Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Resenha de HQ: Vidas Imperfeitas

by - abril 05, 2016

Mostrei AQUI que eu tinha comprado algumas ilustrações e HQ's da loja da ilustradora Mary Cagnin. Eu ainda estou atrás de molduras legais para colocar as ilustrações na parede do quarto, mas as HQ's já estão lidas. Eu tinha começado a lê-las, na verdade, digitalmente, pois dá para fazer o download de todas no blog de Vidas Imperfeitas. No blog, são seis edições, mas de forma física essas seis edições foram comprimidas para três. Lá, você também pode encontrar alguns extras da história :)


Juno Omura é uma garota bastante atípica. Não é nada "menininha", pelo contrário: vive batendo nos garotos e tem má fama na escola (justamente por sua violência). A vida dela parece ser normal, ela tem amigas, um ex-namorado e a família. É justamente aí que a sua vida perfeita para. Sua família, mesmo no começo, é problemática. Juno não mora com os pais, mas com sua avó. Seu pai parece ser controlador e sua mãe, submissa. A garota não gosta nada da relação de seus pais e se esquiva bastante de manter qualquer relacionamento com seu pai. Desde o início, a personagem principal me chamou atenção e me cativou, embora eu não pudesse entendê-la completamente - e é esse o propósito da história, aliás: o vagaroso desnude das relações humanas e de vidas, aparentemente, bonitinhas e felizes.

Daniel logo se encanta pelo mistério de Juno e, aos poucos, se aproximam. De início, tudo é um pouco premeditado, mas o amor que nasce entre eles não dá a sensação, em momento algum, que foi construído na base de qualquer outra coisa além de carinho e admiração, embora, da parte de Daniel, haja bastante ânsia de cuidado - não simplesmente por Juno ser uma garota, mas porque ele começa a entender que, embora ela seja durona por fora, existe muita coisa acontecendo por baixo da superfície. O bom é que essa "imersão" que acontece com Daniel na vida de Juno nos proporciona a mesma coisa. Como o mistério da storyline está plantada na personagem principal, é comum que as explicações e as pontas soltas surjam e se esclareçam de forma bastante rítmica, em compasso com Daniel.


Os volume 1 é narrado por Daniel e o 2 e 3, pela Juno. Uma muito boa para que o leitor não fique "perdido" na leitura foram as inserções de flashbacks. Embora a HQ trabalhe bastante com aquilo que é imediato (ou seja, com o presente), os retrocessos temporais serviram bastante para entendermos os gaps na história (a exemplo do porquê Juno não tem uma boa relação com o pai).

A leitura é super rápida, pois cada volume não tem nem cem páginas. Ainda assim, é muito fácil se ver dentro da trama, uma vez que todas as personagens são muito bem construídas, mesmo as secundárias. E foi muito bom ver a forma como a autora conseguiu trabalhar os pequenos plots, trazendo à tona personagens não tão essenciais (a exemplo do irmão mais velho de Juno e de suas amigas). Adorei a forma como a "armadura" e a fragilidade se misturam em diversos momentos e nos dá a sensação de que tudo ali é real - e poderia acontecer com qualquer um. O realismo contido nos diálogos e nas cenas foi algo muito agradável, pois aproxima muito o leitor da história. Faz com que o leitor acredite naquilo que lê.

Impossível não se apaixonar por Juno e Daniel - tanto como personagens pivôs da trama, quanto casal. Aliás, um ponto extra da história é que, embora o romance seja um dos plots, não é o âmago da existência de ambos. De certo modo, perceber isso foi uma surpresa, mas foi também algo muito positivo para a própria trama. Tanto é que o final me enlouqueceu um pouco, já que é irresistivelmente independente - ou seja, é livre e libertador.

Ainda que eu conheça há algum tempo o traço da Mariana, gostei bastante de conferir essa história do ponto de vista artístico e perceber a técnica e o crescimento de suas ilustrações. A HQ é inteiramente em preto e branco, à exceção das capas, que são coloridas. Gostei desse jogo de contraste e luz que a autora conseguiu dar à atmosfera por utilizar a bicromia - de certo modo, conseguiu transmitir o interior das personagens (não sei se esse foi mesmo algo pensado pela autora, mas foi isso que consegui sentir).

Recomendo as HQ's por adorar o trabalho da autora e por, realmente, ter me simpatizado e adorado muito a história. Para comprar as HQ's e outros trabalhos lindíssimos da Mariana, você pode conferir a Mary Cagnin Store (site) e o Mary Cagnin Art (Facebook).


Love, Nina :)

You May Also Like

7 comentários

  1. Menina fiquei muito emocionada lendo sua resenha! Vira e mexe fico nostálgica lembrando do Vidas, porque fiquei 4 anos produzindo e representou muito pra mim. Já faz tempo que terminei, e mesmo assim a história continua viva no coração de outras pessoas, o que me faz sentir infinitamente grata <3
    Só tenho algumas ressalvas, a primeira é que a edição 1 é narrada por Daniel e a Juno narra as outras duas. A segunda é que o Jay é o irmão mais velho da Juno. ;)
    Obrigada pelo carinho x)

    ResponderExcluir
  2. Oiiii Nina, tudo bem?
    Que coisa mais lindas estes teus HQ's, eu gostei muito das suas indicações, os únicos que li até agora foi de super herói, essas coisas. Este eu achei diferente e me surpreendeu, se eu achar em alguma banquinha aqui irei comprar <3
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Que indicação fabulosa, eu gosto de HQ, mas leio poucas, geralmente Mafalda. Vejo muitas resenhas de HQs de Heróis, esses mais famosos e não curto, queria conhecer algo diferente, então, como sincronicidade, você faz essa postagem...

    ResponderExcluir
  4. Mulher, nem tinha terminado de ler o post e já estava procurando pelo blog da autora!! kkkkkkkk Resenha boa é assim! Fiquei muito curiosa tanto com a história da hq, quanto com as ilustrações! Obrigada pela dica!

    Leitora Compulsiva
    http://olhoscastanhostambemtemoseufascinio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, ainda não conhecia o trabalho da autora e pelo seu post já são HQs que eu quero e que certamente eu gostaria de ler e ter, pela trama com uma temática que me interessa e pelo traço da autora.

    ResponderExcluir
  6. Que indicação maravilhosa. Não ando lendo muito Hqs, mas pretendo voltar com esse gênero logo mais. Adorei a forma como você construiu o seu texto para falar do Hqs. A gente consegue perceber que você sabe do que está falando, então fica fácil a gente se convencer de que quer ler. O que mais me chamou foi a estética. Muito lindo mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Nina, que interessante esta dica! Já anotei aqui. achei muito legal, gosto de HQ e essa parece bem bacana e leve. Me pareceu assim.

    Valeu a dica!

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM