Eu li #1

outubro 31, 2018
Eu nunca fiz esse tipo de post antes, porque eu nem gosto desse tipo de post nos blogs dos outros. Em parte porque acho que é um exibicionismo bobo, em parte porque acho desnecessário. Mas, como eu não tenho outro post na manga pra oferecer e eu tô muito feliz por ter conseguido ler mais de dois livros num mês, esse post exibido-e-desnecessário está aqui. 



As boas mulheres da China, Xinran 
★★★★★
Acho que sabemos muito pouco da China e menos ainda das mulheres chinesas, e esse livro consegue contextualizar econômica, política e socialmente o país a partir das mulheres que, de muitas formas, sofreram nas mãos de uma sociedade patriarcal. Meninas e mulheres que foram humilhadas, estupradas, agredidas, subutilizadas. Que não entendem o amor porque nunca o conheceram. Que nunca foram vistas. É uma leitura muito necessária para pensarmos nas mulheres atuais, em suas condições e em seus papéis sociais. 





A arte de ser normal, Lisa Williamson
★★★★★
Eu não sabia quase nada sobre a história e adorei isso, porque fui descobrindo as personagens sem saber nada de antemão. É um livro YA que fala de forma bonita e correta sobre a transsexualidade. Eu estou apaixonada por ele, pela forma como conseguiu falar de forma natural, sincera e inspiradora sobre o tema, dando um real protagonismo aos seus personagens. Não há estereótipos, como houve em Fera, o que me deixou ainda mais encantada. Tudo flui tão bem que, mesmo que você não tenha familiaridade com o tema, vai sair apaixonada(o) por essa história tão linda! 

Esse livro está na minha meta do Leia Mulheres para esse ano e, em breve, será resenhado :)


Leah Fora de Sintonia, Becky Albertalli
★★★★★
Eu tive uma decepção com Molly e, por isso, estava com o pé atrás em ler mais coisas da Albertalli. Felizmente, eu acabei comprando o e-book e o li muito rápido, pois ele é encantador, verdadeiro e inspirador. Se você leu Simon, sabe que a Leah é a melhor amiga dele, só que ninguém - além da mãe dela - sabe que a Leah é bissexual. Mas a trama acaba abordando outros temas muito bons, como a gordofobia e o racismo. Eu amei demais esse livro, pois conversa de igual para igual com o público jovem e é sensacional ter a representatividade bissexual tão explícita. 





O auto da maga Josefa, Paola Siviero
★★★★★
O que eu mais amei foi a representatividade nordestina, que é colocada de forma maravilhosa, real e linda. Adorei o coloquialismo dos diálogos, pois passaram mais verdade. E a história, apesar de ser sobrenatural/fantasia, algo que hoje tô bem afastada, me encantou muito. É uma história que todo brasileiro deveria ler, especialmente para parar de ser xenofóbico com o povo lindo do Nordeste! 







O papel de parede amarelo, Charlotte Perkins Gilman
★★★★★
Eu não gosto de terror psicológico, mas essa história tem várias nuances incríveis e perturbadoras. Fala de depressão, de claustrofobia, mas também de machismo. A protagonista é sensacional e tem uma narrativa poética, mas verdadeira, cheia de simbolismo. Eu adorei demais, especialmente porque me reconheci na parte da depressão. É uma leitura necessária para sermos mais empáticos, eu acho. 







Me diga quem eu sou, Helena Gayer
★★★★★
Eu já li esse livro no início de setembro, mas resolvi reler, porque ele é bem pequeno e não tinha marcado nenhuma passagem. É uma obra nacional de memórias que fala sobre a bipolaridade e como isso afetou a vida da escritora. Eu tenho gostado muito de livros de memórias, porque acho necessário encontrar essa coisa mais pessoal no que leio. A escrita da Helena é bem direta, mas também bem reflexiva e sensível. 






~

E você, quais livros leu? ;)

Love, Nina :)

6 comentários:

  1. Não acho que seja um exibicionismo. Ler é praticamente o meu trabalho rs, recebo pra isso. Só não gosto quando a pessoa ostenta mais do que lê =P e quando ela criar uma resenha rasa se baseando apenas na sinopse e não expõe a verdadeira opinião, sabe? Ai sim acho exibicionismo rs...
    O papel de parede amarelo está na minha meta de leitura para o ano que vem e espero conseguir dar uma chance pra essa leitura. Desses que vc leu, estou com o da Leah e vou tentar ler ainda este ano. Só oestou com um pouquinho de medo de me decepcionar por ter criado uma imagem da personagem na minha cabeça e nessa trama mostrar outra rs

    Esse mês eu consegui ler 6 livros e é muito bom quando finalizamos com nota alta né? =D Melhor sensação rs
    Beijos

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina, não acho exibicionismo, acho até que ajuda seus leitores a verem se deixaram de ler alguma resenha sua, mas enfim, respeito sua opinião.
    Dos livros que você citou, não li nenhum, mas tenho muito interesse no Leah Fora de Sintonia.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Quanta coisa legal. Gosto de saber o que outras pessoas estão lendo (vai que lemos a mesma coisa e preciso de alguém pra conversar hahahaha). De tudo quero ler muito O papel de parede amarelo, gosto deste tipo de terror.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro posts assim, pois gosto de saber o que as pessoas leram durante o mês. Parece que dá uma espécie boa de proximidade e, de quebra, ainda dá para anotar várias indicações legais! Você só embarcou em histórias preciosas e que valeram a pena, que coisa boa. Confesso que fiquei com vontade de sair anotando todas ao saber como você se sentiu com cada uma.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Adorei os títulos que você trouxe aqui, muitos não conhecia, mas fiquei curiosa.
    Infelizmente, li pouco nesse mês. Queria ter lido mais.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. caraca você leu bastante, arrasou menina.
    dos livros da sua lista o único que não tenho vontade de ler é A arte de ser normal, mas o outros eu quero muito mesmo principalmente o papel de parede amarelo, leah fora de sintonia (porque li simnon <3) e As boas mulheres da China.

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.