Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Essential Book: Expecto patronum

by - março 20, 2016

Mês passado, comecei o Essential Book com um grupo de blogueiras. Só para reiterar rapidamente, caso você ainda não saiba sobre o projeto, a proposta é fotografar um tema por mês relacionado a livros. O de fevereiro foi sobre a essência de uma personagem feminina e, neste, é a de um quote preferido

Se foi difícil escolher? Não, e depois sim, e depois muito. Isso porque eu coleciono quotes de uma forma, provavelmente, compulsiva. Não sei deixar um quote para trás. Alguns, aliás, eu decoro de tanto que leio. A princípio, iria escolher um dos últimos mais marcantes, que foi do livro Mosquitôlandia: "Existe vida na minha vida". Mas, aí, eu percebi que estava esquecendo daquele que, desde o ano passado, tem me ajudado a enfrentar meus medos e demônios. Acho que não é surpresa para ninguém que Harry Potter permeou a minha adolescência e, até hoje, o carrego como lição de vida. E o quote escolhido foi justamente retirado do terceiro livro da saga, O Prisioneiro de Azkaban. O quote explica o feitiço Expecto patronum, que é usado, comumente, como proteção


A simbologia do feitiço, fora do universo fictício, tem um efeito certeiro em mim. Isso porque a autora, J. K. Rowling, o criou como um modo de tentar representar um abrigo para sua depressão. A depressão, no universo dos livros, é representado pelos dementadores, seres de energia negativa que "sugam" a felicidade, esperança e desejo de sobrevivência das pessoas. Embora, no livro, o professor Lupin diga ao Harry que a criatura não pode realmente afetá-lo, fica muito evidente que, metaforicamente, Rowling criou um paralelo perfeito para falar da depressão, em especial quando diz que, para combater os efeitos colaterais de um ataque de dementadores, o chocolate tem um alto poder  de cura (sabe-se que, no mundo real, o chocolate nos dá a sensação de felicidade). Eu fico muito reconfortada por saber que outros fãs também entenderam essa conexão entre a saga e a vida real. Algo bacana, inclusive, que acontece relativo à simbologia dos dementadores é que a própria Rowling dá coragem aos fãs para que eles se apeguem as suas palavras como motivo de desejo de sobrevivência (veja essa notícia). 

A maravilhosa da Carol falou sobre tristeza no seu post do Essential Book e, conversando com ela sobre o tema, percebi o quanto as pessoas, de forma geral, têm medo de externar esse sentimento. Bem, a vida pode ser bonita, sim. Mas não acredito que ela seja feita de felicidades aos borbotões. Acontece que, quando o dia não está bonito nem feliz, as pessoas tendem a fingir que não sentem a tristeza e não são capazes de aceitá-la (da forma que for). Sempre existe aquele estigma negativo sobre a solidão e tristeza: opa, você não deveria estar se sentindo assim. Confesso que isso nunca fez sentido para mim, uma vez que sou feita de melancolias por diversos e diversos motivos. E engana-se quem acha que eu sou infeliz assim, ou que eu "sou fraca demais para mudar quem eu sou". Acredito, na verdade, que temos que abraçar quem somos. E essa parte de mim eu nunca reneguei e simplesmente odeio quando tentam me dizer que eu não deveria estar me sentindo assim, porque existem pessoas com problemas reais. Então, a minha melancolia é um "problema" imaginário? Eu inventei um "problema"? A verdade é: o que faz um problema ser um problema? As lágrimas, os roxos no corpo, a vontade de desexistência? Vê o quanto é complicado? Porque, veja bem, quem é que sabe de todos os fardos que carregamos? Ninguém, além de nós mesmos. E, por isso, é tão difícil que outro alguém nos entenda. 

E foi por causa da melancolia e de alguns problemas reais que, desde ano passado, esta é uma das maiores simbologias da minha vida, porque o feitiço me faz lembrar que eu sou uma pessoa real com um problema real e que não existe nada de errado em querer proteção, descanso, esperança e desejo de sobrevivência. Hoje, Expecto patronum é equivalente à relação que tenho com a música da minha vida, Last Hope, Paramore


I. Produzir esse fundo me rendeu o que o quote diz ser uma única lembrança muito feliz. Quando criança, eu adorava desenhar, embora não tivesse o mínimo de paciência para pintar. E, hoje, mexendo com as tintas me deu uma sensação de muita paz - que pode, sim, ser uma lembrança muito feliz. Não sou de encontrar paz com muita frequência nem de desligar a minha mente, então, este momento me fez entender o que é estar no momento. 

II. Li algo, esses dias, sobre todo término parecer ser o fim do mundo para muitos. Percebi, inclusive, que lido com isso da mesma forma. Durante um tempo, não consigo ser positiva e, por isso, sempre parece que é o fim do mundo todo dia. Mas, como eu disse ali em cima, não acredito que a felicidade esteja na nossa vida em todos os momentos - e, quando ela não está, é só porque ainda estamos no meio do caminho. Não que todos os finais sejam felizes, mas acho que não é isso realmente o que interessa; são, na verdade, todos os momentos - felizes ou tristes - que colecionamos para chegar ao final.

III. Inevitalmente, Expecto patronum me faz lembrar de esperança. É o que tem me movido em muitos e muitos dias de uns meses para cá, na verdade. Só que, de um jeito diferente da maioria, eu parei de cultivar a esperança como algo que vai acontecer. As pessoas entendem que esperança é esperar por algo, mas Last Hope me ensinou que esperança é apenas deixar acontecer, porque, afinal, a gente nunca tem o controle de nada, só nos iludimos quanto a isso. É lembrar que temos de viver um dia após o outro e não esperar nada em troca.

IV. Além da esperança, comecei a pensar em quais outras palavras Expecto patronum me recorda e cheguei a duas: coragem e resistência. Coragem, porque eu preciso me lembrar quem sou mesmo em meio aos problemas. Resistência, porque preciso me lembrar que haverá dias difíceis e que a positividade precisa andar mais comigo.

___
Visite, também, as outras postagens dos outros blogueiros que participam do projeto:



Love, Nina :)

You May Also Like

4 comentários

  1. Que coisa mais bonitinha, gente! Adorei as fotos e, principalmente, seu texto. Que jeito lindo e poético de enfrentar a tristeza, você é demais Nina <3

    Beijosss
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Esse post é quase poético. Acho linda a sua relação com o Expecto Patronum e eu sinto o mesmo. Harry Potter como um todo me enche de esperança e vontade de viver, mesmo nos momentos difíceis.

    Lindas fotos, parabéns ^^

    ResponderExcluir
  3. Como um post pode ser tão fofo e cativante. Além do quote ser muito bonito e cheio de significados. As fotos ficaram um primor. Percebe-se o maior capricho. Minha nota é 10... com certeza. Haha

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. Na verdade, eu nunca cheguei a ler os livros do Harry Potter. Já tinha visto esse quote mas nunca pensei ou procurei saber o que a autora quis nos mostrar com ele.
    É inspiradora a forma com que você retrata o sentimento de tristeza. Inspiradora e poética também.
    Realmente adorei o texto, e vou começar a refletir mais sobre isso.

    Beijinhos da Mady.
    http://mdl-magodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM