A Culpa é das Estrelas trouxe a essência do livro para as telonas, não um resumo, mas a essência e para mim é isso que faz a diferença, a livros que quando são adaptados perdem a essência original do filme e isso eu não gosto, o livro Para Sempre por exemplo acho que faltou algo para a essência está completa, amei o filme, mas ao assistir o filme tive a sensação de está vendo uma outra história com traços do livro, mas apenas traços, e mesmo assim gostei dos dois, tanto do livro quanto do filme, mas os vi como histórias que se parecem apenas. Um Porto Seguro também me deu essa sensação... Já Harry Potter assim como A Culpa é das Estrelas me passou toda a essência do livro! =)

    Bjs Nina!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nina, acho que o que ocorre é quando lemos a obra imaginamos ela, logo, nunca ficará exatamente como imaginamos, você espera ver tal cena e as vezes ela é cortada ou alterada de alguma forma. Claro que há casos que mudam tanto, tal como Para sempre que até o nome dos personagens e profissão mudaram. Diário de uma paixão é um exemplo que eu acho o filme melhor que o livro, esse ultimo foca demais na doença da protagonista.

    http://www.eucurtoliteratura.com/

    ResponderExcluir
  4. Concordo que o filme não pode ser totalmente fiel e apresentar todas as cenas do livro, isso seria impossível. Concordo também que cada um interpreta o livro/filme de forma diferente, gerando opiniões controversas, isso é normal, afinal, cada um possui seu próprio gosto e expectativa sobre a obra. Eu prefiro sempre os livros, não porque o filme não pode ser melhor, mas porque eu prefiro ler mesmo. Tenho muita preguiça de ficar 2h parada de frente pra tv assistindo alguma coisa, mas consigo ficar 5h lendo direto tranquilamente. Acho que é algo muito pessoal :)

    Beijosss
    Poison Books

    ResponderExcluir
  5. Oi, Nina!
    Gosto bastante desse debate de filme x livro. Concordo plenamente que é impossível retratar de forma completamente fiel a história de um livro em um filme. Mesmo com O Senhor dos Anéis, que eu sempre ouvi dizer ser ótimas adaptações, muito fiéis e tudo mais, ao ler os livros, percebi grandes diferenças na obra, que nem nas versões estendidas de mais de 4 horas conseguiram ser consertadas. Enfim, gosto muito de adaptações, pois assim consigo visualizar e entender melhor certos detalhes de um livro, como a aparência dos lugares e personagens. Depois de conhecer o filme, só consigo mesmo imaginar tal personagem daquele jeito hehe

    https://leitoresforever.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Obvio. Concordo que é impossível retratar o livro fielmente, tanto por conta de um filme bom ter no máximo duas horas e poucas e um livro ter várias páginas, mas acho também que quando se é uma ADAPTAÇÃO, deve pelo menos ter a mesma direção que a história. Não só ter os nomes e o enredo, como ocorreu com Percy Jackson, Instrumentos Mortais e Academia de Vampiros, dentre tantos outros que tinham tudo para ser um sucesso e não foram devido a adaptação mal feita.
    cheireiumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá, querida! Adorei a postagem e só na Faculdade consegui compreender o quanto são artes diferentes e devem ser analisadas de maneira distintas.

    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Concordo que normalmente há um mal aproveitamento do enredo, mas vi filme que achei até melhor que o livro. Exemplos disso são Como Domar Seu Dragão e Qual o Seu Número.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina
    Eu gosto de assistir adaptações literárias. Sei que é muito difícil, se não impossível, colocar tudo que está no livro no filme, mas confesso que é extremamente irritante quando o filme parece outra estória. Sei que não dá pra por todos os acontecimentos, mas não custa manter a base original né? Como você disse, existem opiniões e opiniões e o que importa é respeitar a de cada um.
    Beijinhos

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Nossa, achei o seu post super rico, parabéns!! Eu também sou apaixonada tanto por livros quanto por filmes e fico feliz quando vejo que alguma obra literária será adaptada! Concordo com você que a arte é relativa e eu sempre fico curiosa para saber quais foram as impressões dos outros em relação àquela história!! Adorei o post!

    Beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oláá
    Poxa, seu post ficou muito interessante, adorei, de verdade haha
    E concordo com tudo, é realmente impossível comprar o livro com o filme.


    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Nina. Debates entre livro vs. filme rende um boa hahahha Bem, concordo com o que você disse, ótimo post.
    http://letrasemvida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. A maioria das vezes o livro é melhor, mas em certas situações o filme costuma ser melhor por uma questão de ser mais fluído/envolvente que o livro.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Esse é um tema que rende uma boa discussão mesmo kkk Eu nem sempre condeno o filme, pois tem raros casos em que a adaptação fica melhor do que o livro em si, mas é obvio que o livro tem mais detalhes e tudo o mais. Mas temos que entender que os filmes precisam ter uma certa duração, né? Tem gente que não entende isso e sai tacando pedras nas adaptações :c Eu achei Se Eu Ficar bem chatinho e achei 50 tons também, mas tem quem goste e eu não condeno, pois como você falou cada um absorve o que quer da história e tem uma opinião sobre a mesma. Enfim, adorei o post, bem criativo e original, sua cara kkk

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Não fico nem com o livro e nem com o filme kkkk, para mim é muito relativo. Há filmes melhores que livros, e há livros melhores que as adaptações. Achei bem interessante o post e amo debates. Espero ver mais por aqui. Cada um entende, se emociona e absorve a história de uma forma diferente.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Ei Nina! Eu acho super rica essa discussão e estava falando exatamente sobre isso com meu marido esses dias. Acho que o mais me incomoda nas adaptações não é nem excluir partes ou mudar um ou outro enfoque para se adaptar melhor na tela. O que mais me incomoda em muitas adaptações é a atuação porca de alguns atores (em alguns casos parece que escolhem sem nenhum cuidado) além de alguns efeitos que nem filmes de 1980 apresentam sabe? Outra coisa que me incomoda é mudar radicalmente algum ponto ou personalidade de algum personagem.
    Confesso que estou trabalhando em mim uma melhor aceitação às adaptações, mas existem muitas que eu realmente amo e acham que só enriquecem o livro, por exemplo O Senhor dos Anéis, O Nome da Rosa, O Poderoso Chefão, a animação O Castelo Animado. Então tenho esperanças de termos adaptações cada vez melhores! ;)
    Parabéns por tocar no assunto, é uma ótima discussão!

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  17. Oi...adorei o post... então eu gosto muito das adaptações cinematográficas, mas eles de fato nunca serão iguais aos livros, exceto A Culpa é das Estrelas, que minha nossa quem pegava o livro e o filme eram praticamente a mesma coisa. Um fato que é verdade... ajuda a nós imaginarmos os personagens, não consigo visualizar um Harry Potter sem ser o Daniel Radcliffe ou uma Hermione sem ser a Emma Watson, na verdade nem me lembro como eu os imaginava antes dos filmes, não consigo me lembrar haha...

    Então é isso... filme e livro são importantes sim na minha opinião e ao invés de ficar na dúvida qual é melhor, prefiro pensar que eles se completam.

    beijos
    http://livrosetalgroup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Concordo demais com você. Além do mais, esse é um assunto que pode dar uma boa discussão.

    Sempre que assistimos à um filmes que foi adaptado a partir de um livro, já temos os pré-requisitos para julgá-lo como bom ou ruim enraizados dentro da nossa cabeça e muitas vezes acabamos não absorvendo nada da adaptação por causa disso. É claro que certas coisas que são essenciais para a história devem ser tratadas com mais cuidado em um filme, mas como você mesma disse: são artes diferentes. E nós, seja apaixonados por livros ou por filmes, deveríamos tentar separar as duas coisas dentro do possível, sem deixar, é claro, de admirar esse diálogo que é proposto.

    Beijos,

    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  19. Pode aplaudir? Kkk Vc argumentou tão bem!
    Leitor de verdade sempre vai achar que livro é melhor que filme, isso é fato kkk
    Mas a questão do filme é realmente o que vc falou, o aproveitamento do enredo, que pode ser péssimo ou maravilhoso. Eu acho importante que os dois pelo menos se complementem, n realmente n tem como ser totalmente fiel.
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Na grande maioria das vezes eu prefiro o livro, mas já teve casos contrários, assim como há histórias que prefiro ver nas telas, mas não passo nem perto dos livros (tio Stephen King por exemplo).
    Realmente, as pessoas precisam entender que uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. Um filme nunca será 100% fiel a um livro, porque a dinâmica e funcionamento dos dois é diferente, seria até prejudicial. Acho que uma adaptação bem feita é aquela que consegue manter a essência do livro, o que o autor quis passar, mas de forma que um telespectador que não leu o livro entenda o filme na íntegra. Por exemplo, hoje fui assistir Simplesmente Acontece e amei! Não li o livro, mas sinto que entendi tudo, mesmo sabendo que houve mudanças. Mas há outros filmes (tipo 50 tons), que o telespectador que não leu se sente perdido em algumas partes.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM