Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Você une todas as coisas

by - agosto 15, 2015

É, faz um tempo. Sei que riscou mais um quadradinho do seu calendário. Hoje completam 730 dias. Gostaria de pedir perdão, de ser capaz de te remontar e ser o motivo da sua felicidade. Vejo-a se esforçando, oferecendo sorrisos aos outros, conhecendo lugares novos e amando novamente a vida. Longe do sofrimento, longe da angústia, longe do pânico. Talvez você possa pensar que te odeio por tudo isso, mas a verdade é que me orgulho da sua força. Não sei ser mais a mesma, afastei tudo o que era, busquei rotas que não me levaram a lugar algum. Orgulho-me da sua batalha diária, aquela que você toma para si e investe tempo. Desde o primeiro encontro, eu entendi que você não foge do que quer e do que a vida tem a oferecer. Nunca foi uma fugitiva em ação e me fez ficar até aquele dia. Depois disso, enfrentou noites de insônia, tentando convencer-se de que quem deveria ficar era você. Entendeu que eu fui, mas que, em hipótese alguma, deveria fazer o mesmo. Volto quando puder, quando eu me permitir. 

Sei que perdeu batidas desde então. Fica na varanda do seu apartamento, no meio da madrugada, olhando a escuridão estrelada e pedindo ao destino que a dor diminua, que pare de engoli-la e atormentá-la. Ao invés de contar as estrelas, você tenta me achar nelas e por entre as suas perguntas indefinidas e inconformadas. Não era para ser assim, não é justo, não é a vida que pedi. É, a gente não escolhe sofrer, não escolhe amar e não ser retribuído, não escolhe o momento da partida. Nossas ações poderiam resolver muito do que não compreendemos, no entanto, há mistérios que perduram no tempo. Por quê? É tudo o que queremos saber. Neste momento, você não está preocupada com o aumento do dólar, ou com a crise financeira da sua empresa, mas no porquê a vida seguiu dessa forma que nunca quis. É que não é justo, ninguém merece uma vida incompleta. 

Você pensou que estaria feliz agora, casada e construindo uma vida ao meu lado. Talvez, apenas construindo uma vida ao meu lado, nutrindo felicidade plena. Mas, na plenitude, você nunca realmente viveu. A verdade é que estar plena é algo que não conhece. Poderia estar agora, mesmo sozinha. Ou comigo. Ou com aquele nosso vizinho que sempre lhe disse bom-dia. Apesar disso, você se convence de que, se tiver que arriscar, fará na mesma hora. Não tenho mais medo da dor, porque viver é uma constante dor. Você une aquilo que poderia lhe destruir. Todo o buraco negro dentro da sua cabeça que alimentou durante meses e todo aquele vazio imensurável no peito, agora, te constroem. Faço do meu pior inimigo quem sou, vivo no universo que me arrebenta apenas para resgatar aquilo que perdi. Sei que perdeu muito; o brilho no olhar, os sorrisos sinceros, a coragem de dançar no meio da rua. O seu inimigo te reduziu naquilo que ele sempre quis: em nada, em uma forma irredutível que, muitas vezes, faz com que você se ache incapaz. 

Mas, de fraca, você nada tem. Você une todas as coisas. Une o que ficou e o que se foi. E, apesar de achar que não tem mais o que unir, eu continuo com você. Aquele troço de coração, mente e espírito, sabe? Eu te mantenho todos os dias, na luz dos olhos e na escuridão da noite. Sim, essa é você. Sobreviva, viva e una todas as melhores coisas bem no seu âmago, que nunca foi um inimigo. Continue, continue. Vá em frente. Tô aqui, perto de você. Peça paz, mas não esqueça do amor. É que ele sempre volta pra gente quando menos se espera. 


Love
Nina 

You May Also Like

14 comentários

  1. Oi Nina! ;)

    O amor e seus mistérios, seu ir e vir, seu balanço que nos faz sonhar, suspirar (e às vezes chorar). Nem sempre é reciproco, mas é sempre amor. Principalmente para quem sente e sabe da força que ele nos traz. Eu acredito que o amor é a força mais poderosa que existe. E que quando não cabe no peito, ele vira texto, poesia, crônica, canção... vira sonho, desejo. São os melhores afetos que só o amor nos faz sentir. Você não escreve simplesmente Nina, você se relaciona e nos encanta com suas palavras!

    Bjs

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, eu amei seu texto, algo tão único e intenso. Adorei o modo como expõe as palavras. Me vi um pouco nele, meus parabéns
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina, sou apaixonada pelos seus textos, sempre tão cheios de sentimentos. O amor e suas nuances, seus encontros e desencontros, foi belamente descrita no seu texto.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  4. Oi Nina!!!
    sempre falo isso e não me canso. Seus textos são incríveis <3
    amor é um tema totalmente complexo e lucido, estou encantada por sua forma de escrever sobre ele.;)
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Olaa
    Nossa, adorei o texto. Muito intenso e bem escrito haha até me emcionei, parabéns.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  6. Nina lindona que texto lindo, sobre dor, seguir em frente e sobre o amor, que mesmo longe está ali perto no seu coração. Parabéns. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Nina, esse texto traz memória e solidão. Senti isso e na verdade quem nunca passou por isso nessa vida. O texto me pareceu rico de mistério e de envolvimento. Uma leve e breve leitura para fechar minha noite. Gostei e nos surpreenda mais!
    Bjs
    Mila-Scraplivros

    ResponderExcluir
  8. Que intenso! O mais bonito é que fala de um amor solidário e não egoísta. Isso é raro. Acho que ficar longe, não ser correspondido desperta sentimentos mesquinhos. É muito difícil desejar a felicidade do outro.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nina, você escreve muito bem, já pensou na possibilidade de publicar um livro com seus contos? Cada parágrafo seu é intenso de uma forma única!

    ResponderExcluir
  10. Lindo!! Você sempre me descreve tão bem em seus textos... "É que não é justo, ninguém merece uma vida incompleta." Esse sentimento realmente anda me atormentando um pouco, mas acho que só agora, depois de muito tempo, estou aprendendo a lidar com o fato de que a vida é realmente essa coisa incompleta e sem sentido, e que o que temos a fazer é aceitar e transforma-la em algo divertido na sua forma imprevisível de ser.

    Mil beijos!
    http://www.miopesanonimos.com/

    ResponderExcluir
  11. Fiquei com saudade de bater papo com você e vim aqui no teu blog te ler.
    Me sinto até redundante porque sempre comento que seus textos são lindos, mas é que são mesmo! rs E fiquei pensando, acho que nenhum de nós nunca conhece a plenitude 100%. Sempre falta alguma coisa, sempre estamos com algum vazio e isso move a gente a ser forte. O tempo todo.
    É cansativo mas também é bonito.

    Um beijo grande, querida <3

    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Fiquei com saudade de bater papo com você e vim aqui no teu blog te ler.
    Me sinto até redundante porque sempre comento que seus textos são lindos, mas é que são mesmo! rs E fiquei pensando, acho que nenhum de nós nunca conhece a plenitude 100%. Sempre falta alguma coisa, sempre estamos com algum vazio e isso move a gente a ser forte. O tempo todo.
    É cansativo mas também é bonito.

    Um beijo grande, querida <3

    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oie, nossa que texto intenso e reflexivo! É um texto que fala sobre falta, saudade e solidão e faz a gente refletir. Parabéns!
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Nina, sem dúvidas mais um texto incrível!!! Meu parabens... que amor lindo, triste, mas ainda lindo. Amei o que escreveu e sem duvidas me fez pensar muito.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM