Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

Ninguém nasce herói: um futuro morno

by - novembro 04, 2017

Recebi Ninguém nasce herói, de Eric Novello, na parceria com editora Companhia das Letras há mais de um mês, mas a resenha demorou para sair, pois demorei para finalizar a leitura. Ainda que a obra tenha uma sinopse instigante, a história em si esmaece conforme os capítulos avançam.


Título: Ninguém nasce herói
Autor: Eric Novello
Editora: Seguinte
Páginas: 378
Ano: 2017
★★★

De uma escrita impecável, muito rica e bem desenvolvida, Ninguém nasce herói está rendendo debates nas mídias pela semelhança tão contundente com o Brasil de 2017. A distopia dialoga com o Brasil intolerante, especialmente. A narrativa é permeada de comparações políticas e sociais que, no fundo, doem mais do que percebemos. A genialidade de usar a liberdade da arte para alertar os leitores de um possível cenário nacional caótico e ditatorial religioso é incrível e surpreende.

Chuvisco é o protagonista da obra, um recém-graduado que, desde criança, precisa lidar com surtos de catarse criativa. Essas catarses acontecem em momentos de muita tensão, quase como um ataque de pânico - mas com efeitos diferentes. O personagem é rodeado de amigos mais próximos, e esse grupo é diversificado em suas peculiaridades. A trama se enrola ao redor de resistência política numa tentativa de não sucumbir ao regime totalitário religioso que se instaurou após várias manobras políticas. O presidente, também chamado de "Escolhido", incita o ódio e a intolerância religiosa (caso as matrizes sejam africanas), racial, sexual e de gênero. A perseguição ao que é diferente e fora da "norma" é constante. É em uma situação de ódio e intolerância que Chuvisco conhece Júnior, um garoto transsexual que está sofrendo uma agressão física de um grupo pró-fundamentalista. 

"Para os fundamentalistas, o outro era sempre o inimigo. E o inimigo merecia a morte", p. 43

Eu recebi o livro com muito entusiasmo, pois a ideia dele me bateu de uma forma quase eufórica, já que o teor literário se confunde com a realidade, quase como um aviso: cuidado, o futuro está próximo. E a proximidade desse futuro retém debates e reflexões incríveis durante a leitura, de uma forma compulsiva. As comparações e as situações que Chuvisco narra do cenário político no qual vive são, muitas vezes, chocantes - foi impossível não me sentir inconformada com o que lia. 

No entanto, tudo o que eu esperava ler foi se desvanecendo conforme a leitura avançava. Com personagens ricos tanto no desenvolvimento quanto na diversidade, foi isso que mais me irritou no livro. A trama principal desaparecia diversas e diversas vezes em detrimento do grupo de amigos de Chuvisco. Embora todos os personagens tragam questões como identidade sexual e de gênero, com diálogos ricos e livres, essas questões se tornavam maior do que a ideia principal da obra, o que me afastou muitas vezes da leitura. Tive que interrompê-la cinco vezes, pois o andamento da escrita do autor é extremamente vagarosa. Detalhes irrelevantes e uma narrativa, por vezes, confusa me fez desgostar muito do livro. Em diversos momentos, eu senti que o autor se perdeu em meio aos diálogos excessivos e que deixou a história principal de escanteio. Cenas que eu imaginei empolgantes e ágeis eram mornas, tal qual o restante da narrativa. 

"Somos todos diferentes, de um jeito ou de outro. E está bom para mim assim", p. 80

A diversidade sexual e de gênero é, provavelmente, o grande triunfo do autor. Há reflexões sobre transfobia, assexualidade e bissexualidade - estas últimas muito bem pensadas, que me levaram a ficar muito satisfeita pela representatividade. No entanto, o restante deixa a desejar. A premissa me pareceu mal elaborada e sem consistência. Analisando num todo, o livro não é muito convincente, ainda que se calce em muitos aspectos inteligentes e que pedem atenção. 

Love, Nina :)

You May Also Like

18 comentários

  1. Oi tudo bem?
    Estou vendo várias resenhas sobre esse livro o que já tem me deixado bastante curiosa mas acredito que estou com muitas expectativas pelo que vi na sua resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Hummm fiquei interessada sobre essa parte de gêneros sexuais, embora vc tenha ressalvas.
    No todo o livro parece maravilhoso. E eu gostaria muito de ler!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nina!
    Pena que o livro não foi completamente satisfatório pra vc, é tão frustrante quando isso acontece... Já tinha ouvido falar desse livro, estou bastante curiosa para ler, na verdade. Quem sabe minha experiência com ele seja um pouco diferente da sua.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Vi bastante resenhas positivas desta obra nos últimos dias, é uma pena que não tenha sido uma história completamente boa para você. Adorei a resenha!

    Beijos,
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. No contexto geral não é um livro que me chama atenção, apesar de conter as suas particularidades que me faria sim ler a obra. Não sei, acho que essa dica fica na coluna do talvez rsrs.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, esse livro, não é um que eu queira ler então eu passo a dica. Por mais que seja uma distopia tao próxima da realidade

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Esse livro parece ser daqueles que nos leva a boas reflexões e embates. Talvez pelos temas abordados, não me desperte tanto assim para leitura de imediato, mas quem sabe futuramente pode ser até que eu consiga dar uma chance.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Que pena que a leitura não atendeu as suas expectativas. Realmente, uma história que cita tantos temas importantes poderia trazer discussões muito legais, pena que existem essas falhas.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  9. Oiii Nina

    Amei a sua resenha, foi a mais realista e pé no chão que li sobre esse livro. Quase todos colocaram o livro nas nuvens que quando acontece isso eu fico com o pé atrás pois já me decepcionei um sem fim de vezes dessa maneira. Eu acho até legal esse cenário criado pelo autor, uma pena que o potencial se perde ao longo da trama e as boas idéias acabaram sendo em parte desaproveitadas pelo autor. De momento não é um livro que quero ler até porque ja lki tantas e tantas resenhas desse livro que as vezes sinto como se ja tivesse lido ele também...haha, enfim, acho que vou deixar esse passar. Algo nele ainda não me convence...

    Resenha ótima, adorei a sua coerência, explicou super bem os prós e contras.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pela sinceridade ao descrever as suas impressões sobre esse livro! Esse não é o tipo de leitura que eu faria. Desta vez vou deixar a dica passar!

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Nina, uma história que esmaece ao longo dos capítulos realmente me desmotiva e mesmo que tenha alguns pontos positivos não me chamou a atenção mesmo.
    Gostei demais da sua resenha sincera e limpa.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  12. Oi Nina, uma amiga leu e falou maravilhas, agora vem você e fala mais ainda. Preciso ler. Gostei do fato do livro abordar a diversidade sexual, não se prendendo em apenas um gênero.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  13. Oi Nina,
    Que pena que o livro não te agradou, mas confesso que não senti muita vontade de conhecer essa história não. Ainda mais depois de ler que o autor "viaja na maionese" ao invés de seguir com o que realmente importa. Fica para próxima dica.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi, Nina. Sabe o que eu mais gosto nas tuas resenhas? A sinceridade! Eu estou muito curiosa com esse livro, pretendo lê-lo em algum momento, mas agora que eu conheci um pouco mais sobre ele eu não estão tão ansiosa assim pela leitura.

    ResponderExcluir
  15. Oii! Poxa, que pena que a leitura ficou um pouco lenta e a trama acabou se perdendo. A história parece ser realmente interessante e os personagens parecem ter sido muito bem trabalhados. Gostei muito da sua resenha e espero conferir essa obra um dia, bjss!

    ResponderExcluir
  16. Olá Nina, tudo bem?
    Também recebi esse livro e e estou cheia de curiosidade para ler ele, mas desanimada com as criticas negativas que tenho lido. O autor parece ter se perdido um pouco na trama, sabe? Mas acho que vou me arriscar para ver o que acho.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oiii!

    Poxa, que pena que não gostou tanto do livro, acho que só li uma resenha para ele. Não tenho tanta curiosidade, e agora vou deixar passar um pouco para ler. Gostei da sua sinceridade

    Beijnhos,

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem? Poxa sério? Conheci o Erick nas Bienais da vida, e prometi que um dia ainda iria ler o livro dele, por se tratar de um assunto que ainda não me aprofundei muito mas queria muito conhecer (que é a diversidade) e confesso que sua resenha me deu uma desanimada. Ele tem um tom de distopia, o que também amo, porém vou repensar um pouco. Ótima e sincera resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

INSTAGRAM