Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

Eu te darei o sol: as chances são muitas para reconstruir o mundo

by - agosto 06, 2017

Recebi Eu te darei o Sol, da Jandy Nelson, há muito tempo, a partir de um projeto muito lindinho do qual a Cecília participa. O projeto é, basicamente, compartilhar livros, e cada leitor pode escrever suas impressões nos próprios livros conforme os lê. Demorei para ler este, por causa da pilha dos não-lidos e do TCC. Mas lê-lo foi muito sensacional, incrível e rápido; não consegui me desgrudar dele de tão lindo


Título original: I'll give you the sun
Autora: Jandy Nelson
Editora: Novo Conceito
Páginas: 381
Ano: 2015
★★★★★

Eu te darei o Sol é um livro extremamente poético, de um jeito que, de início, causa um estranhamento. Eu, que sou acostumada com prosa poética, tive dificuldade. Mas a autora conseguiu muito bem construir seus personagens. A poesia acompanha tanto Noah, com a idade de treze anos, tanto Jude, com dezesseis. É incrível perceber as nuances da escrita de Jandy na construção de duas personagens tão diferentes, tanto em termos de idade, quanto de personalidade. 

Noah e Jude são irmãos gêmeos e os capítulos (sempre extensos) são divididos por suas narrações em primeira pessoa, o que nos permite conhecer tridimensionalmente quem são, o que sentem e o que pensam. Por serem gêmeos, são muito competitivos um com o outro; cada qual faz sabotagens com o outro de forma, até mesmo, cruel (não simplesmente infantil e impensada). A relação deles, mesmo ainda na pré-adolescência, já deixa óbvio que não existe união, embora isso tenha existido na infância. Essa desunião extrapola para a família (pai e mãe), também. Ao contrário de muitos livros que os adultos não têm participação (ou participação mínima) nas vidas das personagens adolescentes, aqui é importante entender como a família deles funciona e se relaciona. E nem tudo o que parece estar certo está certo. 

Um coração partido é um coração aberto.
p. 219

Sou inclinada a preferir personagens femininas, mas, dessa vez, quem ganhou o meu coração foi o Noah. Seus capítulos revelam humanidades que dificilmente lemos em outros livros, à exemplo do desejo homossexual tão à flor da pele, da inveja cruel e da mesquinhez sôfrega. O fato de ele ser um artista tão empenhado em provar isso ao mundo e o fato de não se contestar, se envergonhar e se culpar porque ama garotos me fez amá-lo a cada palavra. 

Jude é incrível também, com suas crenças esotéricas, sua perseverança e sua ironia tão brilhante. Com dezesseis anos, ela é tão encantadora quanto meio irritante (mas não de um modo negativo). A storyline dela também aborda a arte, pois ela também é artista, mas é alguém que duvida de seu valor e de sua habilidade. Como foi ela a entrar numa renomada escola de artes, acha que foi um erro, pois acredita que o irmão é o verdadeiro merecedor da vaga, ainda que tenha muita raiva dele. 

Somos, cada um de nós para o outro, uma chave para uma porta que de outra forma 
teria permanecido trancada para sempre.
p. 373

Noah narra o passado, Jude narra o presente. Isso significa que o leitor precisa ficar bem atento à leitura, pois várias passagens fazem menção a informações já ditas, mesmo que nas entrelinhas. E é sensacional a competência da autora para amarrar todas as informações, os conflitos e os fios condutores da história. Aqui, não existe uma história unilateral, mesmo de enredo, pois a cada capítulos algo é adicionado, o que provoca uma enorme bola de neve nas vidas das personagens. 

Lemos sobre o amor parental, o amor romântico, o desejo sexual, as fragilidades do ser e a incrível capacidade de perdoar e reaprender a acreditar. Com certeza, um dos livros mais maravilhosos que já li na vida. Assim que o terminei, tive a imediata vontade de relê-lo com a mesma paixão da primeira vez. É uma história que provoca raiva, frustração e muitas lágrimas de alegria e gratidão. Acompanhar as histórias de Noah e Jude é lembrar o porquê a arte existe e o porquê o amor sempre precisa de várias chances: às vezes, as coisas não vão dar certo de primeira e tudo bem tentar de novo duas, três ou quatro vezes. 

Quem sabe se o destino é apenas como você conta para si mesmo a história da sua vida? 
p. 375

O meu amor por Eu te darei o Sol é infinito e de eterna gratidão por me ter lembrado de várias lições que precisava retomar na minha vida


Love, Nina :)

You May Also Like

16 comentários

  1. Eu amo tanto tanto TANTO esse livro que nem consigo colocar em palavras. Fico muito feliz que ele tenha lhe tocado tão profundamente e que você tenha amado tanto quanto eu ❤
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    Confesso que não conhecia o livro, mas fiquei encantada com a sua dica. Amo poema e poesia e me vi fascinada n sua afirmação de linguagem poetica na obra. Me encantei pelo enredo e sua opinião junto com o fato de você favorita-lo me conquistou.
    Dica anotada
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Tenho muita curiosidade em realizar essa leitura, me parece ser uma história bem envolvente e boa pra gente refletir sobre relacionamentos.
    Só espero que quando fizer a leitura o fato dos caps serem extensos não me amarre na leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Nina, este livro está entre os meus favoritos. Eu já tinha lido um outro livro da autora do qual tinha me apaixonado, e quando este foi publicado não pensei duas vezes em ler, e não me arrependi. lendo sua resenha me bateu a vontade de uma releitura.
    Bjs, rose

    ResponderExcluir
  5. oieee
    eu amo essa capa, tenho esse livro a um tempo porém ainda não li, lendo sua resenha me fez querer tirar ele da prateleira, achei lindo ele ser poético.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Oie, amei essa capa, esse livro já está minha lista já faz um tempinho. Por causa se poético não me agrada muito, porém pelo sua resenha a Autora fez que ele não fosse tão poético.
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Parece ser um livro muito bonito, desses que emocionam a gente. Vou tentar ler logo.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Eu já conhecia esse livro apenas de vista, pela capa. Confesso que não conhecia o conteúdo e pude perceber pela a sua resenha que trata-se de um livro que nos emociona, parece ser uma leitura envolvente. Gosto dessa capa. Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Há tempos eu tenho curiosidade com esse livro. Parece ser uma história linda e cheia de ótimas mensagens. Eu gostei bastante de ver a sua opinião sobre a leitura e não vejo a hora de ler também.

    ResponderExcluir
  10. Olá, muito linda a sua resenha. Eu quero muito esse livro desde que li outro livro da autora, O céu está em todo lugar, e me apaixonei pela forma como ela cria os personagens e nos faz sentir diversas emoções com a história.

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Que livro lindo! Eu o conhecia, mas não me lembro de ter lido alguma resenha dele. Adorei seu ponto de vista e espero fazer a leitura o mais rápido possível!

    ResponderExcluir
  12. Oii Nina, tudo bem? Que resenha mais linda!! Fico super feliz vendo esse livro encantar outros leitores. É um dos meus favoritos da vida, e sempre que leio uma resenha positiva, tenho vontade de largar tudo e ir correndo reler a obra <3 O Noah é mesmo maravilhoso!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu já li vários comentários sobre esse livro e tenho muita vontade de ler, por essa razão fiquei bem animada com a sua resenha. A premissa da história é bem bacana e imagino que seja viciante ler mesmo, principalmente porque parece que a autora conseguiu construir tudo muito bem. Além disso, gosto bastante de livros que trazem a narrativa intercalada entre os personagens principais, sendo que fiquei curiosa para conhecê-los e ver se Noah também me conquistará mais.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Oi, Nina :)
    Ainda não tinha parado para ler uma resenha dessa obra que há anos é uma das que desejo por sua temática e valor para a literatura internacional.
    Lendo os detalhes que desconhecia só posso dizer que desejo mais ainda a leitura, mas num momento em que minha vida não esteja conturbada e apressada pois ler esse enredo hoje só me traria não entendimento da poética que a autora tem. É preciso atenção mínima e acho que falharia agora. :(
    Fico surpreso em saber que os pais tem papel na histórias dos jovens da história. Essa questão dos gêmeos se odiarem a medida que crescem lembra muito minha história com a do meu irmão um ano mais novo do que eu. Dizem que quando éramos pequenos havia muita união, hoje só nos evitamos.
    Parabéns pela resenha e fico feliz em saber que essa leitura te proporcionou reflexões. :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? Ah gente esse livro é amor mesmo. Já li e também é um dos meus favoritos da vida. Toca e ao mesmo tempo nos emociona. Adoro o tom poético da autora. Que ótima resenha tu fez <3 Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oiii!

    Nina, você escreve tão bem <3
    Não li essa obra mas tenho certeza que me encantaria com a riqueza que ele traz.
    Gostei muito da sua resenha! Bem escrita e envolvente.

    Beijinhos

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM