Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Retrospectiva 2015

by - dezembro 31, 2015

Fim de ano é um dilema, né? A gente quer que o novo ano se inicie o mais rápido possível para deixar para trás as situações ruins, mas ainda assim, queremos continuar guardando as boas. Bate saudade. Então, pra ninguém ficar com saudade de 2015, fiz uma retrospectiva baseada, em parte, neste post do Perplexidade e Silêncio e na do ano passado.



Melhor livro nacional:
Uma vida para sempre, de Simone Taietti

Se tem algo que prezo na literatura é o quanto nós, leitores, nos modificamos ao longo de um livro. Uma história que nos refaz, desconstrói e re-unifica nossos pedacinhos é, com certeza, um achado. Poucas conseguem essa façanha e este livro, com certeza, me atingiu em cheio, bem na época que mais precisava de ajuda. 
Um vida para sempre conta a história de Ethel, uma garota doente. Ela é obcecada pela morte e por sua simbologia, mas quando conhece Vitor, seus conceitos sobre morte e vida se misturam enquanto o amor surge. 
Escolhi-o simplesmente porque ele é profundo, rico, sutil, poético e soube me devolver a vida num período em que eu pensava demais no seu oposto. 
#Resenha: AQUI.



Melhor livro de poesia:
Toda Poesia, de Paulo Leminski

A poesia quase nunca esteve, intrinsecamente, mergulhada em mim e, até esse ano, eu duvidava muito que encontraria beleza e calmaria em versos. Mas aconteceu e sou eternamente grata.
Toda Poesia é a antologia poética completa do escritor Paulo Leminski. A partir daí, passei a admirá-lo profundamente.
Escolhi-o também porque o li num período conturbado e, portanto, a poesia contida nele me trouxe paz, leveza e a imensa paixão por haicais. 
#Resenha: AQUI.







Melhor livro Young Adult:
Os bons segredos, de Sarah Dessen

Acho que não li tantos YA's quanto gostaria este ano, mas esse foi uma enorme e maravilhosa surpresa que, com certeza, guardarei para sempre na estante e no coração.
Os bons segredos é sobre um drama familiar, mas que mescla humor, epifanias, romance e, claro, lições de vida. A protagonista Sydney enfrenta meses complicados dentro de casa, logo após seu irmão mais velho ser preso por acidentar um garoto. Ela, então, decide mudar de ares e, na nova escola, conhece pessoas divertidas que, acima de tudo, se importam com seu bem-estar.
Escolhi-o, porque é uma história transformadora que pode muito bem transformar também o leitor e, portanto, surpreendente. 
#Resenha: AQUI.




Melhor livro de fantasia:
Os três encontros, de Rúbia Dias

Afastei-me de forma gritante da fantasia no último ano e fiquei mais do que feliz pela autora (dona do Perplexidade e Silêncio) ter me re-conquistado a ler o gênero. 
Os três encontros é uma narração muito intimista e onírica, que traz à tona questões sobre o nosso ser: afinal, quem são o Universo, o Tempo e o Destino e será mesmo que eles podem influenciar naquilo que fazemos e somos? Com certeza, uma leitura incrível, marcante e muito epifânica. 
#Resenha: em breve.







E se todo momento na vida viesse
com uma segunda chance? 
Melhor filme:
About Time (Questão de Tempo), 2013

Assisti-o recentemente e arrebatou o meu coração de um modo irreversível. Com certeza, sensacional.
About Time (que tem na Netflix, então corre!) é sobre Tim, um jovem que descobre que pode viajar no tempo. Assim, ele tenta fazer com que suas viagens o apresentem ao amor. Alterando o curso de muitas situações, Tim enfim descobre que viagens no tempo não podem fazer alguém amá-lo da maneira que quer, apenas porque quer. 
Uma storyline aparentemente boba e romântica, mas que esconde toda uma lição simplista sobre a vida, os amores e as consequências. 
#Resenha: em breve.






Conquista do ano:
A publicação do meu conto "Sutilmente"


Já faz uns dois anos que decidi sair da minha zona de conforto e, por isso, comecei a escrever histórias que envolvessem temáticas LGBT (confira AQUI). Comecei com as fanfics e, mais ou menos em Março, escrevi meu primeiro conto homoafetivo. Até Setembro não soube o que fazer com ele, mas sabia que não queria deixá-lo na gaveta, então, publiquei-o na Amazon, depois que ele ganhou a capa dos meus sonhos, ilustrada pela Alice Gomes (conheça o trabalho dela AQUI). 


"Sutilmente" é sobre se deparar com sentimentos indecifráveis e inusitados e tentar entendê-los com cuidado; curiosidade, ansiedade e amor podem ser descobertas sutis para quem apenas tem 13 anos. A protagonista Giovana convida o leitor a conhecer Laura e perceber que o amor se esconde nas mais variadas nuances de alguém.

Minha maior satisfação é que ele está sendo muito bem recebido e, a cada resenha que leio, fico imensamente feliz por saber que o que escrevi realmente está sendo absorvido pelos leitores. Até hoje, só recebi palavras incríveis e que me emocionaram muito. Tive bastante medo devido à temática, mas minha gratidão é eterna por saber que minhas personagens são vistas como quaisquer outras pessoas. E, como se tudo isso já não fosse emoção suficiente, em Outubro o conto alcançou a 36º posição dos mais vendidos da Amazon (de 100, na categoria "Baixados grátis"). 
#Para comprar: AQUI.


Melhor música:
Last Hope, Paramore

O Paramore vem me acompanhando desde 2008 e, honestamente, tenho certeza de que é a banda da minha vida. As letras falam algo (sonhos, incertezas, desamores, solidão) e as melodias tocam a alma de um modo que, raramente, outras bandas fazem. 
Last Hope pode parecer que fala, meramente, sobre esperança. E, sim, fala. Mas a mensagem não é, exatamente, sobre ter (a primeira ou a última) esperança. Cada verso, na verdade, é sobre deixar acontecer
Escolhi-a não apenas porque é Paramore, mas porque essa música, literalmente, me acompanhou o ano i-n-t-e-i-r-o. Não sei passar uma semana sem ouvi-la. Sempre que algo muito bom ou muito ruim acontece, já vou eu ouvi-la, porque ela me recorda sobre a minha humanidade. Sobre eu ser quem sou e sobre quem eu quero ser. Sobre aqueles que eu deixei para trás, e sobre aqueles que quero deixar entrar na minha vida. Sobre os pedaços que deixei que me arrancassem da alma e sobre os tecos que todo dia alguém me doa com amor. É um sentimento quase inexplicável o que sinto por essa canção e tenho a absoluta certeza de que ela seguirá sendo a minha preferida por toda a vida. 
#Ouça: AQUI.

Melhor(es) texto(s) publicado(s) aqui:
Um dia, a felicidade vai te encontrar, no mês de Junho
Tenho algumas coisas bonitas para te contar, no mês de Julho
Uma coisa é sempre outra, no mês de Novembro

Escolher um único texto é difícil, pois sou aquela escritora-leitora que ama vários trechos de diferentes recortes daquilo que senti. Mas, falando essencialmente de sentimento, três ainda me saltam o coração. Foram escritos em momentos bastante diferentes, mas que podem resumir bem quem sou e o que o ano representou. Um dia, a felicidade vai te encontrar foi um texto sobre renovação, sobre um desejo de divisor de águas: queria deixar a tristeza para trás. Se consegui? Não sei. Mas, quando retorno a ele, ainda sorrio pela esperança depositada nele. No meio do caminho existiu um texto: Tenho algumas coisas bonitas para te contar. É sobre tentar transformar as tristezas, as angústias e os tropeções em coisas bonitas. Não precisavam ser perfeitas, coloridas, efusivas ou explícitas. Apenas precisavam ser bonitas para a minha alma. Uma coisa é sempre outra me fez doar poética de uma forma que nunca realmente imaginei que conseguiria (e verdade seja dita: nunca imaginei que tivesse isso dentro de mim). O lirismo dele permitiu que eu me enxergasse de forma mais plena e complexa, embora sem deixar a minha enorme parte sutil de lado. 

Feliz Ano-Novo. 
Muitos livros novos, velhos, re-lidos, re-encontrados. 
Muitas novas histórias de amor, de solidão, de sabedoria. 
Obrigada por fazerem do Nina um lugar incrível! 

Love, Nina :) 

You May Also Like

17 comentários

  1. Uma retrospectiva perfeita! Td muito legal ( acho que vou ver agora esse filme!) e adorei td. Um bju, que 2016 fortaleça ainda mais nossa amizade!

    ResponderExcluir
  2. Bah, que restropectiva! Eu tenho muito interesse em "Uma Vida Para Sempre" acho que temos que valorizar os nossos autores brasileiros. Já ouvi falar muito bem desse livro, e já que esse ano pretendo ler muito mais do que ano passado, acabei de adicionar esse a minha lista.. Teu conto LGBT me deixou bastante curiosa. É difícil achar quem escreve sobre o assunto, e pelo jeito parece ser bem leve e gostoso de ler.. Espero que escreva mais contos (quem sabe um livro de contos LGBT? Ia ser sensacional) Abraços, Pâm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pam!
      Fiquei muito feliz por 2015 ter feito com que eu conhecesse tantos autores nacionais *-* Uma vida para sempre é maravilhoso, vale muito a pena.
      Ah, meu conto estará de graça entre 08 e 10, caso queira lê-lo :) Fico feliz que se interesse pelo assunto.
      Beijos.

      Excluir
  3. Ano movimentado aqui no seu blog. Concordo com o filme, muito lindo e maravilhoso. Parabéns pelos contos e pelos textos fantásticos que tem escrito. Já me conhece, né? Sabe que começo o ano super animada, comentando aqui, postando no meu blog, mas aí a correria dos dias vão me fazendo sumir hahaha.
    Beijo, Nina.

    http://essameninamoca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Eu simplesmente amo esses post's de retrospectivas e o seu está ótimo, parabéns pela publicação do seu conto, fiquei muito interessada em lê-lo, vou dá uma olhada na amazon sim, é sobre um tema que me interessa imensamente.
    Já estou seguindo e adorando o blog <3
    Beijos.
    Tenho um blog sobre filmes, series e cultura no geral. Se puder dar uma conferida eu ficarei grata: http://cineleva.blogspot.com/ :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Willma.
      Meu conto estará de graça entre 08 e 10, fica de olho ;)
      A-D-O-R-E-I seu blog, sensacional! Parabéns! :)
      Beijos.

      Excluir
  5. Pronto, voltei aqui para comentar apropriadamente, hehe.
    Primeiro, adoro suas retrospectivas, acho que elas são sempre interessantes, e gostei que vc adicionou música e filme. Amooooooo "Questão de Tempo", amo amo amo!! <3 Muitos corações!!
    E fico muito feliz de ter te trazido de volta para o lado fantasioso da força, por aqui é bem legal, não vai embora não.

    Um beijo, com carinho.
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, nem precisava!
      About Time é amor demais, mesmo <333
      Espero continuar lendo muita fantasia esse ano :3

      Beijos.

      Excluir
  6. Há muito tempo eu tinha visto Questão de Tempo, e uma frase que me deixou marcada no filme, não sei se você se lembra foi:
    - Queria ter dito que te amo.
    - Voce disse, pai. Ficou subentendido.
    - Não sei se subentendido é o suficiente. :'(
    Ou seja, esse filme... <3
    Agora quanto ao que você comentou sobre zona de conforto, ultimamente os escritores têm procurado fazer isso, e cada vez mais os leitores também. É isso o que torna a leitura não cair no círculo vicioso, e o que a torna ter sentido também. Parabens pela sua coragem!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivi maravilhosa <3333

      P.S.: essa cena é mesmo linda. Eu muito da sutileza e do subentendido, mas, realmente, o oposto disso às vezes é bem melhor <3

      Beijos.

      Excluir
  7. Oi. Toda Poesia, de Paulo Leminski também ficou entre os meus melhores de 2015. Simplesmente fabuloso. Em minha lista acrescentaria Luis Antônio-Gabriela, também nacional.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem!

    Ai, ai.. quanta coisa boa em um ano. 2016 vai ser melhor, com certeza. Eu li Toda Poesia e achei muito legal. E estou com muita vontade de ler Os bons segredos. Muito curiosa. Adorei o post. Estou enrolando para fazer os meus melhores do ano.

    beijos
    http://www.livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi oi!
    Adorei a sua retrospectiva!
    Não li nenhum dos livros citados, mas fiquei MUITO curiosa com "Os três encontros" e já vou procurar saber mais cobre ele.
    Beijos e feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  10. Oiiie
    Questão de tempo é um ótimo filme, quero meeega ler Os bons segredos e Uma vida para sempre é lindo, fiquei feliz pela sua conquista e espero que esse ano você tenha muito mais

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie Nina!
    sem duvida o começo de ano é um ótimo período. Traz aquele sentimento de que tudo é possivel, é simplesmente maravilhoso. Tenho muita vontade de ler Uma vida para sempre e Os bons segredos, acho que comentei isso nas respectivas resenhas. Assim como você me encontrei de verdade na poesia somente esse ano, estou apaixonada pelo Leminski. A forma como ele descreve sentimentos é simplesmente incrível. Já tinha visto o trailer de About Time e ficado bem curiosa, por que amo a Rachel McAdams, mas seu comentário me deixou ainda mais animada para assisti-lo. Puxa eu não sabia sobre o seu conto, vou procura-lo na Amazon ;)
    beijão, e um ótimo 2016

    ResponderExcluir
  12. Que em 2016 seja repleto de conquistas e livros incríveis para você, Nina! Gosto muito das listas de final de ano, pois eu sempre consigo anotar livros incríveis que deixei passar ao longo do ano. Da sua lista eu só vi o filme. O livro do Paulo faz tempo que eu quero ler. Já o seu conto, juro que logo mais terei tempo para resenhá-lo.


    Beijos!

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.



INSTAGRAM