Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

Feminismo em comum: uma história para as mulheres

by - março 11, 2018

No início do ano, eu fiz a minha meta para o Leia Mulheres desse ano e coloquei Feminismo em comum, da Marcia Tiburi, que tinha sido recém-lançado, na lista. 

Eu já tenho bastante experiência em leituras feministas teóricas, porque meu TCC foi sobre o tema, e, sempre que posso, opto por agregar novos vieses. E o livro prova que textos teóricos podem ser bastante acessíveis para a maior parte das pessoas - independente de elas terem, ou não, conhecimento sobre o feminismo. 


Título: Feminismo em comum - para todas, todes e todos
Autora: Marcia Tiburi
Editora: Record (selo Rosa dos tempos)
Páginas: 125
Ano: 2018
★★★★★

Feminismo em comum, em linhas básicas, apresenta teorias reflexivas sobre conceitos de machismo, sexismo, misoginia e patriarcalismo, sobre como existe um manejo invisível - geralmente cultural, que abarca a sociedade - que garante e dá prosseguimento a diversas violências contra a mulher. 

Em meio à exposição de situações gerais pelas quais as mulheres passam, por causa do patriarcalismo e suas ferramentas, a autora também questiona sobre a validade atual do movimento - se, por exemplo, sua função em prol da transformação social ainda acontece. A Marcia é ótima, aliás, para nos oferecer exemplos sobre como o feminismo pode auxiliar nossas vidas e nos libertar de amarras que nos são ensinadas desde sempre, caso você tenha nascido mulher. 

"Todas as vezes que as mulheres se tornaram indesejáveis ou inúteis, perigosas ou desobedientes, elas foram perseguidas e mortas. (...) Sempre é mais fácil odiar mulheres do que homens, mesmo quando eles seriam muito mais odiáveis do que elas",
p. 50

O debate sobre a feminilidade, a maternidade e o sexo ajuda a entender, de modo bastante prático e atual, como o machismo aprisiona alguém a um "label": o de ser mulher. Algo que me foi bastante surpreendente foi a autora dizer que, na verdade, somos marcadas como mulheres - não simplesmente nascemos ou somos. E isso, para mim, foi muito doloroso, porque ter o entendimento dessa marcação é entender que todas as violências de gênero que conheço são causadas devido a ela.

O livro é bastante prático para fazer o leitor entender, ou pelo menos se atentar, sobre relações de poder, culturais e econômicas e como elas manipulam nossos entendimentos sobre o que é feminismo e o que é ser marcada como mulher. A minha parte preferida da leitura foi entender mais sobre lugar de fala, lugar de dor e lugar de escuta - questões que conversam bastante com a interseccionalidade. Além disso, o fato de ele trazer à tona que o feminismo é, também, sobre devolver os corpos, as histórias e as realidades das mulheres se faz extremamente válido.

"A antipatia que muitos têm pelo termo que o feminismo vem designar relaciona-se ao seu caráter elucidativo quanto a um estado de coisas. Se não houvesse feminismo, pensemos um pouco, o patriarcado não teria limites",
p. 69

Feminismo em comum
não generaliza, pelo contrário, tenta agregar diversos públicos, exatamente como deveria ser o feminismo. Muitas vezes, a gente tem tendência a excluir grupos sociais - às vezes, até mesmo por causa da vertente feminista que segue/acredita -, mas, com essa inclusão, o livro pretende dizer que todo o mundo só tem a ganhar com o movimento. Por isso, ele não é dirigido unicamente às mulheres cisgêneras. O fato de o subtítulo ser "para todas, todes e todos" é, justamente, explicitar que pessoas transgêneras e homens cisgêneros também podem (e devem) ler o livro. 

A linguagem é muito acessível e, mesmo que a autora apresente palavras bastante ligadas ao movimento, a leitura não é atravancada por isso. Ela esmiúça bastante todos os conceitos e faz explicações muito certeiras e com bastante simplicidade - ou seja, quer você já tenha familiaridade com esse tipo de leitura, ou não, Feminismo em comum foi realmente escrito para você entender tudo - para realmente descomplicar essa palavra que, muitas vezes, é encarada como um xingamento. 

"O fato de as mulheres não fazerem parte da vida pública não se explica apenas por elas terem sido afastadas desse espaço em momentos diversos.
Mas porque elas não contaram a sua própria história"
,
p. 93

Apesar de pequeno, Feminismo em comum é muito rico devido às reflexões tão atuais que desnudam diversos processos e diversas ferramentas de controle à mulher. Seja para entender melhor questões socioculturais, questões de gênero ou simplesmente entender melhor o que significa o feminismo, a leitura é muito recomendada. 

////

Confira a lista completa AQUI.


Quote extraído do livro "Profissões para mulheres e outros artigos feministas",
de Virginia Woolf.

Talvez ser mulher não seja sobre ganhar flores e receber elogios por aguentar o que for. Talvez ser mulher seja sobre matar fantasmas que foram produzidos especialmente para nos dizer que nunca chegaremos a lugar algum. Mas a gente tem chegado - os outros gostando e encorajando, ou não.

Love, Nina :)

You May Also Like

17 comentários

  1. Olá!

    Esse não é o tipo de livro que costuma chamar minha atenção para ler, mas, para quem gosta, aposto que deve ser uma ótima dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Nossa, mais uma grande dica que você me dá, Nina!
    Esse livro é simplesmente incrível! Leitura obrigatória para todos =)
    Adorei a dica, espero pode lê-lo o quanto antes!
    Bjs

    http://livrelendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aqueles livros que todos devem ter na estante, né?
    Não conhecia, mas fiquei com vontade de comprar e ler =D

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nina! <3
    Esse livro teria caído muito bem durante o meu tcc no ano passado, que também envolveu um pouco de feminismo e o lugar da mulher na sociedade. Mesmo assim, eu ainda procuro por leituras que agreguem no meu conhecimento e que me façam saber ainda mais sobre o movimento. Então, por isso, essa indicação foi muito bem vinda! Já quero ler!

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Acho que o que me chama atenção é o fato do livro ser bastante prático, isso alcance mais gente e o fato de você destacar que o feminismo tenta agregar diversos públicos. Esse é um grupo com os ideias tão distorcidos, como muitos outros, que nós nos perdemos . Vamos anotar a dica, refletir nunca é ruim.

    Abraços
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá Nina, como vai?
    Que post interessante, não conhecia esse livro!
    Na verdade, não sei muito coisa sobre o movimento feminista, mas quero começar a conhecer e tenho certeza que esse livro vai me ajudar muito.

    Beijos e Abraços VIVI
    http://vickyalmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nina. Eu estou louca por esse livro e adorei poder conhecer um pouco mais sobre ele. Gostei muito de ver a tua opinião com a leitura e espero ter a oportunidade de lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  8. Que me chamou atenção nesse livro foi justamente o fato dele não excluírem homens e sua possível leitura. No meu ponto de vista feminismo é um movimento que abarca a todos.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu achei essa proposta muito legal desse projeto. Mesmo não sendo o que me atrai pra leitura, é legal saber que tem obras que são de fácil compreensão sobre um tema que sempre será atual e pode levantar bons conhecimentos para todos.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  10. Eu sempre via esse livro mas nunca li resenha e nem sinopse dele sabe? Achei interessante a perspectiva da autora sobre a validade do movimento atualmente, e entendo o porquê desse debate, o movimento realmente cresceu muito e acabou tomando uma proporção gigante que muitas vezes não leva o real sentido do movimento.

    ResponderExcluir
  11. Oi Nina!
    Eu acompanho a Marcia Tiburi desde que fazia Saia Justa. Não li ainda este livro, mas está na minha lista também.
    Este mês estou lendo preferencialmente autoras femininas. Adoro as dicas do #leiamulheres e já participei de alguns clubes de leituras delas aqui em SP.
    Muito bacana seu post
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá
    Me parece ser um livro que todos devem dar uma chance, já que ele mostra o feminismo como algo que atinge a todos. Um tema muito importante e que pouca pessoas hoje tem o real conhecimento, é um tema que sempre vai ser atual. Adorei a dica!

    ResponderExcluir
  13. Oi Nina, apesar do tema estar em alta e ser importante a discussão e melhor entendimento de todos esses conceitos, o livro não despertou em mim o interesse pela leitura. Mas é muito bom ver que tantos títulos tem surgido no mercado editorial. Beijos

    Nara Dias
    www.viagensdepapel.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, alguns amigos estavam comentando que queriam esse livro, e eu estava mesmo curiosa para ver uma resenha dele e saber melhor sobre o que se tratava. Já li alguns textos ótimos da autora, e depois do seu post, tenho certeza que é uma leitura que me agregará muito.

    ResponderExcluir
  15. Eu vi alguém no instagram meio que detonando esse livro e fiquei com o pé atrás, não que esse seja meu tipo de literatura, nunca li livros relacionados ao feminismo, mas a crítica foi bem pesada.

    ResponderExcluir
  16. Hey! Tudo bem?

    Eu amei seu post e amei conhecer um pouco sobre a obra, acho super importante a informação sobre o feminismo e suas lutas. Já coloquei na lista.
    Beijão

    ResponderExcluir
  17. Nossa, parece ser um livro muito interessante e realmente reflexivo. Fiquei curiosa para conferir a escrita da autora e as teorias sobre esses temas que o livro aborda. A sua resenha está incrível, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

INSTAGRAM