30 de maio de 2015

#A Máquina de Escrever: reticências e pontos finais

N. L.,

É a terceira vez que me sento aqui e a quarta que penso que necessito de mais café. Abri mais uma vez este capítulo só para espiar e me render ao término. Só para me conformar com o ponto final. Com o seu ponto final. Notei que a história se desgasta com o tempo. Talvez seja sempre assim, certo? Todas as histórias culminam quando o fio que se entrelaçava, de repente, se arrebenta. É claro, há sempre um motivo. E esperei que o meu não fosse como o seu: um remendo, só para dizer que aconteceu. Diga na cara que ele vai acontecer com a força de um furacão, por favor. Não tenha receio do meu acesso de raiva, nem das palavras que, posteriormente, se lançam em pedaços de papéis na tentativa de amenizar o estrago. 

É que ele sempre vem. O estrago, quero dizer. Pode vir fantasiado de culpa, pena ou indiferença, mas dele não há escapatória. Gostaria que todos que estejam perto do fim, perto do precipício, pudessem ter uma rota de fuga, ou um lugar tranquilo, depois, para descansar e botar a vida em ordem. Essa é a parte mais difícil, sabe? Seguir em frente e ordenar o sofrimento. Às vezes, eu o espalho pelo meu dia a dia. Ao acordar, no trabalho, no bar com os amigos. Em parte, é porque tento me livrar dele pouco a pouco e, em outra, é porque lidar com isso leva tempo - não sei superar as coisas em poucas horas; eu rumino o sofrimento por dias, arrasto-o por onde vou. 

Você deve estar numa festa, porque é sexta-feira. Mesmo depois de anos de convivência, você ainda não entendeu que sou do avesso, que não sirvo para enfeitar os lugares e que não esqueço do tempo com uma bebida forte. É essa sua mania de tentar preencher o vazio com mais vazio que me fez enxergar que, apesar da atração, das risadas e dos olhares, não dá pra arriscar quem somos por alguém que ainda está buscando completar-se em vão, em qualquer canto, com qualquer um que passe. Eu sei, você diria que a vida é sua e que, agora mais do que nunca, é melhor eu calar a minha boca com conselhos forasteiros - afinal, eu não tô dentro da sua mente, nem do seu coração. A verdade é que nunca estive, e você sempre soube disso. Se faz diferença? Talvez, fará um dia desses. Talvez, estar do lado de fora seja realmente melhor. Pular dentro de uma pessoa, especialmente de uma que está sempre indo e vindo e que nunca entende que o mundo se guarda num olhar, é suicídio. A gente nunca tá preparado para se ferrar sozinho, no meio da noite, enquanto a outra pessoa se diverte com nossa desgraça. 

Sei lá se, qualquer dia desses, entenderá a importância disso tudo: da vida que você se recusa a enxergar, de mim e da última linha que fecha essa história. Espero que, depois de muitas ressacas, corações abandonados e olhares vítreos, você entenda. E, depois, consiga superar. Estou superando - aos poucos, a cada hora vencida sem me lembrar do seu rosto e dos seus casacos esquisitos no meu armário. 

Eu, que sempre fui reticências, encerro a última linha de nossa história:  

Adeus. Ninguém precisa mais abrir este capítulo e se deparar com o desgaste de amar o vazio. Acabou. Vai embora. Eu já fui. E ponto final. 


Com amor, mas sem esperança alguma,
A Máquina de Escrever.

___________________

O projeto A Máquina de Escrever não tem pretensão alguma de encantar os corações alheios, nem de desmitificar o processo de vivência neste mundo. Sou, simplesmente, A Máquina de Escrever porque não quero levar crédito total pelos efeitos de minhas palavras nas vidas potencialmente desastrosas de quem as lê. Não acredito em finais felizes e espero que você também não. Só quem precisa ter pleno controle de tudo fica atrás disso. Ah, bebo café em demasia e encontrei meu primeiro ponto final, de muitos que ainda virão. Não acredite em tudo que eu escrevo, sou somente um sonhador que quebrou a cara inúmeras vezes e que não sabe guardar a solidão e a incerteza dentro de si. Aventure-se, mas não muito. As coisas nem sempre acabam bem. 

______________________

Gente, só pra esclarecer: esse é um novo projeto de #cartas que comecei. Como sinto muita falta de ter um único personagem que escreve para todo e qualquer tipo de destinatário, criei A Máquina de Escrever. E não se esqueçam que nem toda carta é de amor. 


Love
Nina 

14 comentários:

  1. Queixo caído aqui... sério.
    IN-CRÍ-VEL!
    Não tenho outro jeito para definir. Encantada com esse novo projeto, porque amo cartas seja sobre o que for.
    Apenas continue, por favor! ♡.♡
    E ah, amo seu jeito de escrever, mas acho que você já sabe! Hahaha.
    Beijos,
    Sâm.

    ResponderExcluir
  2. Nossa! não tem coisa melhor que, beber uma xícara de café do tamanho EXTRA GRANDE rsrsr, e ler, combinação perfeita né?
    Eu não conhecia seu blog, mais confesso que você ganhou uma fã, é serio!
    estou completamente apaixonada <3
    https://meninaespertaecomplicada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Aaah, meu Deus! Que coisa mais linda! É incrível sua maneira de escrever e eu ver quando mais preciso de ler o que escreve... acho que bons escritores têm esse dom. Parabéns pelo projeto, Nina! Acompanharei, sem sombra de dúvidas! Beijooos

    ResponderExcluir
  4. Nina, sempre que venho ler um post seu, venho com grandes expectativas... e devo dizer que você não me decepciona NUNCA! Você escreve com uma sensibilidade indescritível. Dizer que amei o seu texto seria pouco... Você descreveu um momento da minha vida, como me senti e ainda me sinto às vezes. Apenas preciso dizer que admiro demais a forma que você brinca com as palavras e as emoções...
    Bjs, Isabella
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Nina, que texto incrível! Você consegue passar tanto sentimento... Adoro visitar seu blog e me deparar com esses textos maravilhosos! Parabéns! Adorei o projeto! :)

    Beijos!

    Blog Cheiro de Livro Nacional

    ResponderExcluir
  6. "Pular dentro de uma pessoa, especialmente de uma que está sempre indo e vindo e que nunca entende que o mundo se guarda num olhar, é suicídio."
    Me lembrou aquela música da Pitty, "Na Sua Estante". Sabe?
    Você sabe que adoro seus textos e quando os leio em dias meio sensíveis, fico com vontade de te dar um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Sim, seguir em frente é a parte mais difícil, envolve tantas emoções e escolhas que nem sempre temos forças... Em alguns momento lembrei de Frida. Bebemos para esquecer, mas o sofrimento sabe nadar...

    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Nina :) Mais um texto incrível, parabéns. Você coloca sentimentos em palavras de uma maneira sensacional. O texto, que parece simples, é sempre carregado de emoção, impossível não se identificar. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oláá
    Como sempre, seu texto está incrível, com certeza me identifiquei e adorei tudo, espero ler ainda mais textos por aqui ;)

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Simplesmente adorei, senti muita verdade em cada linha deste texto..realmente é muito difícil seguir em frente principalmente qdo a outra parte fica sem se definir e deixando tudo suspenso ... :)
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu que sou pragmática por natureza, não gosto de reticencias. Não gosto de enrolação. As coisas são ou não são. Ódio joguinhos! Gosto de histórias começando. Mas se for para terminar, não sofro nem duas horas. Logo inicio outra história.

    Desejo sucesso com o novo projeto. Quero sempre interagir com suas palavras.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi Nina.
    Adorei seu projeto e desejo sucesso.
    E apesar de não ser uma carta de amor é um ótimo texto, pois não precisa ser sobre amor para ser bom.
    Parabéns pela criatividade e talento.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Nina!
    Ai meu Deus, que texto mais incrível e lindo, adoro esses projetos que aprofundam mais em nossas escritas e cada postagem sua eu fico mais encantado HAUAHAUA. Eu não sei o que é, mas eu me apeguei bastante ao seu texto e fluiu rapidamente! Sério, você me trouxe inúmeros sentimentos e o dom que você apresentou esse amor vazio foi surpreendente! Amei ♥

    Beijos,
    http://umgrandevicioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Linda sua carta Nina! Um projeto realmente encantador!
    Adorei conhecer um pouquinho sobre ele e ler a tua carta. tens uma escrita sensacional! Envolvente. Parabéns!
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)