26 de janeiro de 2017

Antologia Valquírias: as vozes femininas na literatura fantástica

As autoras Fernanda Castro e Marcia Dantas são as idealizadoras e organizadoras desta compilação mais do que necessária na literatura. Se alguns acreditam que mulheres apenas sabem escrever histórias voltadas ao sentimento e ao romance, na antologia Valquírias se manisfesta outro tipo de crença, a de que mulheres podem ser quem quiserem, inclusive guerreiras, heroicas, decisivas e criativas. 


Título: Valquírias - antologia
Organizadoras: Fernanda Castro e Marcia Dantas
Editora: Darda Editora
Ano: 2017
Páginas: 130
★★★★★❤ 

Os vinte contos passam ao leitor a atmosfera ora de um tempo distante, ora de um tempo paralelo. O gênero fantástico, produzido por mentes femininas, ainda é bastante invisibilizado na literatura. Não basta apenas conquistar lugar, aliás; vai além de apenas estar ali: manter-se no status de escritora de fantasia é constantemente ter de re-afirmar sua credibilidade. 

Os tons das histórias variam constantemente, indo de ambientes inóspitos a reinos incríveis. O protagonismo feminino é marcante, belo e diverso. Entre as protagonistas há bruxas, Valquírias, elfas, Deusas, Rainhas e criaturas místicas cujas habilidades são fortes, enigmáticas e fantásticas. Nos mundos em que foram criadas, elas são alguém. Mesmo quando outrem tentam anulá-las, continuam se re-afirmando enquanto mulheres e enquanto mulheres poderosas. 

Apesar de eu fazer parte desse incrível e fantástico time de escritoras, decidi escrever uma resenha como leitora - como alguém que pudesse estar de fora do enfoque. Conforme a leitura avançada, mais encantada eu ficava. A criatividade de cada história me fez perceber o quanto existem mulheres que têm muito a oferecer e que, talvez, pela falta de oportunidade ainda não puderam visibilizar suas palavras. Ainda não puderam ser vistas como mulheres escritoras. Cada personagem é única, marcante e não tão idealizada, como poderiam ser. Não são princesas vivendo de forma morna, ou camponesas à espera de seus últimos dias. Não: todas elas têm vozes e as usam em prol de quem são e, por vezes, em prol de suas iguais. 

A ideia de que mulheres na fantasia precisam ser as coadjuvantes ou as indefesas não existe aqui, pois lutam por si mesmas, enfrentam o desafio e as normas. A antologia Valquírias oferece a essas mulheres uma história que não seja às custas de um homem, ou de uma storyline principal. Essas mulheres são a storyline principal, pois são donas de seus destinos, suas armas, seus poderes e suas mentes. 

A seguir, falarei de cada conto, porque seria injusto ter de escolher meus preferidos quando estou tão agradecida por ter conhecido escritoras tão incríveis. 

Se as bruxas não lutam, elas queimam, Ana de Oliveira
Como o próprio título sugere, o conto se esmera em mulheres que, no tempo descrito, subverte as normais sociais. Eyria é a protagonista que, juntamente com outras mulheres, está aprendendo a se livrar de homens abusivos a partir da leitura, escrita e cálculo. A certa altura, elas precisam usar suas inteligências para se defenderem do destino. Acho que esse é o conto que mais tem diálogos, o que me incomodou um pouco, mas a história e a mensagem supriram qualquer ponto negativo. 

Dama de gelo, Anelise Vaz
Yuuki é, como o título já diz, uma dama do gelo. A bondade e a benevolência dela é bonita e tocante, oferecendo, apesar de magia, muita humanidade. O que mais me surpreendeu foi o fato de a protagonista ser asiática. Gostei muito dessa diversidade étnica, difícil de ver em histórias nacionais. 

A conjuradora de almas, Dayanne Fernandes
Clarice tem uma missão e, com a ajuda de um atravessador, pode aniquilar mais demônios pelo mundo afora. Gostei das funções dos personagens e, apesar de o conflito ser usual, creio que a autora conseguiu dar novos rumos ao final. 

O outro lado da maçã, Deh Mundin
Um dos meus preferidos. O conto é narrado em primeira pessoa pela "Rainha Má" - que, aqui, se releva não tão má assim. Bastante bem-humorado e impessoal, tem o tom certo para entreter e encantar. A autora conseguiu ir além da releitura, a meu ver. Ela re-construiu diversos padrões sociais, como o amor de mãe x filha e o amor entre iguais. 

Skuld assiste a uma batalha, Fernanda Castro
Outro preferido. Temos aqui três personagens femininas: Skuld, Hyeda e uma garota indefesa, sem nome. O conflito do conto é emocionante, muito bem desenvolvido e tem muita força. Mexe com quem sabe os perigos de se nascer mulher. 

Tecelões, Hannah H.
A ideia é bastante original, sobre irmãs que tecem linhas de energia mística em tudo e todos. Mas creio que o desenvolvimento se perdeu em diversos momentos, tornando-se bastante confuso. A linha de tempo é gradativa, no entanto, os momentos são colocados de forma abrupta, o que me deixou confusa diversas vezes. 

Coisas vivas, L. Codu
Outro preferido, sobre duas irmãs: a Vida e a Morte. A Morte está apaixonada por uma humana e sabe que, eventualmente, terá de atravessá-la e matá-la. A história é bastante tocante e a autora conseguiu imprimir emoção nas palavras.

Kelpie, Luciana Darce
O que mais gostei nessa história foram as criações místicas e mitológicas. O tom do conto me fez viajar para terras mágicas e atemporais. Cavalos marinhos mágicos são os protagonistas, que se metamorfogam em humanos. Oferece um laço emocional muito bonito.

A última batalha, Marcia Dantas
Ambientado numa batalha, conta sutis emoções de Ágatha para com Helena, duas amazonas. O sentimento se mistura com razão e valentia de uma forma harmônia e bonita.

As filhas da Lua, Mariana Chiaverini
O início é extremamente inebriante e a história ganha força à medida que a protagonista Diana revela sua nova vida e as transformações mágicas que lhe aconteceram. Temos aqui mulheres lobas. O que me ganhou foram as descrições da personagem quanto às transformações e emoções.

Não tenha medo, Mariana Dantas
Esse conto me intrigou bastante, o que não me fez adorá-lo menos. Angélica é uma garota que tem muitas mágoas de situações e pessoas do passado e à medida que a história cresce, vai se tornando uma criatura menos humana e mais desprovida de boas emoções. Gostei dele devido, especialmente, à camada que a personagem ganhou, que, de vez em quando, me lembrou a depressão. 

A espada de gelo, Mariana Jaques
Kai é detentora de uma arma poderosa, uma espada com uma virtude única. E, agora, pessoas estão atrás dela. A história poderia ser bastante comum, se não fosse o aparecimento de uma segunda mulher na trama. A meu ver, esta nova personagem deu outro tom ao conto, algo mais próximo da união feminina. 

O santuário de Liara, Mayara Barros
Se não fosse uma personagem, que nem é muito mencionada, o conto poderia ser apenas de época, não propriamente fantástico. Entretanto, a história funciona, porque aguça o laço da irmandade e o amor fraterno. O propósito da protagonista Liara é bonito e convincente. 

A rainha de fogo, Melissa Araújo
Aecida, agora, é rainha e deve governar seu reino junto com o marido. No entanto, ela ignora o fato de que há pessoas perigosas ao entorno das fortalezas. Se não fosse uma cena, completamente repugnante para quem é mulher, o conto não teria a força que conquistou ao final. A autora foi muito corajosa por inserir a cena e ela cumpre seu papel de forma clara e objetiva. 

Entre as cinzas e o fogo, Nina Spim
Íris sabe que tem um destino e precisa passar pela primeira prova para continuar sendo quem é. O conto é meu, então, não posso dizer nada além de uma sinopse curta. Espero que leiam e tirem suas próprias conclusões.

Aquilo que permanece, Raquel Mota
O meu preferido, dentre todos os preferidos. Apesar da atmosfera fantástica não ser muito presente (a história parece somente sobre personagens de um reino), o conto me conquistou muito, porque é o que, do começo ao fim, quebra com as normas vigentes sobre as mulheres, relacionadas ao que se esperava (e ainda se espera) delas. A autora combate a ideia de que as mulheres precisam se casar, idolatrar seus maridos e fazer filhos com eles. A emoção que nasce entre as personagens é singela, mas convincente e bastante presente.

A batalha de Freya, Ruh Dias
Apesar de não ser ambientado em uma batalha, também conta a história de Valquírias. A protagonista Freya é a responsável por suas guerreiras, mas, depois de tanto tempo na posição, acha que é hora de descansar e dar oportunidade à outra Valquíria. O conto conquista pelo sentimento de liberdade. É bastante maduro e oferece uma versão bem menos violenta e muito mais racional e humana das deidades. 

Fogo escarlate, Sephira Takeo
Akenehi é filha do xamã de sua tribo, mas recebe uma tarefa dele e acaba por ter de tomar decisões por conta própria para cuidar de si mesma e seus iguais. Apesar de não mencionar a etnia com todas as letras, fica subentendido que há diversidade étnica neste conto - e isso é enriquecedor. 

Entre o amor e a glória, Tatiana da Cunha Domingues
Elfos são conhecidos, na mitologia, por serem ótimos guerreiros e Vesyl é ótima com uma espada e um arco e flecha. Mas ela acaba conhecendo um meio-elfo, que consegue abalar seu coração. Apesar disso, não fica cega de amor e não esquece de suas raízes e deveres. Gostei desse conto justamente pelos personagens serem elfos, criaturas que ainda não tinham aparecido até então. 

Há um prefácio da autora e ilustradora Aline Valek, que encanta antes mesmo de mergulharmos nos contos. A revisão, de modo geral, é mediana, apesar dos erros não serem constantes. A diagramação é bastante simples, mas cumpre o papel, é agradável e bem feita. Ainda acredito que o conceito da capa é confuso e contraditório, porque parece que as personagens estão brigando entre si, o que não favorece o propósito da antologia, que é justamente promover uma espécie de irmandade. Ainda assim, é harmônica (embora a monocromia possa incomodar um pouco) e chamativa - não lembro de ver algo parecido em romances fantásticos, por exemplo. 

. . .

O lançamento oficial da antologia Valquírias será dia 05 de fevereiro, mas exemplares já podem ser adquiridos AQUI. 










Love, Nina :)

16 comentários:

  1. Primeiramente, então, Rota de Fuga é seu projeto solo, mas, você já tem trabalhos publicados em outras plataformas?? Dude, that's awesome! Fico muito muito muito muito feliz por você!! Concordo plenamente com a invisibilização das mulheres como autoras de literatura fantástica. Quer dizer, eu sempre li literatura desta modalidade com mulheres por trás de determinados mundos, mas, milhares de outras pessoas não conheciam os livros - o que demonstra a porca divulgação! Fiquei curiosíssima para ler estes contos; adoro quando às mulheres é concedida a chance de brilhar sem necessariamente estar à sombra de outro personagem, e o fato de estar em meio a um ambiente tão familiar e adorado por nós torna-se apenas um bônus! Amei a resenha!!

    ResponderExcluir
  2. Eu já tinha visto algo sobre o livro mas gostei bastante de poder conferir uma postagem completa sobre ele. Parece ser um obra muito boa.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nina!
    Fantasia é um gênero que não leio muito, apesar de gostar. Acompanhando os blogs, vejo que as mulheres vêm ganhando espaço no gênero, como autoras e como personagens. Acho isso ótimo! Adorei a ideia da antologia de contos, principalmente por ser nacional. Não sabia que você escrevia... Preciso conferir qualquer hora dessas.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  4. Oiii meu bem, tudo bem?
    Menina eu sou louca para ler esse livro,, conheço as outras autoras que participaram e por isso desperta ainda mais a minha atenção, adorei ler a sua resenha, ficou muito fofa o modo da postagem.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Nina, eu achei bem interessante essa antologia, parece ser de fato bem legal, já tinha visto outras publicações, eu vou querer ler! Adorei a sua resenha, está de parabéns!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  6. Olá! Ainda não conhecia, fiquei bastante interessada.
    Gosto bastante dessa temática. Espero ter a oportunidade ler.
    Ótima resenha, sucesso, bjoooo

    ResponderExcluir
  7. oi!
    vou ser sincera e dizer que não gosto de livros com contos, mas amo livros com protagonistas fortes! não me atrai nenhum pouco livro com mulheres frágeis e fofinhas que sofrem o tempo inteiro e precisam que alguém as tire do sofrimento. sério, cadê o girl power?!
    gostei demais da proposta das Valquirias.. é bem diferente e cheia de atitude. vou ler com certeza!

    ResponderExcluir
  8. Nina, parabéns pela antologia! Os contos parecem maravilhosos. Desejo muito sucesso!

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina!
    Eu gostei bastante da proposta da Antologia, e também da capa (gosto do monocromático rsrs).Gostei da maioria dos contos e fiquei realmente curiosa em realizar a leitura. O preço ta até na média, já que o frete é incluso.. Mas vou ter que esperar mais um pouco para adquirir...
    Muito sucesso para todas as autoras e que a antologia venha a despertar a curiosidade de muitos leitores. Bjs

    ResponderExcluir
  10. parabéns por fazer parte desta antologia... só os nomes dos contos são bem fortes,meio que dá ao leitor uma ideia do que ele vai encontrar na leitura... o primeiro me chamou bastante a atenção...se tiver chance, lerei esse livro...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  11. Olá Nina! ^^
    Primeiro vou te parabenizar por ter seu conto publicado na antologia! <3 Você deve estar sentindo uma emoção enorme!!!!
    Em relação a antologia fiquei bastante curiosa para ler. Adoro contos! E ainda não tinha visto uma antologia com essa proposta, mas como você mesmo comentou achei a capa contraditória a proposta!

    Beijos e até logo!

    ResponderExcluir
  12. Oi! :D

    Este é meu primeiro contato com esta antologia, até então não a conhecia, mas já fiquei com muita vontade de conhecer hehehe

    Só posso te dar os parabéns por fazer parte de uma obra tão interessante e rica. Mesmo sem ter lido os contos, já consegui visualizar a grandeza deste livro. Ansiosa demais para conhecer cada uma destas histórias.

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Sou uma fã de antologias e por isso mais que anotada a dica. A mistura de fantasia com powerful feminino é um atrativo e tanto para mim. Até porque não conhecia as autoras, mas as premissas são ótimas. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. ôiê...eu adoro antologias, e essa não conhecia, já vou anotar a dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Que antologia legal, Nina!
    Adorei a forma que vocês construíram, com mulheres fortes e heróicas, muito legal mesmo. Eu gosto muito de fantasia e essa me parece ser muito boa.

    ResponderExcluir
  16. Muito interessada eu estou, ja tinha ouvido falar dessa antalogia, mas agora depois de pronta ela parece ser melhor ainda, amo ver historias com mulheres no poder e com certeza quero ter a honra de ler essa obra

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)