25 de outubro de 2015

#Resenha de livro: Livre Mente


Esse ano me reservou ótimas surpresas poéticas e o livro Livre Mente, da autora Isabela Xavier, foi uma delas. Apesar de eu o ter lido em formato e-book, a leitura fluiu tão bem que, em poucos minutos, eu concluí a leitura. Demorei um tempão para lê-lo (especialmente, porque não tenho o costume de ler livros digitais e, devido a isso, acabava esquecendo de acessar meu Kindle), mas quando comecei não consegui parar um só minuto :)

Título: Livre Mente
Autora: Isabela Xavier
Editora: publicação independente (Amazon)
Ano: 2015
Páginas: 142
+ 

Logo de cara, eu fiquei encantada com a arte contida nas páginas digitais desse livro (e dessa capa sen-sa-ci-o-nal ) É simplista, mas poética e marcante. Conseguiu completamente representar a essência dos poemas. Na minha visão (e eu já sei que estou errada, de acordo com a autora), todos os poemas falavam sobre situações e emoções pessoais, do dia a dia. Todos, aliás, me deixaram muito confortáveis e houve uma identificação imediata com a maioria. Há uma grande carga sentimental - ora afogada em amor/desamor, ora carregada de tristeza/frustração. E creio que tenha sido isso que me fez entender o quanto de mim havia em cada verso. 

Algo que me chamou muita atenção foi os títulos. Pessoalmente, eu acho meio difícil intitular um poema, mas os da Isabela se casaram perfeitamente com cada título. Alguns, aliás, eram a própria poesia - se não houvesse algo abaixo deles, não faria falta nenhuma. Sei que parece ridículo dizer isso, mas há muita poética no trabalho da autora. Há muita sensibilidade, mas também pinceladas de duras realidades (sem nunca deixar de ser poético, claro). Antigamente, poema nenhum me afetava ou me emocionava, no entanto, todos os que li esse ano me trouxeram até mesmo ensinamentos. Os contidos em Livre Mente não são exceção. Pude me descobrir e redescobrir várias vezes durante a leitura dos poemas. 

Eles não seguem uma linearidade literária, ou seja, as rimas são muito variadas (há tanto rimas brancas quanto as mais características). É claro que quando há versos com rimas nos dá a sensação de sonoridade, de um casamento fonético marcante e, até mesmo, de um ritmo na leitura. Mas, quanto mais leio poesia, menos eu me importo com essas convenções. Os trocadilhos e as aliterações deram um charme maravilhoso, alguns me fizeram rir e sorrir, inclusive. Outros, daqueles meio sofridos, me recordaram tristezas e saudade. 

Conforme eu avançava na leitura, mais eu entendia o quanto a autora realmente estava ali não somente através das palavras, mas de alma e de sentimento. Parecia que, a cada novo poema, mais eu a conhecia (mesmo que não sejam realmente auto-biográficos). Os poemas me trouxeram bastante alegria e muita tranquilidade, com certeza. Mesmo os "pesados" conseguiram passar uma calmaria incrível. Diversas vezes, os versos que li pareciam justamente aquilo que eu estava precisando ler no momento e foi incrível, mais uma vez, reconhecer a sincronicidade da poesia na vida daqueles que gostam dela. O trabalho da Isabela é altamente recomendável não somente àqueles que gostam de gênero, mas àqueles que apreciam momentos leves que proporcionam diversas reflexões 

Confiram alguns poemas, ou versos, que eu adorei: 








#Para comprar: aqui

________________

*BÔNUS: entrevista com a autora

1) O que te lembra a poesia?
Os detalhes da vida que vejo nas pessoas, nas coisas, na natureza. Geralmente as coisas que passam despercebidas pela maioria das pessoas, no ritmo acelerado do cotidiano, saltam aos meus olhos. Pode ser o jeito de alguém falar; um olhar; o modo como a luz do sol passa entre as folhas de uma árvore; uma frase dita ou lida. Duas coisas que muito me inspiram são a natureza e os sentimentos, principalmente os tristes.
Algumas coisas específicas que me fazem querer escrever poesia: saudade; perda; dias nublados; chuva; o céu; o musgo que encobre um muro ou uma pedra (oi? Estranho, eu sei); reflexões existencialistas; loucura; sonhos. Chega, para não acharem que sou muito louca (só um pouco).

2) O quanto seus poemas foram inspirados na própria vida? 
Ao contrário do que parece (de acordo com o feedback que recebo), a maioria dos poemas não foi inspirada em acontecimentos da minha vida, embora alguns sejam literalmente autobiográficos. Todos os poemas, porém, têm algo de mim, sentimentos reais (seja no momento da escrita ou não), um pouco do que sou ou do que já fui.
Para aguçar a curiosidade: no Livre Mente há 79 poemas, 12 destes são autobiográficos. Por autobiográfico, quero dizer que escrevi explicitamente inspirada em algum acontecimento específico e/ou, como eu digo, para destinatário definido.
*risos maléficos da autora*
Porém, reconheço que muitos dos demais poemas foram baseados nessas mesmas experiências, embora não tenham sido dedicados a elas.

3) Por que poesia e não prosa? 
Comecei minha ainda breve carreira literária em 2012, escrevendo poesia. Fui impulsionada a escrever porque carregava tristeza, decepções e frustrações que estavam aprisionadas em mim. Isso tudo, porém, não se converteu em desabafos explícitos, mas tomou forma de poesia. No fim de 2012, rompi com tudo que me fazia mal. Esse momento de libertação fez sair de mim uma enxurrada de poemas que me surpreendeu. Até então eu só era leitora. Então acho que comecei pela poesia porque parti de uma explosão sentimental.

Hoje escrevo prosa também. Tenho um livro-projeto no Wattpad, chamado Histórias de Bolso, que é uma coletânea de minicontos. Escrevi e estou escrevendo contos maiores. E tenho um romance em andamento. Além de muitas ideias na cabeça e na gaveta, é claro. Mas a poesia sempre persistirá. Sinto que sou um canal usado pela poesia. Então, espero que ela nunca me abandone, pois não consigo mais ver o mundo com outro olhar senão o poético.

#Para ler "Histórias de Bolso" no Wattpad: aqui

Love, Nina :)

5 comentários:

  1. Gosto muito de livros de poesia, sempre me fazem bem!Adorei ver a capa que também achei maravilhosa e adorei a escrita fluida nas amostras de leitura, esse vai para meus desejados!
    Mila-Scraplivros

    ResponderExcluir
  2. Ola Nina poesia sai um pouco de minha zona de conforto, mas me encantei com a resenha, com as poesias os temas e essa capa está linda mesmo. Dica mais que anotada . beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  3. Oláá
    Uau, que capa liiinda, estou encantada. Muito interessante esse livro, adorei sua resenha e quero muito ler o livro, ótima dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nina, ando lendo tão pouca poesia. Antes, quando estava na universidade, eu li mais. Gostei do poemas postados. Tem muito a ver com tudo que você colocou na resenha. De todos, o que mais me tocou foi Rendição. Sempre acreditei que a paz estar dentro de nós.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Adorei menina, estava olhando cada foto e me apaixonei pelo que leva o titulo do livro, minha familia é recheada de artistas e adoro poesia, gostei de saber mais da autora também.
    Parabéns a ela e a ti.
    http://k-secretmagic.blogspot.com.br/
    Xoxo

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)