Projeto Cartas: uma carta sobre o desamor

fevereiro 10, 2019
Oi, você, tudo bem?

Eu fui atrás da palavra de·sa·mor, para entender como eu poderia sentir o que não sinto há tempos. Li a palavra "ausência" e "inexistência"; palavras que a gente não gosta muito. Pensando bem, a gente prefere sentir a não sentir nada, e é por isso que é tão difícil. A gente vai se convencendo de que não sentir é errado.

Existe muito na palavra a·mor e nem sempre configura uma só coisa. O ser humano ama de muitos jeitos, assim como também desama. O que muda é a maneira como as emoções se iniciam. 

Às vezes o desamor se abre na gente e nem dá pra saber direito. As falhas, as faltas, a desafeição são múltiplas, infinitas. Às vezes o desamor existe no inverno, outras no verão. Às vezes é na borda de uma piscina, às vezes é bem perto das nuvens. 

Às vezes a gente sabe o porquê, outras só fica gaguejando e sentindo o vazio onde existia todo um universo. Mas o bom do desamor é que ele é sempre o fim de uma etapa. É, uma etapa tipo aquelas que a gente sempre sabe que vai desaparecer. 

No lugar da ausência, floresce outras coisas. Acontece o inverso. 

Desamar é importante, é para que você se lembre que ir embora é também aproveitar novos ciclos.



Imagem: Brooke Shaden.

~


Escreva com a gente todos os meses!
Não precisa escrever muito, não precisa ter medo, vem com a gente! :) 

Conheça os próximos temas do semestre AQUI e se organize


Love, Nina :)

16 comentários:

  1. Olá Nina,
    Acho que nunca parei realmente para analisar o desamor, o que me fez enxergar que por algumas vezes o considerei como "não gostar tanto". Como é realmente uma palavra que deixamos escondida em nosso vocabulário, acabamos atribuindo o seu significado para outros realmente mais aceitáveis. Adorei o post, bem reflexivo.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Ahhh, que carta mais linda, eu sempre digo, mas vou repetir: eu acho esse projeto incrível! Adorei teu texto, ficou muito bem escrito e deu para refletir bastante.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Para mim e um momento já foi muito difícil desamar, por isso me identifiquei muito com essa carta. Porém desamar nem sempre e deixar de sentir algo, e muito pelo contrário e um angustia que sentia que era ou é difícil a nomear. No entanto a decepção, o sentimento de impotência de amar de mais pessoas que não sentiam, ou não demonstravam o mesmo fizeram eu deixar de amar. E complicado no começo, depois se torna natural. Amei o texto, mas admito que as vezes prefiro não sentir nada, a sentir algo.

    ResponderExcluir
  4. Nossa Nina, fiquei arrepiada (sério mesmo) com o seu texto.
    Mas isso porque estava pensando sobre esse assunto esses dias. Tantas coisas ruins acontecendo, crueldade humana, que fiquei com essa palavra na cabeça. E concordo plenamente com vc, apesar de tudo ele é importante para dar oportunidade para novos ciclos.
    Amei demais o texto =D
    Bem reflexivo
    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  5. Oi Nina, tudo bem? Adorei seu texto, sua escrita e sua reflexão. No entanto, eu ainda prefiro sentir à não sentir nada. Tenho ansiedade, embora este seja o mal do século, e tem vezes que fico presa nessa bolha vazia por dias, semanas, já chegou durar meses sem que absolutamente nada cause impacto algum sobre mim. É tudo automático: acordar, comer, trabalhar, dormir, repetir. Tem vezes que nem consigo demonstrar carinho ou qualquer tipo de afeto pelo meu noivo e familiares, claro que eu faço terapia pra tentar lidar com tudo isso e quando me sinto vazia demais é quando sinto vontade de me machucar etc, pra sentir alguma coisa. Então prefiro os dias em que eu só me sinto triste, à estes em que pareço um vegetal.

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?

    Poxa, fiquei arrepiada com o seu texto, de verdade mesmo. Gostei muito dessa coisa de desamar. eu sofro de ansiedade e depressão então tem épocas em que absolutamente nada surte efeito em mim e eu sigo fazendo tudo no modo automático, sem me dar conta de nada, entende? fiquei emocionada com seu texto, me definiu muito.

    ResponderExcluir
  7. Que ótima reflexão, Nina. Até pouco tempo eu não pensava muito nisso, até que algo aconteceu e me vi com alguns questionamentos e descobri que desamor também é importante para a construção do nosso ser. Gostei muito de ler o seu texto.

    ResponderExcluir
  8. Confesso que já tive muito medo desse tal de desamor, mas com a vida aprendi que algumas vezes ele é libertador e acho que apesar de fim ele é o começo do novo, de coisas incertas, mas muito bem vindas.

    P.S. Adoro esse projeto, parabéns.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina, como vai? Cada vez mais o seu projeto ganha proporções maiores, eu não conseguiria definir o Desamor de uma maneira melhor mas, acho que ele aparece na vida da gente depois de passarmos por tantos sofrimentos ou de vermos pessoas que amamos sofrer. Não diria que o desamor é ausência de sentimentos mas, a ausência de amor a vida.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  10. Que reflexão bacana. Não conhecia o projeto, mas já achei a proposta interessante.
    Às vezes nós desamamos e nem sabemos o real motivo. Acredito que amar é algo um pouco complexo e desamar não fica atrás. Ambos mexem muito conosco.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Que texto mais lindo Nina! A gente precisa mesmo aprender a desamar, entender que isso também faz parte do nosso ciclo e que as coisas nunca ficam da mesma maneira por muito tempo, até mesmo amor. Adoro o seu projeto de cartas porque é sempre um tapão na cara hahaha.

    ResponderExcluir
  12. Acho que desamar é essencial à vida, assim como amar, o que não cabe no desamor necessariamente é o ódio, a proposta do projeto é bem legal, certamente teria dificuldade de escrever sobre essa ideia.

    ResponderExcluir
  13. Oi Nina
    Que legal seu post. É bem como você disse, a gente tem medo de não sentir.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Que texto maravilhoso! Eu confesso que nunca tinha parado para pensar dessa forma, mas o desamor realmente é importante. Ele nos permite encerrar um ciclo e nos prepararmos para o novo. Adorei a carta e fui sensibilizada pelas suas palavras.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Realmente o desamor é uma etapa, e uma etapa essencial na vida. Não dá pra amar completamente uma pessoa sem "desamar" quem veio antes. O fechamento dos ciclos é importante demais. Adoro esse projeto!

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Nunca tinha pensado por esse lado para o significado de desamor, por isso gostei desse novo olhar. Trouxe novas perspectivas, e percebo que o desamor é uma fase importante. Que ótima postagem e AMO esse projeto <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.