Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Resenha de livro: De repente, nós

by - dezembro 21, 2015

De repente, nós é uma antologia que recebi da autora parceira Flávia Duduch. O conto Primeira vez foi escrito por ela para compor o livro. Claro que não falarei apenas deste conto ;)

Título: De repente, nós
Autores: Diversos
Editora: Andross
Ano: 2015
Páginas: 304

De repente, nós é uma coletânea de contos de amor - das mais variadas formas de amor. Então, somos apresentados às mais diferentes histórias. O que, de imediato, chama a atenção é a variedade de autores. Gostei demais de perceber os estilos ali; alguns são mais simples, outros, mais rebuscados. Todos acabam se complementando, conferindo uma ótima identidade à antologia. Não há apenas uma linha editorial, então, o leitor acaba conhecendo recortes de histórias específicas, ou até mesmo uma grande "linha do tempo" da história de um casal. 

O que mais me motivou a ler foi essa miscelânea de palavras, estilos e enredos. Alguns contos são um pouco mornos e me fizeram sentir indiferente, mas outros são geniais e muito críveis. Há uma mistura de romance clichê com romance rude, onírico e trágico. A antologia pode agradar a todos: os que não gostam de romance, os que até gostam e os que não vivem sem. Justamente por isso, o livro deu mais do que certo. O romance não é enaltecido, ou exacerbado, é apenas um dos elementos que compõem, de forma agradável e harmônica, o objetivo da coletânea. 

Meus contos preferidos - não estão em ordem de preferência (spoilers free):

1) Primeira Vez (Flávia Duduch) - o que adorei neste conto foi o fato de a autora não ter especificado em momento algum qual é o gênero do personagem narrador. Embora a pessoa por quem o personagem esteja apaixonado seja uma garota, a parte da imaginação fica toda para o leitor: pode imaginar um casal heterossexual, ou homossexual. E isso, de modo algum, interferiu na afeição que tive pela história. 
2) Doce ironia (André Silva) - o ponto alto do conto é a significação do título na história. A doce ironia é simplesmente fantástica no enredo e, por isso, tornou-o surpreendente. 
3) Te encontrei (Letícia Borja) - acho que este é um dos poucos contos com uma linguagem jovem, estilo YA, e, portanto, já foi o suficiente para eu adorá-lo. A forma como a autora conduziu a história é despretensiosa, mas que, no final, me deixou muito feliz pela sacada que teve. Sem contar que é um dos poucos contos que me fizeram rir pela naturalidade das situações ali escritas. 
4) O amor é cego (Davi Paiva) - é um dos contos mais lindos da antologia, pois é de extrema sensibilidade, mas realidade. É uma história tão marcante que a reli muitas vezes e sempre com muita emoção. 
5) No silêncio da noite (Evelin Barboza) - a princípio, o leitor pensa que é apenas uma personagem boba que está reclamando de um relacionamento qualquer. Não, não é. Senti o poder de todas as palavras enquanto garota, leitora e escritora. Sabe aquela velha história de que, às vezes, amamos tanto alguém que acabamos esquecendo de cultivar o amor-próprio? Pois bem, esse conto tem muito a nos ensinar sobre isso. Como feminista, esta história, que é mais um monólogo, me deixou muito feliz e satisfeita. 
6) O meu primeiro amor (Raphael Sulivã) - eu conheço o Raphael há algum tempo, por causa do blog Quem gosta de ler. Fiquei muito feliz por encontrar este conto dele na antologia, pois já o havia lido e gostado muito. O que mais me chamou atenção foi a época em que a história se passa e o sentimento romântico presente que, de maneira alguma, é clichê. 
7) O início, o meio e o fim (Vinícius Do Sol) - a narrativa é jovial e segue o rumo esperado do título em questão. A história me pegou de surpresa, por causa da reviravolta. 
8) Um segredo entre nós (R. S. Rolim) - com certeza o meu preferido do livro. O que me conquistou de cara foi o modo de escrita, que é muito parecido com o meu. A linha de raciocínio e a prosa poética, também. Para os desatentos, o conto pode não "dizer" muita coisa, mas eu consegui entender todas as ideias implícitas e sutis. É o único conto que me fez apaixonar por quotes inspiradores, que me acalentaram a alma e que, tenho certeza, levarei para a vida. 

“Eu podia sentir os olhares das pessoas queimando em minha pele. No entanto, eu não conseguia me importar com isso. O momento era bom demais para que eu ocupasse minha mente me preocupando com outras pessoas que não fossem Lucy e eu”.
Primeira vez, Flávia Duduch.
 Ter tido a oportunidade de ler essa antologia foi muito boa, pois me ajudou a relaxar antes de dormir (eu e minha mania de ler antes de dormir, rs). História belas, marcantes e inspiradoras que, com toda a certeza, merecem mais atenção. Ao ler as mini-biografias ao final, fiquei contente por saber que muitos autores são de "primeira viagem" e, ainda assim, se saíram muito bem. Com certeza, o livro é muito bem produzido, ainda que, às vezes, a revisão tenha deixado a desejar. A capa é muito atraente e a diagramação muito bem feita. 
“A vida se fez em você. A vida que eu quis deixar para trás. E que a todo e qualquer custo meu coração grita nesse apelo constante por preencher de um ar essa ausência que ficou à margem de quem eu era. Pena que só compreendemos o grande milagre da vida quando a deixamos de lado. (...) A vida é isso. Não é uma carta incompleta com um pedido de adeus escrito às pressas. Não é um livro inacabado. A vida é muito mais do que isso. A vida não quer mais ser esse canal de linhas de uma vida incompleta. A vida não quer mais ser espera nem ser expectador de partidas”.
Um segredo entre nós, R. S. Rolim. 
#Para publicar: a Andross Editora está com inscrições abertas para a novas coletâneas de contos, poemas e crônicas até 31/01/2016, basta clicar aqui. 

Love, Nina :)

You May Also Like

5 comentários

  1. Estou encantadaaa, vi em vários lugares já este livro, mas não tinha lido nenhuma resenha e vou te dizer que adorei, a andross sempre me surpreendendo.
    Beijos ❤
    Segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, não conhecia o livro e sou encantada com contos. fiquei curiosa com No silêncio da noite; Primeira Vez e O início, o meio e o fim por causa da reviravolta que você disse ter :D

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei do título da antologia. Gosto dos efeitos de sentido por trás da palavras 'nós'. Acho que o conto que mais chamou minha atenção foi Primeira Vez. Me identifico com escritas que não trazem as coisas tão explicitas.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oiiie
    Eu adoro contos para intercalar com alguns livros, e adoro romances então imagino que curtiria o livro, é uma ótima dica e espero ter oportunidade de ler e curtir bastante, ótima resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ahhhhhhhhhhhhhhhhh! Foi mal, mas sou escritor novo e é a primeira resenha de um livro que participo que leio então. rs. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!! <3 <3

    Muito obrigado por lembrar de mim Nina, Muitooooo obrigadooo! rsrsrs!!!

    Abração!!!

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM