Spinning out: uma teia da vida real

março 28, 2021

Desde que lançou Spinning out eu estava para ver, pois acompanho o trabalho da Kaya Scodelario desde Skins, mas ano passado foi um ano bem ruim em termos culturais pra mim, então assisti só agora. O fato de ele se focar em um drama familiar, misturado às tramas de jovens adultos também me pegou bastante. 



Título: Spinning out

Criadora: Samantha Stratton

Ano: 2020

Onde assistir: Netflix

★★★★★


Eu não sabia bem o que esperar do seriado, só sabia que falava sobre patinação e saúde mental. Vi muita gente dizendo que a trama e os conflitos eram bem pesados, especialmente para quem convivia com transtornos psicológicos, mas achei muito interessante como existe uma teia de de focos narrativos na história e como isso funcionou muito bem. 


Spinning out é focado em Kat, uma patinadora que está se recuperando de um acidente no ringue e, por isso, está muito insegura com o futuro. Ela não sabe se vai, um dia, voltar a patinar, sendo que seu sonho sempre foi esse. Ela é uma personagem muito fragilizada, também, pela experiência familiar. Aos poucos, o espectador começa a entender que a relação que ela mantém com a mãe é muito precária e que agora sua mãe decidiu focar na filha mais nova, a Serena, que também treina patinação. 


Dividida entre ver sua irmã ganhar destaque com um novo treinador e considerar o que quer da vida, Kat vai atrás de Justin, um patinador de prestígio, para tentar fazer uma parceria com ele. Apesar de ela ser uma artista solo, para voltar às competições, percebe que pode ganhar mais sendo dupla de alguém. A princípio, Justin não quer nada com ela, e Kat tenta convencer o pai dele, que é o patrocinador do filho. Apesar de conseguir firmar parceria com Justin, depois de algumas tentativas, Kat ainda tem medo de se machucar de novo, por isso é cautelosa nos treinos, o que acaba irritando Justin. 


Entre muitas idas e vindas, o espectador vai descobrindo mais do passado de todas as personagens ao redor de Kat. Ainda que a trama gire em torno dela, foi muito legal e bom entender que os personagens secundários também ganharam seus próprios desenvolvimentos.


Temos Marcus, o melhor amigo de Kat, que é um garoto negro assombrado pela violência dos brancos e que rejeitou a faculdade para fazer parte da competição de esqui; Jenn, a melhor amiga de Kat, que está machucada e teme nunca mais conseguir patinar direito; Mitch, o treinador de Serena, que se envolve com a mãe das garotas; Mandy, a madrasta de Justin, que tem um segredo de adolescência; Justin, que é emocionalmente fragilizado pela morte da mãe e por manter um relacionamento conturbado com o pai.


O interessante é que nenhum personagem e nenhum plot fica pelo caminho. Todos os subplots vão se moldando ao redor do de Kat, transformando todas as histórias em uma grande teia muito bem planejada. 


Gostei muito de como o seriado conseguir trabalhar o âmbito emocional dos personagens; todos eles carregam seus porquês e um passado e, aos poucos, vamos entendendo por que agem de tal jeito. 


Apesar do plot de Kat falar sobre saúde mental, ele acaba ficando diluído na história e tem seu ápice mais para o final, mas isso também serve para o espectador entender o processo mental da personagem. No mundo da patinação artística, falar de saúde mental ainda é um tabu e Kat não quer que ninguém saiba que ela tem um transtorno, por isso, esse segredo é motivo de muitas tensões e consequências. Acho que conseguiram falar de bipolaridade de uma maneira muito consciente e educativa, mostrando seus efeitos. A princípio, a gente acha que as coisas estão bem demais, mas o clímax desse plot acelera a narrativa e gruda a gente na história mais ainda. 


Eu gostei de tudo. Gostei do drama, do romance e das mentiras que se moldam em cada personagem. Gostei, inclusive, da diversidade trazida. Marcus, um cara negro; Jenn, uma garota asiática. Eles poderiam muito bem servir de apoio, sem trazer história alguma, mas são inseridos na narrativa de uma forma muito boa e importante. O desenvolvimento de todos foi especial, o que traz uma humanidade torta ao plot e aos subplots. 


A carga emocional é incrível, foi o que mais me encantou. Eu adoro dramas e esse conseguiu me prender bastante, especialmente porque conseguiu delinear muito bem toda essa teia de histórias. Como primeira temporada, funcionou muito bem, mas deixou alguns ganchos. Uma pena que o seriado foi cancelado, pois poderia aprofundar mais desenvolvimentos. 


É porque o amor nem sempre é uma emoção para pessoas como nós. Tem que ser uma decisão.


Love, Nina :) 

6 comentários:

  1. Oi Nina, sua linda, tudo bem?
    Assim que vi que seria sobre patinação, eu corri para ver. Gosto desse tema, de competições esportivas. Mas não esperava encontrar essa carga dramática e muito menos o tema de saúde mental. Por isso a série acabou se tornando mais para mim. Gostei muito e espero por uma segunda temporada. Sua crítica ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina!

    Praticamente não sabia nada desta série e pela sua opinião parece ser interessante. Ainda mais abordando um drama com romance e mentiras. Confesso que fiquei bem curiosa porque não sabia que tratava também sobre saúde mental. Pena que a temporada terminou com alguns ganchos e foi cancelada, mas tentar assistir no final de semana.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina!
    Ano passado também foi um ano difícil culturalmente para mim, acho que por causa da pandemia que tem mexido com todo mundo né? Enfim, eu to doida para ver a série, todo mundo falou super bem e eu fiquei sem entender porque foi cancelada. Adorei saber mais sobre a série sob seu ponto de vista, realmente me interessei mais ainda em assistir.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Essa série é incrível! Traz muitas coisas para refletir, e chorei algumas vezes, confesso. Fiquei com muita raiva da Netflix por terem cancelado. Ela tem muito potencial!

    ResponderExcluir
  5. Oi Nina!

    Eu soube do lançamento dessa série, vi a Netflix divulgando, mas, não parei para dar uma real atenção a ela e agora vejo o quão interessante ela é. Não tenho certeza, mas a série foi cancelada? Acho que cheguei a ver a noticia do cancelamento e isso tirou ainda mais minha vontade de ver.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  6. Suas postagens são ótimas, estou seguindo seu blog e curtindo bastante!! Parabéns!

    Meu Blog: Bruna Tavares

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja machista, LGBTQAfóbico(a), ou racista. O mundo agradece :)

Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.