Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Dicas para escritores #5

by - julho 08, 2015

Como prometido, as #DicasParaEscritores voltaram! :)

Depois de um hiatus realmente grande (percebi que a última postagem foi nas férias de verão), resgatei esse projeto. Sinto falta de falar sobre as dicas, pois é uma parte de mim como escritora e fico muito feliz quando alguém vem até mim me pedir ajuda (seja uma revisão, ou para tirar uma dúvida literária/gramatical). Por mais que eu não esteja no circuito editorial com um romance lançado, vejo que meus textos avulsos são o suficiente para que eu me sinta grata por ter gente interessada no meu trabalho de formiguinha. Se você já curtiu a minha página como escritora (situada à esquerda), obrigada. Se não, espero que o faça em breve :) 

As dicas de hoje já estavam preparadas há teeempos (e vem com BÔNUS!) ^-^
Espero que gostem. 



1. Escrever, primeiramente, para si mesmo
Sim, você tem que saber para que público quer escrever. Mas isso não quer dizer que suas vontades sejam insignificantes, afinal você é o autor da história. Antes de pensar se vai, ou não, agradar a todos, você tem que pensar se a história está agradando a si mesmo. Se não está, recomece. É importante lembrar que, se nem mesmo você está satisfeito com o que está escrevendo, dificilmente, os outros ficarão.  

2. Escrever aquilo que gostaria de ler
Nada melhor saber se está, ou não, apreciando sua própria história com a seguinte pergunta: eu gostaria de ler isso? Você não tem que inventar algo de outro mundo, mas tem que estar, minimamente, satisfeito com o resultado. Não vale escrever sobre um assunto batido, só porque ele é modinha, pois, se você conseguir publicar esta história, é possível que o tema modinha já tenha mudado e seu livro fique perdido no canto dos livros que ninguém soube da existência. Escrever sobre o que gostaria de ler é uma dica muito válida, pois você tem que partir do princípio que você mesmo já é um leitor e, dessa maneira, sabe o que pode, ou não, agradar aos outros (e a si mesmo). 

3. Deixar para mostrar aos outros depois de a história estar finalizada
Aprendi isso muito recentemente. Sempre que eu finalizava um capítulo, ou uma parte da história, eu ansiava em saber da opinião de todo mundo. Embora isso funcione como um estímulo (parecido com o feedback das postagens de fanfics), isso pode ser um ponto negativo, também. Se você mostrar a todos algo que ainda não está finalizado, muita gente vai querer modificar muita coisa, lhe dar um milhão de conselhos e, depois, você acaba com um livro que, na verdade, não é seu - é de todos os que lerem. Mostrar algo finalizado é bem diferente: ninguém vai poder querer mudar os rumos da sua história. Assim, você tem muito mais controle da sua obra e não fica dependendo de opiniões alheias. Você segue as suas próprias regras, ideias e inspirações.

4. Ter, ou não ter, um roteiro?
Muita gente bate pé e diz que, sim, é importante ter um roteiro. Eu acho muito válido fazer planos para a história, saber onde quer chegar, saber que quer inserir a cena "x" em tal capítulo, mas lembre-se: você não precisa se apegar tanto a isso. É normal que tenhamos um planejamento inicial e, depois de escrever um pouco, comecem a surgir dúvidas e confusão (e muitos bloqueios!). Mas desapegar-se do roteiro "original" é sempre muito gratificante, pois o rumo da história pode ser ainda melhor do que você queria de início e escrever naturalmente, sem pressões ou cobranças, apenas torna o texto muito mais verdadeiro. E, de qualquer modo, depois de finalizar a história, você sempre pode revisá-la e modificar o que achou que não funcionou. Não esqueça: a primeira versão é apenas isso: a primeira. Revisar é a parte mais importante depois de terminar um texto, pois permite lapidá-lo ao seu gosto e deixá-lo mais apresentável.

BÔNUS:

1. Estou com bloqueio, e agora?
O que muitas vezes funciona para mim é me forçar a escrever. É mentira aquilo que dizem sobre inspiração, que gente só tem que escrever inspirado. A gente tem, sim, que se forçar a escrever. Então, eu releio a última cena e começo com alguma frase, qualquer frase mesmo. Isso me permite fazer uma conexão com o que pode vir a ser escrito e o que já foi escrito. Muitas vezes, uma história toma rumos incríveis quando a gente sofre esse "bloqueio", juro! Temos SUPER que aproveitar esses writer's block! Só que todo mundo acredita que essas coisas diminuem um escritor, que fazem dele alguém inútil. Pelo contrário. Acho que é quando estamos sofrendo bloqueios que conseguimos pensar melhor e avaliar o que já foi escrito e o que queremos para a história a partir dali.

______________________

Tem uma pergunta? Ela pode aparecer como BÔNUS na coluna! 
Envie um e-mail para mundodanina@gmail.com

Você pode ler todas as #Dicas já postadas NESSE LINK

Love,
Nina 

You May Also Like

9 comentários

  1. Oi!
    Dicas boas, algumas eu já seguia e nem sabia.
    Nossa, como eu tenho bloqueio. Sempre começo a escrever e paro sem conseguir mais nada. :/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina!
    Cê nunca decepciona!
    Gostei pra caramba das dicas, e lembrei da minha historinha engavetada, que eu sempre penso em continuar mas não tenho coragem. A melhor dica pra mim foi essa de não mostrar antes de finalizar. Eu acabei desistindo de muitas histórias pq recebi milhões de pitacos. Deu uma angústia na hora que eu percebi que não estava mais escrevendo, e sim transcrevendo opiniões.
    Muito bacana mesmo!
    Continue com o trabalho 10 que você faz :)
    Beijos, Amanda.
    Expresso de Nárnia

    ResponderExcluir
  3. Eu não costumo seguir nenhum roteiro ou regras ou dicas, enfim, gosto de algo bem livre, mas acho super válida as dicas. Eu só escrevo quando estou inspirada, mas gosto de estudar muito e pensar nas teorias que coloco no enredo, essa relação é bastante meticulosa, pois a história ganha vida conforme estudos de campo ou bibliográfico. Mas, à vezes, somente escrevo, enfim, cada pessoa tem seu ritmo, sua própria dança.

    ResponderExcluir
  4. O que mais me chamou atenção foi a dica três. Eu acho que nunca vou mostrar o que eu escrevo para alguém. E por finalizar...nem pensar. Quer dizer, minha irmã guarda meus cadernos com textos que eu escrevi quando criança. E e sei que ela ler tudo. Às vezes ela me fala umas coisas que eu sei que saíram de lá.
    Tenho dificuldades de mostrar meus artigos para minha orientadora rsrsrsrs.
    Ótimas dicas, Nina. Você é uma inspiração.
    Não deixe de publicar no blog. Sentimos falta.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Que dicas preciosas, com certeza vai ajudar muito. Adoro postagens que colabora para o crescimento de outras pessoas. Muito bom, adorei as dicas. O famoso bloqueio, como vencer esse danado... haha. Complicado mesmo, mas com esforço, a gente consegue.

    Grande beijo!

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ei Nina,
    Adorei as dicas.
    Acredito que um roteiro deve ajudar muito mesmo que depois as coisas mudem de caminho,
    eu se fosse escrever precisaria de um para não me perder nas ideias rs.

    Coração Leitor

    ResponderExcluir
  7. Olá, muito interessante sua produção literária, pessoal. Achei inspirador, principalmente para incipientes como eu na escrita virtual. Criei um blog sobre literatura para Direito, ta com cheiro de talco ainda, mas espero chegar a nivel profissional como este seu aqui. Parabéns e continue escrevendo.

    ResponderExcluir
  8. Ah o link kkkk estoulendodireito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nina, eu sou suspeita e você sabe para falar do seu blog, mas menina adorei as suas dicas como sempre, eu preciso criar vergonha na cara e voltar a escrever, eu tenho uma história com 25 capítulos escritos e até hj nao finalizei por vergonha acredita? Me bate...

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM